Bom humor, criatividade e talento: Chevrolet Amazona 1961

Dando sequência à postagem do Manual deste grande clássico que é o FNM 180, order trazemos hoje a segunda parte.

Um dos destaques desta parte do material é a vista em corte da transmissão na página 33. Esta unidade de quatro marchas tinha um multiplicador (hoje chamado de “split” no dia-a-dia), que duplicava as quatro marchas da unidade principal. Note que a caixa era montada remotamente ao motor, com um cardan entre a embreagem e a dita cuja. Como em muitos caminhões de décadas passadas, o tambor do freio de estacionamento ficava no eixo de saída da transmissão.

Observe também, na página 34, o interessante sistema de comando do multiplicador da caixa principal, com a célebre alavanca do lado direito do painel, que exigia habilidade do “chofer” para executar as mudanças cruzadas e no tempo certo, pois a caixa não era sincronizada.

A servo-direção com pistão hidráulico era outra particularidade do FNM, conforme poderá constatar na página 37.

Um ótimo domingo para você!

Abraços.

33 32 31 30

 

 
Dando sequência à postagem do Manual deste grande clássico que é o FNM 180, try trazemos hoje a segunda parte.

Um dos destaques desta parte do material é a vista em corte da transmissão na página 33. Esta unidade de quatro marchas tinha um multiplicador (hoje chamado de “split” no dia-a-dia), buy viagra que duplicava as quatro marchas da unidade principal. Note que a caixa era montada remotamente ao motor, case com um cardan entre a embreagem e a dita cuja. Como em muitos caminhões de décadas passadas, o tambor do freio de estacionamento ficava no eixo de saída da transmissão.

Observe também, na página 34, o interessante sistema de comando do multiplicador da caixa principal, com a célebre alavanca do lado direito do painel, que exigia habilidade do “chofer” para executar as mudanças cruzadas e no tempo certo, pois a caixa não era sincronizada.

A servo-direção com pistão hidráulico era outra particularidade do FNM, conforme poderá constatar na página 37.

Um ótimo domingo para você!

Abraços.

33 32 31 3037 36 35 3441 40 39 38

 

 
Dando sequência à postagem do Manual deste grande clássico que é o FNM 180, troche trazemos hoje a segunda parte.

Um dos destaques desta parte do material é a vista em corte da transmissão, ambulance na página 33. Esta unidade de quatro marchas tinha um multiplicador (hoje chamado de “split”, healing no dia-a-dia), que duplicava as quatro marchas da unidade principal. Note que a caixa era montada remotamente ao motor, com um cardan entre a embreagem e a dita cuja. Como em muitos caminhões de décadas passadas, o tambor do freio de estacionamento ficava no eixo de saída da transmissão.

Observe também, na página 34, o interessante sistema de comando do multiplicador da caixa principal, com a célebre alavanca do lado direito do painel, que exigia habilidade do “chofer” para executar as mudanças cruzadas e no tempo certo, pois a caixa não era sincronizada.

A servo-direção com pistão hidráulico era outra particularidade do FNM, conforme poderá constatar na página 37.

Um ótimo domingo para você!

Abraços.

33 32 31 3037 36 35 3441 40 39 3842 43 44 45

 

 
Dando sequência à postagem do Manual deste grande clássico que é o FNM 180, try trazemos hoje a segunda parte.

Um dos destaques desta parte do material é a vista em corte da transmissão, view na página 33. Esta unidade de quatro marchas tinha um multiplicador (hoje chamado de “split”, no dia-a-dia), que duplicava as quatro marchas da unidade principal. Note que a caixa era montada remotamente ao motor, com um cardan entre a embreagem e a dita cuja. Como em muitos caminhões de décadas passadas, o tambor do freio de estacionamento ficava no eixo de saída da transmissão.

Observe também, na página 34, o interessante sistema de comando do multiplicador da caixa principal, com a célebre alavanca do lado direito do painel, que exigia habilidade do “chofer” para executar as mudanças cruzadas e no tempo certo, pois a caixa não era sincronizada.

A servo-direção com pistão hidráulico era outra particularidade do FNM, conforme poderá constatar na página 37.

Um ótimo domingo para você!

Abraços.

33 32 31 3037 36 35 3441 40 39 3842 43 44 45

 

 
Nosso amigo Jairo Herrera, thumb
num momento de bom humor, criatividade, talento e descontração, construiu dois modelos em escala, em homenagem ao seu Chevrolet Amazona 1961, cujas fotos foram postadas anteriormente logo abaixo.

O primeiro, mais irreverente e divertido, veio acompanhado do seguinte texto do Jairo:

“Olha aí, Evandro!! Mandei fazer funilaria geral na Amazona…..
Também refiz o motor…dá uma olhada, vê o que acha 😛
Só não pode molhar, nem encostar no fogo, hehehehehe
Abraço.”
Am2 Am3
Salientamos ao Jairo que, quando possível, seria bom dar uma examinada na cambagem das rodas, para evitar maiores problemas…
Logo depois, o Jairo decidiu abraçar um desafio ainda maior, com a proposta de fazer um modelo de radio controle de seu raro Chevrolet. A primeira imagem deste interessante desafio veio acompanhada da seguinte explanação:
“Decidi encarar o desafio e fazer uma versão em escala 10/1 pra transformar em rádio controle, ainda falta muito, mas estou chegando lá ;)”
Am1
Com este post, estreamos no mundo das miniaturas e modelos de veículos comerciais, que também têm as portas abertas neste espaço.
Jairo, obrigado por dividir conosco este interessante projeto! Aguardamos mais fotos com a evolução do mesmo.
Boa semana!

 

 

3 ideias sobre “Bom humor, criatividade e talento: Chevrolet Amazona 1961

  1. Ainda não terminei o projeto, mas já parti para o trabalho em madeira. Vou enviar algumas fotos para o Evandro, grande abraço!

Comentários encerrados.