Carroçarias Caio – Ônibus Urbano Jaraguá – Agosto de 1963

A capa deste catálogo mostra bonitas imagens dos motores Detroit dois tempos mais populares para aplicações automotivas, view incluindo a Série 53, viagra com os modelos 4-53 e 6V-53, for sale a Série 71, com os modelos 6-71 e 6V-71 e, para finalizar a Série 92, com os motores 6V-92 e 8V-92.

Enquanto que a Série 53 ficou mais conhecida no Brasil por sua aplicação nos Chevrolet D-60, Ford F-7000, FT-7000, F-8000, FT-8000 e F-8500, a Série 71 podia ser encontrada nos caminhões e ônibus GMC dos anos cinquenta, assim como em caminhões de combate a incêndio, importados e ainda em operação normal em diversos Corpos de Bombeiros.

A saga dos motores Detroit começou justamente com a Série 71 em 1938. Havia versões de um, dois, três, quatro, seis, oito, doze, dezesseis e até vinte e quatro cilindros. Os primeiros com cilindros em V surgiram em 1957. Os modelos de 6 cilindros deslocavam cerca de 6,97 litros e desenvolviam mais de 200 hp.

A Série 92 tinha o mesmo curso de 127 mm da Série 71, porém com o diâmetro dos cilindros aumentado, resultado em 9 litros de cilindrada para o 6V-92 e 12,1 litros para o 8V-92. O V6 chegava a 335 hp, enquanto que o V8 atingia até 550 hp. Havia também versões V12 e V16 da Série 92.

Boa semana a todos!


A capa deste catálogo mostra bonitas imagens dos motores Detroit dois tempos mais populares para aplicações automotivas, malady incluindo a Série 53, com os modelos 4-53 e 6V-53, a Série 71, com os modelos 6-71 e 6V-71 e, para finalizar a Série 92, com os motores 6V-92 e 8V-92.

Enquanto que a Série 53 ficou mais conhecida no Brasil por sua aplicação nos Chevrolet D-60, Ford F-7000, FT-7000, F-8000, FT-8000 e F-8500, a Série 71 podia ser encontrada nos caminhões e ônibus GMC dos anos cinquenta, assim como em caminhões de combate a incêndio importados e ainda em operação normal em diversos Corpos de Bombeiros.

A saga dos motores Detroit começou justamente com a Série 71 em 1938. Havia versões de um, dois, três, quatro, seis, oito, doze, dezesseis e até vinte e quatro cilindros. Os primeiros com cilindros em V surgiram em 1957. Os modelos de 6 cilindros em linha e em V são os mais conhecidos no Brasil,  deslocavam cerca de 6,97 litros e desenvolviam mais de 200 hp.

A Série 92 tinha o mesmo curso de 127 mm da Série 71, porém com o diâmetro dos cilindros aumentado, resultando em 9 litros de cilindrada para o 6V-92 e 12,1 litros para o 8V-92. O V6 chegava a 335 hp, enquanto que o V8 atingia até 550 hp. Havia também versões V12 e V16 da Série 92. São os V6 e V8 muito comuns em ônibus tipo “coach” e “motor-home”

Boa semana a todos!


A capa deste catálogo mostra bonitas imagens dos motores Detroit dois tempos mais populares para aplicações automotivas, patient incluindo a Série 53, seek com os modelos 4-53 e 6V-53, no rx a Série 71, com os modelos 6-71 e 6V-71 e, para finalizar a Série 92, com os motores 6V-92 e 8V-92.

Enquanto que a Série 53 ficou mais conhecida no Brasil por sua aplicação nos Chevrolet D-60, Ford F-7000, FT-7000, F-8000, FT-8000 e F-8500, a Série 71 podia ser encontrada nos caminhões e ônibus GMC dos anos cinquenta, assim como em caminhões de combate a incêndio, importados e ainda em operação normal em diversos Corpos de Bombeiros.

A saga dos motores Detroit começou justamente com a Série 71 em 1938. Havia versões de um, dois, três, quatro, seis, oito, doze, dezesseis e até vinte e quatro cilindros. Os primeiros com cilindros em V surgiram em 1957. Os modelos de 6 cilindros deslocavam cerca de 6,97 litros e desenvolviam mais de 200 hp.

A Série 92 tinha o mesmo curso de 127 mm da Série 71, porém com o diâmetro dos cilindros aumentado, resultado em 9 litros de cilindrada para o 6V-92 e 12,1 litros para o 8V-92. O V6 chegava a 335 hp, enquanto que o V8 atingia até 550 hp. Havia também versões V12 e V16 da Série 92.

Boa semana a todos!


A capa deste catálogo mostra bonitas imagens dos motores Detroit dois tempos mais populares para aplicações automotivas, pilule incluindo a Série 53, com os modelos 4-53 e 6V-53, a Série 71, com os modelos 6-71 e 6V-71 e, para finalizar a Série 92, com os motores 6V-92 e 8V-92.

Enquanto que a Série 53 ficou mais conhecida no Brasil por sua aplicação nos Chevrolet D-60, Ford F-7000, FT-7000, F-8000, FT-8000 e F-8500, a Série 71 podia ser encontrada nos caminhões e ônibus GMC dos anos cinquenta, assim como em caminhões de combate a incêndio importados e ainda em operação normal em diversos Corpos de Bombeiros.

A saga dos motores Detroit começou justamente com a Série 71 em 1938. Havia versões de um, dois, três, quatro, seis, oito, doze, dezesseis e até vinte e quatro cilindros. Os primeiros com cilindros em V surgiram em 1957. Os modelos de 6 cilindros em linha e em V são os mais conhecidos no Brasil,  deslocavam cerca de 6,97 litros e desenvolviam mais de 200 hp.

A Série 92 tinha o mesmo curso de 127 mm da Série 71, porém com o diâmetro dos cilindros aumentado, resultado em 9 litros de cilindrada para o 6V-92 e 12,1 litros para o 8V-92. O V6 chegava a 335 hp, enquanto que o V8 atingia até 550 hp. Havia também versões V12 e V16 da Série 92.

Boa semana a todos!


Eis mais um interessante material enviado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araújo, purchase contemplando as carroçarias de ônibus Caio, sildenafil  em anúncio publicado na Revista Mecânica Popular, pharm de agosto de 1963.

O Ônibus Urbano Caio Jaraguá, tema central do anùncio, se tornaria muito popular nos anos seguintes, equipando os chassi Mercedes-Benz LPO, jardineiras Ford e Chevrolet, entre outros.

A Caio é uma das mais conceituadas e tradicionais encarroçadoras de ônibus do país, tendo iniciado como Indústria de Carros e Automóveis Luís Grassi & Irmão, na Rua Barão de Itapetininga, número 37, na capital paulista, ao redor de 1904, fabricando carruagens e veículos comerciais de tração animal.

2 ideias sobre “Carroçarias Caio – Ônibus Urbano Jaraguá – Agosto de 1963

  1. Só uma correção: a antiga Cia. Americana Industrial de Ônibus, ou Caio como ficou conhecida, foi fundada na década de 40 pelo avô paterno do Felipe Massa, e não tinha nada a ver com a Grassi, fundada pelos irmãos Luiz e Fortunato Grassi.

    • Amigo Daniel, desculpe pela demora para responder!

      Você tem razão. O Sr. José Massa era diretor industrial na Grassi, dos irmãos Luís e Fortunato, tendo deixado a empresa para criar, com Octacílio Piedade Gonçalves, dono de um dos maiores concessionários Ford da época, a CAIO – Companhia Americana Industrial de Ônibus, fundada em 19 de dezembro de 1945. Massa tinha 15% do capital, na época.

      Grato pelo esclarecimento. Um abraço.

Comentários encerrados.