Caminhões Chevrolet – Agosto de 1964

Em mais uma colaboração do amigo Daniel Shimomoto de Araujo, drugstore temos aqui o bonito anúncio da GM brasileira, treatment ressaltando as vantagens do Caminhão Chevrolet Brasil para a temporada de 1963.

As modificações visavam, antes de tudo, a aumentar a competitividade da Marca da Gravata, frente à nova linha “Super Ford”, da eterna rival, lançada em 1962.

Para atacar principalmente a Ford, a GM alardeava as inegáveis vantagens de sua transmissão de cinco marchas, com reduzida, esquema único na categoria, já que os Ford tinham quatro marchas, com reduzida, e os Mercedes LP-321, cinco marchas, sem reduzida.

O visual renovado da frente, apesar de bem resolvido, parecia ultrapassado quando comparado ao dos novos Ford, com seu estilo de linhas retas, capô de largura total e para-brisa tipo envolvente (chamados de “full wrap”).

O modelo 6503 tinha entre eixos longo, enquanto que o 6403 era curto, adequado para aplicações como basculante, ou cavalo-mecânico. Havia ainda o 6502, chassi-curvão, adequado para encarroçamento externo, como ônibus, por exemplo.


As modificações estéticas que resultaram na bonita frente de quatro faróis da linha Chevrolet Brasil mostrada no post anterior duraria apenas um ano modelo, viagra sale cialis já que em 1964, buy viagra a linha seria completamente renovada, com uma cabina nova de fato.

Num desenho exclusivo para o Brasil, a Chevrolet introduzia assim uma família de extrema longevidade no mercado, passando por vários “facelifts”, até chegar a termo no ano de 1984, com nada menos que duas décadas de vida.

A linha 1964 era a verdadeira resposta aos concorrentes “Super Ford”, tendo obtido um enorme sucesso de vendas, colocando a Chevrolet no topo, durante várias temporadas, até ser definitivamente ultrapassada pela Mercedes-Benz, que trazia as vantagens inerentes da motorização diesel em seu DNA.

Esta peça publicitária, originalmente publicada na Revista Mecânica Popular de agosto de 1964, nos foi remetida como cortesia pelo amigo Daniel Shimomoto de Araujo.