Volvo NL10 340 e Volvo N10 Intercooler II

VOLVO 1 VOLVO 2

Com o destaque de ser o leitor mais novo a nos enviar material para postagem, recentemente o amigo Kaio nos brindou duas belas imagens, acompanhadas das seguintes explanações:

“Olá, boa tarde. Sou Kaio Lucas Lima, de 12 anos, e estou enviando neste e-mail duas fotos contendo alguns modelos de caminhões escaneados por mim mesmo para serem postadas no blog.

A primeira foto mostra na direita um Volvo NL10 340 branco com grade preta, no centro (onde meu tio está sentado) se trata de um Volvo N10 Intercooler II azul e no canto direito, não tão vísivel, um Scania 112 HS/ES branco. E a segunda foto mostra o mesmo Volvo N10 Intercooler II na lateral com a minha avó. Todos eles transportavam para a extinta Miramar, nos campos de petróleo da Fazenda Belém, próxima da atual BR-304/CE-261, em Icapuí-CE. Fotografias datadas de novembro de 1994.”

Kaio, obrigado pela valiosa contribuição e continue assim como nós, fãs dos caminhões!

Mercedes-Benz L-1819 (?)

Jpeg

Nosso amigo André Giori nos fez a gentileza de enviar esta curiosa imagem de um Mercedes 1819 6×6, empregado no transporte florestal no Espírito Santo. Estamos na torcida para o André flagrar este caminhão novamente, para desvendar maiores detalhes sobre o raro exemplar.

A imagem veio acompanhada das seguintes palavras do Giori: “…fotografei em Venda Nova do imigrante – ES, um MBB 1819, muito original e raro, pena que não consegui fotografar de frente. A empresa, dona do veículo, é do Camilo Cola, dono da Itapemirim. Eles possuem veículos desse tipo e bem conservados.”

Se alguém souber maiores detalhes sobre este veículo, por favor, divida conosco e nossos leitores.

 

Mercedes-Benz O-362

O-362 1O-362 2

Nosso amigo e colaborador frequente Daniel Shimomoto de Araujo, de Garça SP, flagrou um bonito e ativo exemplar do tradicional ônibus monobloco O-362, dos anos setenta, equipado com motor OM-352 de 5,7 litros e 130 cv instalado na traseira. O O-362 ilustrado era da versão rodoviária, com 5.550 mm entre eixos, 10.660 mm de comprimento total e PBT de 11.500 kg. A configuração de assentos mais comum era com 36 poltronas reclináveis. Havia também uma versão urbana, além do raro O-362 A, com motor turboalimentado, de 156 cv. Lançado em 1971 para substituir o O-352, o modelo seguiu em produção até 1979, quando deu passagem ao O-364. Acompanhando as imagens, o Daniel também nos ofereceu os seguintes comentários:

“Seguem fotos de um O-362 ainda na ativa.

Faz uma pequena linha rural de 70 km (35 ida, 35 volta), 2 vezes ao dia,
todos os dias. E faz muitos anos…

Grande Abraço,

Daniel.”

 

 

 

Caminhões Antigos Brasileiros comemora 2 anos de vida!

Há exatos dois anos, recebíamos os nossos primeiros 54 visitantes mensais. No dia 8 de fevereiro de 2012 este espaço era colocado no ar pela primeira vez, dando início a um antigo sonho de compartilhar informação e conhecimento sobre um tema tão fascinante quanto escasso na internet brasileira.

O pequeno acervo juntado desde a infância começou a ser digitalizado e colocado à disposição de todos, como forma de retribuição e gratidão por toda a ajuda que recebemos desde que acessamos a rede pela primeira vez, em 1995.

Passados dois anos, este projeto despretensioso e ainda sem patrocínio conta com uma legião crescente de amigos colaboradores que nos enviam material de todo canto do Brasil. São fotos, catálogos, folhetos, anúncios e comentários que a cada dia enriquecem nossa coleção on-line.

Neste mês de fevereiro, ficamos agradecidos pelo recorde de mais de 15 mil visitas mensais, com nada menos que 608 visitas somente no último dia 16. Nestes dois primeiros anos, 928 posts geraram 2.798 comentários. São estatísticas modestas quando comparadas às de grandes sites e blogs sobre temas de interesse geral, mas admiráveis quando se trata de espaço voltado a um assunto aparentemente tão específico, como caminhões antigos & cia. ltda.

Para nós, não há melhor presente que estes números. Eles confirmam que o conteúdo é cada dia mais útil e interessante a um universo cada vez maior de pessoas como nós, admiradores destas memoráveis máquinas que ilustram nossas páginas.

Obrigado a você, amigo(a) leitor(a) pelo carinho e apoio que temos recebido!

Aparecida 2012

Mesmo os novos um dia serão antigos…

 

 

Mercedes-Benz 407 D “Dusseldorfer”

407 1 407 2

Com sua câmera sempre atenta, nosso amigo Daniel Giraldi flagrou este raríssimo exemplar de furgão Mercedes-Benz 407 D, parte da família conhecida na terra natal como “Dusseldorfer”, em alusão à cidade onde eram construídos às centenas de milhares, desde os anos setenta. Pode-se apostar que a placa de Florianópolis, SC, com numeral “1979″, denota seu ano de fabricação. A semelhança com os nossos Mercedinhos não é mero acaso, já que a genética é precisamente a mesma.

O modelo das poses trazia o “facelift” da dianteira, que não teve oportunidade de aportar em “terras brasilis”, com a plataforma 708 E de cara “antiga” substituída diretamente pela nova gama LN-2, em 1988. Naquela oportunidade, os tradicionais Mercedinhos de primeira geração davam lugar aos novos 709 e 912 de visual totalmente renovado, com formas angulosas.

Em tempo, note que, a julgar pelo adesivo na porta traseira, o Mercedinho alemão já se enveredou pela mítica e espetacular “Ruta 40″, na nossa vizinha Argentina.

Quem souber mais sobre a saga deste que talvez seja o único 407 no Brasil está convidado a matar nossa curiosidade, que, diga-se, não é pouca…

 

 

Ford F-4000 com motor FTO 4.4

20140128_100959 20140128_101023 20140128_101033 20140128_101124 20140128_101136 20140128_101257 20140128_101316

Com olhar atento às máquinas curiosas de suas redondezas, nosso amigo Daniel Shimomoto de Araujo, de Garça, SP, flagrou este conservado F-4000 com o não tão comum motor da casa do oval azul, no caso o FTO (ou FNH) 4.4, como costumava ser chamado este propulsor derivado de sua aplicação nos tratores Ford.

Oferecido como alternativa ao tradicional MWM, tanto no F-4000 como no F-2000, e produzido na finada planta de motores de São Bernardo do Campo, SP, em duas cilindradas, o quatro cilindros Ford também era acompanhado na linha de montagem por seu irmão tricilíndrico, bem como pelos “seis” de 6.6 e 7.8 litros, de usos diversos, incluindo sua aplicação mais famosa, sob a cabina de vários modelos do Ford Cargo.

Acompanhando as imagens, o Daniel enviou os seguintes comentários:

“Fotos de uma F-4000 com motor FTO 4.4 fazendo manutenção na bomba injetora.

Algumas coisas me saltaram a vista: O tamanho mais compacto do FTO
(atente como sobra espaço, desde a corcova junto a parede de fogo até o
radiador que é ligeriamente mais recuado em relação ao D-229 e a outra
coisa (essa ficou sem fotografia) é como o FTO é um motor “quente”.

Os MWM geralmente não apresentam saia no radiador e um D-229 funcionando
sem válvula termostática simplesmente não esquenta. Meu F-11000 não
tinha nada em termos de saia no radiador. Essas F-4000 motor Ford, o
radiador é totalmente com saia, com saida apenas pela hélice, para
forçar mesmo a passagem de ar fresco. Como meus antigos tratores Ford
que trabalhavam quente.

Em anexo, as fotos!

Grande Abraço,

Daniel.”

 

Volkswagen 8.140

VW 8140 1 VW 8140 2

As imagens deste curioso Volkswagen 8.140 nos foram enviadas pelo amigo Daniel Giraldi, de Porto Alegre, com a seguinte resenha:

“…Casualmente, uma das proprietárias de um colégio onde eu estudei da 1ª até a 5ª série é casada com um oficial da PMSC, então de vez em quando haviam eventos alusivos à PM no colégio. O caminhão dessas fotos, um 8-140, provavelmente ano ’98, era usado naquela época pelo canil, mas na véspera de Natal desse ano eu o vi estacionado próximo a um mini-mercado em Itapema, cidade do litoral norte catarinense, carregado de garrafões de água. Até achei que já tivesse sido leiloado, a exemplo dos antigos caminhões-guincho Agrale 1600D (cheguei a ver um numa revenda de caminhões usados em Viamão, com a cabine marrom e portas brancas onde se via vestígios dos antigos emblemas da PM), por não ter mais nenhum emblema da PM nem número de frota, mas ainda está com placas oficiais, e provavelmente servindo para suporte logístico. A propósito: repara no snorkel mais elevado que o dos modelos atuais, é de se lamentar que hoje usem um snorkel mais baixinho até mesmo nos 17-210 4×4.”

Volkswagen 11.140

20140207_142039 20140207_142049 20140207_142122 20140207_142133

De câmera em punho, o amigo Daniel Shimomoto de Araujo e seu olhar atento foram responsáveis por capturar este interessante Volkswagen dos anos oitenta. Note que o baú traz as inscrições da tradicional marca de farinha de mandioca tipo biju “Deusa”. Alguns comentários do autor acompanharam as imagens, como seguem:

“Aqui vão algumas fotos. Um 11-140, cabine estilo Kenworth, roda de 8
furos e motor MWM D-229/6.

Aqui já vi bastante desses modelos. Só na cidade e que eu me lembre tem
esse que está a venda e um fazendeiro que tem um amarelinho.

Grande Abraço,

Daniel.”

Valmet 148 4×4 e Ford 6600

DSC00539 DSC00544

Nosso amigo e colaborador frequente Daniel Shimomoto de Araujo nos fez a gentileza de enviar imagens de alguns dos tratores que operaram na fazenda de sua família, na região de Garça, SP. Junto das fotos, o Daniel nos enviou as seguintes palavras de apresentação:

“Revendo meus arquivos, envio duas fotos de dois tratores bem
interessantes que tive, um Valmet 148 e um Ford 6600 (esse era o meu
“queridinho”- tinha uma força tão grande e um motor bem amaciado que
parecia ter mais que os 86cv declarados!)

Grande Abraço,

Daniel”

GMC 760 – 1952

003 004 005 006 007

Nosso amigo Douglas Antunes Pacheco nos fez a gentileza de digitalizar uma excelente reportagem sobre o GMC 760 e o “antigocaminhonismo”, fenômeno que parecia alastrar-se, já nos anos oitenta. Assinado pelo competente jornalista Oscar Nelson Kuntz, o artigo parece tão atual, apesar de ter quase trinta anos.

Junto do material, o Douglas nos enviou a seguinte mensagem de apoio:

“Prezados,
Em primeiro lugar, devo parabenizá-los pela iniciativa de criar o site. Ele é sensacional, os arquivos e as informações técnicas são fascinantes. Sempre fui, desde garoto, fã dos carros. Mas os caminhões sempre me encantaram também.
Assim, como forma de agradecer as incontáveis informações que aprendi no site, compartilho este modesto material, extraído da saudosa revista Motor 3 (edição de Janeiro de 1986 – nº 67), com as impressões sobre o clássico GMC 760 de 1952, inclusive com algumas informações técnicas e fotos em cores.
Tenho também algum material fotografado de jornais antigos de Florianópolis. Se for do interesse de vocês, posso enviá-los.
Mais uma vez parabéns pelo site e deixo meus votos de sucesso nesta maravilhosa empreitada.
Grande abraço.”
Obrigado, Douglas! Conte conosco também.