Puma 914

Nos tempos em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, pharm em São Paulo, sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão Puma 6T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma oferecia o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também podia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Poucos Puma 6T sobrevivem hoje em dia.

 

 

 
Nos idos dos anos setenta, health salve em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, for sale em São Paulo, for sale sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão leve Puma 4T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Com recursos limitados, mas à frente de seu tempo, numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma desenvolveu o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também poderia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Infelizmente o Puma 6T não passou de um conceito, jamais entrando em produção regular.

Para maiores informações sobre a Puma, consulte o excelente site do nosso amigo Felipe Nicoliello em: http://www.pumaclassic.com.br.

 

 

 

 
Nos tempos em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, viagra em São Paulo, malady sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão Puma 6T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma oferecia o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também podia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Poucos Puma 6T sobrevivem hoje em dia.

 

 

 
Nos idos dos anos setenta, sale illness physician em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, viagra dosage
em São Paulo, sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão Puma 6T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma oferecia o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também podia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Poucos Puma 6T sobrevivem hoje em dia.

 

 

 
Depois que a Puma encerrou suas operações em São Paulo, discount buy cialis a empresa foi comprada pela Araucária, pharm de Curitiba, que também sucumbiu. Na sequência, o Grupo Alfa Metais, da mesma cidade, assumiu a marca e os ferramentais para a fabricação de seus veículos.

Na fase Alfa Metais, não só os automóveis esportivos foram reavivados mas também os caminhões. A reencarnação do antigo modelo 4.T veio na forma do novo Puma 914, aqui ilustrado.

O modelo foi apresentado em 1988, depois de aposentar o 4.T, e tinha PBT de 6.230 kg, com capacidade de carga de quase 4 toneladas, incluindo o implemento. Seu motor era um MWM D-229-4 e a transmissão Clark de 5 velocidades.

Depois do Agrale 1600 e 1800, o Puma 914 foi um dos pioneiros caminhões brasileiros com opção de cabina dupla de fábrica.