Chevrolet C-6500 – 1962

Nosso amigo Júnior Vasconcelos nos enviou estas imagens de um belo Chevrolet C-6500 “Brasil”, acompanhadas da seguinte resenha:

“Esse exemplar do Chevrolet 1962 foi reformado e presenteado em forma simbólica pelos empresários do Grupo Fretcar (Fortaleza, CE) em homenagem a seu pai José Carlos Sobrinho, empresário e uma das maiores lideranças políticas da região de Ipu nas últimas décadas, proprietário da extinta empresa Ipu Brasília e VIPU. Zezé Carlos, como é mais conhecido, iniciou sua trajetória levando os candangos de Ipu e região para a nova capital Brasília em um caminhão similar ao que ganhou, logo depois foi adquirindo ônibus.”

Chevrolet 1962 - AIR8184 1 Chevrolet 1962 - AIR8184 2 Chevrolet 1962 - AIR8184 3 Chevrolet 1962 - AIR8184 6 Chevrolet 1962 - AIR8184 7 Chevrolet 1962 - AIR8184 8

Astros da Viação Cometa

Nosso amigo Luiz Claudio dos Santos, de Taubaté, SP, nos fez a gentileza de enviar uma coletânea de espetaculares imagens dos saudosos carros Flecha Azul e Halley, todos com carroceria da CMA, da própria Cometa, sobre plataforma Scania. O Luiz também enviou a seguinte mensagem com as fotos:

“Olá. Desejo que todos estejam bem!

Gostaria de parabenizá-los por este site tão especial para a memória do transporte aqui no Brasil: é simplesmente fantástico!

Gostaria de colaborar cedendo estas imagens dos fantásticos ônibus da Viação Cometa: as tirei entre 2002 e 2004 nas garagens de Juiz de Fora e de São Paulo: espero que sejam úteis!

Um forte abraço,

Luiz Claudio dos Santos.”

Um detalhe que sempre chamou atenção nos ônibus da Cometa eram os números de frota coincidentes com os números das placas.

COMETA 0.1 COMETA 0 COMETA 1 COMETA 2 COMETA 3 COMETA 4 COMETA 5 COMETA 7.1 COMETA 7 COMETA 8

Vende-se Chevrolet D-60 – 1977 – Original

“Trata-se de um Caminhão Chevrolet 1977, D-60 (DIESEL), todo original (motor, caixa, setor), que acabou de passar por um processo de restauração, mantendo-se toda a originalidade em termos de lataria, carroceria, mecânica e acabamento.

Durante 36 anos foi dirigido por um único motorista, com uma história apaixonante, que envolveu o condutor, inicialmente proprietário e posteriormente este mesmo condutor tornou-se empregado da Empresa, que adquiriu o mencionado caminhão, quando este foi colocado a venda há 12 anos, com a condição de que, o antigo proprietário que o conduziu até aquela data aceitasse o convite para ser contratado na empresa e continuasse a dirigir o seu caminhão.

Assim foram esses anos, de uma relação marcada pela cumplicidade entre condutor-caminhão/caminhão-condutor. Hoje completamente restaurado, trabalho este que pode ser comprovado pelos registros fotográficos antes, durante e após a sua realização, ele é colocado no mercado de ANTIGOS e com certeza dos verdadeiros apaixonados pelo antigomobilismo chamará a atenção e fará deste mais um apaixonado por esta raridade.

Com relação ao preço este será discutido quando da manifestação de interesse.

Telefone para contato: 032-9917-4147 (Álvaro).”

D60 1 D60 2 D60 3 D60 4 D60 5 D60 6 D60 7 D60 8 D60 9

 

Comemorando o terceiro aniversário!

No dia 22 de fevereiro de 2012 foi ao ar nosso primeiro post. Começava assim um projeto caseiro que visava dividir informações, promover o debate e, sobretudo, preservar a memória do caminhão brasileiro.

Com o passar do tempo, além dos caminhões, resolvemos agregar os veículos comerciais de forma mais ampla, incluindo ônibus, implementos e utilitários. Da mesma forma, dada a carência de informações gratuitas na rede, decidimos adicionar tratores, máquinas de construção e até aviões.

Para quem gosta de estatísticas, nosso amigo Google Analytics informa que tivemos 438 mil visitas acumuladas, 296 mil usuários e 1,92 milhões de visualizações de páginas desde 2012. Nos últimos tempos, as visitas estão na faixa de 24 a 25 mil por mês, ou 700 a 900 por dia. 68% de nosso público está acessando o espaço pela primeira vez. Nosso acervo conta com 1.134 posts, os quais produziram 5.361 comentários.

Hoje, passados três anos do pontapé inicial, acumulamos uma grande rede de colaboradores que contribuem com um valioso acervo de literaturas e, mais que isso, com conhecimento e ajuda mútua, sempre de forma gratuita, altruísta e despretensiosa.

Nosso projeto de obter um patrocínio e com isso alavancar postagens de alta qualidade, mais disciplinadas e frequentes, ainda não se materializou, mas temos certeza de que será questão de tempo.

Neste período de existência do site, tivemos muitas gratas surpresas. Por meio dele, reencontramos velhos amigos perdidos no tempo, aprendemos muito, conseguimos esclarecer dúvidas complexas e mistérios que nos permitiram corrigir e enriquecer nosso projeto do livro sobre os caminhões brasileiros, encontramos raridades ocultas, recebemos bateladas de doações e, mais importante, conhecemos novas pessoas, tanto no Brasil como em nações distantes como Espanha, Bélgica e até no Cazaquistão, muitos dos quais se tornaram verdadeiros amigos virtuais!

Portanto, só temos a agradecer a você, amigo leitor, a razão principal de nossa existência.

Um forte abraço e que venham os próximos anos!

 

Mercedes-Benz L-1516 – 1975

Para registrar o bom estado de conservação do Mercedes-Benz L-1516 de seu tio, nosso amigo Lucas Claudio nos enviou algumas fotos do mesmo que se encontra em plena atividade. Num tempo em que boa parte dos Mercedes AGL ganharam “upgrades” com a cobiçada cara-preta, é bom ver que ainda restam exemplares originais, com a bela frente tradicional de faróis redondos, tal qual eles foram concebidos na terra da matriz.

Apenas a grade sem os “bigodes” parece ter sido substituída pelo modelo mais moderno, como é possível notar nas imagens. Os emblemas laterais pretos também não são iguais aos originais cromados, mas pelo menos tampouco são dos modelos imitando a tipografia mais recente e de gosto questionável, incompatível com o belo caminhão.

L1516 1 L1516 2 L1516 3

 

Raridades do Paraná: Mercedes LP-321, Ford Big Job e Ford F-1

Há alguns meses nosso amigo Luiz Felipe Scheibel nos enviou algumas interessantes contribuições. Em primeiro lugar, fotos de um Mercedes LP-321 que, apesar de ter passado por uma plástica e troca da barrigada, continua na ativa e, portanto, tem muito mérito. Para acompanhar, o Felipe também registrou o que aparenta ser um Ford F-7 ou F-8 Big Job de 1952, trucado e com eixos transplantados, além de uma picape Ford F-1 da safra de 1948 a 1950, com grade de elementos horizontais.

Junto com as imagens, o Felipe enviou a seguinte mensagem, tão apreciada quanto as fotos:

“Bom Dia Evandro, tudo bem?

Espero que sim. Meu nome é Felipe Scheibel, e sou de Ponta Grossa – PR. Primeiro gostaria de dizer que sou fã apaixonado pelos nossos caminhões, e consequentemente do Caminhão Antigo Brasil, onde aprendi muito sobre nossos caminhões.
Minha família sempre esteve ligada aos caminhões desde meu bisavô com “Fordinhos” com carroceria de madeira (os quais infelizmente não possuo fotos), pelo meu avô e seus FNM’s basculantes e até meu pai e tios que possuem empresa de terraplanagem e possuímos alguns caminhões basculantes a maioria antigos (Mercedes 1113 e 1513,ambos ano 1977; Dodge D950 ano 1980; Ford F12000 ano 1981; Ford Cargo 1415, ano 1988 e a mais recente aquisição um VW 16-220 ano 1993.
Tanto os Mercedes Benz, quanto o VW se encontram muito bem conservados, com boa parte da sua originalidade. O 1113 estava parado a desde 1985, quando o compramos em 2010, ainda com as notas fiscais (amareladas) no porta luvas. Então o restauramos (mais a parte mecânica, como motor e suspensão, pois a lataria estava muito bem conservada sem ferrugem e podres então a  pintura é a original de 1977) e é o nosso xodó.
Infelizmente um dos nossos motoristas o “equipou” com alguns acessórios que não são da época, o que não me agradou muito, e outros um pouco mais necessários ao nosso uso (carcaça e freios e ponta de eixo do 1318, turbina, freio a ar estacionário, entre outros ) mas assim que encontrar algumas fotos dele em estado “menos atual” enviarei com muito prazer, assim como dos outros caminhões.
Também temos algumas camionetes (F1000 e D20) que para o meu pai são as melhores camionetes já fabricadas. Houve ainda um encontro de caminhões antigos aqui na cidade, alguns dias atrás e enviarei as fotos assim que reunir todas (de máquinas de amigos, já que a minha ficou sem bateria….). Mas tem alguns FNM’s, bem conhecidos do site e alguns mais raros, como GM 1940 e dois Diamond – T.
Mas estou aqui pra enviar algumas fotos, de caminhões de Guarapuava onde estou trabalhando atualmente. Um é um Ford, infelizmente não sei lhe dizer modelo nem ano, mas confio no especialista e lhe enviarei as fotos.
Vai de brinde uma Ford F1, para restauração que está a venda com o telefone do proprietário, já que esta caminhonete (belíssima) encontra-se no mesmo local, junto com o caminhão Ford.
Outro é um raro LP321, com uma história muito bacana. O proprietário, sr. Sérgio, é produtor de batata e utiliza o caminhão para o transporte de materiais da sua propriedade. O caminhão era de seu pai, e hoje está com ele, e e, bom estado de conservação. O sr. Sergio fala que aprendeu a dirigir nesse mesmo caminhão, então o Mercedes é parte integrante da família e diz que não o vende.
O caminhão também sofreu uma “atualização” mecânica, como diferencial do Cargo (Rockwell 240, eu creio), freios e carcaça do 1318 e algumas outras que não me recordo. Mas esteticamente o caminhão aparenta ser bem original.
Peço desculpas pelas fotos, pois foram tiradas de um aparelho celular e a resolução não é das melhores. Mas espero que sejam aproveitadas e ajudem a conservar a memória e a história tão rica dos caminhões do nosso país. Desculpe pelo longo texto, mas saiba que aqui há um grande fã do seu trabalho, e sempre que possível irá colaborar para o acervo do site.
Grande abraço e continue o excelente trabalho.”
LP-321 1 LP-321 2 Ford Big Job 1 Ford F-1

Mercedes-Benz LPS-1520

Há algum tempo atrás, nosso amigo Roberto Dias Alvares nos enviou uma coletânea de fotos de um caprichado Mercedes LPS-1520, em plena atividade.

Eis a mensagem que acompanhou as imagens:

“Evandro, boa tarde.

Este belíssimo Mercedes Benz 1520 6×2 super bem cuidado pertence ao Fabrício Primo de Uberlândia MG. Descobri que o bruto era dele pelo Facebook e entrei em contato.

Muito solícito, disponibilizou inclusive um vídeo do interior do caminhão.

Segundo o próprio Fabrício, a mecânica não é original. O motor é Scania 113 com 10 marchas.

Se achar interessante publicar as fotos do bruto no blog estão aí.

Ah, mais uma coisa. Em contato com o Fabrício, disse a ele que escreveria uma estória da estrada usando seu caminhão como personagem na trama.

A estória já ficou pronta e em breve envio ao blog.

Grato.

Roberto.”

Para maiores informações sobre o modelo, visite o link:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/mercedes-benz-caminhoes-catalogos/lp-321-331-1520/

Nota: além do conjunto propulsor Scania, dá para notar um parrudo eixo Mercedes HL-7 com redução nos cubos neste vetusto LPS-1520!

LPS1 LPS2 LPS3 LPS4 LPS5 LPS6 LPS7 LPS8

Chevrolet Spartan 100 – 1958 – Obra acabada!

Há algum tempo, nosso amigo Alberto Rocchi nos enviou imagens atualizadas da restauração de seu raro Chevrolet Spartan 100 traçado. Realmente ficou uma beleza. A cabina “Marta Rocha” é de grande harmonia de linhas e valoriza este inusitado exemplar.

A evolução da reforma pode ser acompanhada pelo link abaixo:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/fotos/fotos-dos-leitores/chevrolet-100-spartan/

É de tirar o chapéu o estado “antes” e “depois”!

Parabéns, Alberto, por salvar esta preciosidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Extra: Mercedes LP-331, um raro “milionário”

Encontrar um caminhão Mercedes-Benz LP-331 nos dias de hoje é um grande feito, sobretudo se for original e estiver em perfeitas condições de funcionamento. O acontecimento torna-se ainda mais especial se for um exemplar de 1965, quando apenas 350 deles foram produzidos em São Bernardo do Campo.

Mas, se estivermos falando de um caminhão único dono, com 800 mil quilômetros originais, sem reforma de motor, então o fato torna-se extraordinário.

Porém, não foi “apenas” isso que casualmente encontramos.

Em nossas andanças e pesquisas históricas, descobrimos em São Paulo, um caminhão Mercedes LP-331 1965 em excepcional estado de conservação, condecorado não com um, mas com dois brasões do fabricante: um de 800 mil quilômetros e outro de 1 milhão de quilômetros, em reconhecimento à sua quilometragem original, percorrida sem reforma total de motor.

Essa verdadeira joia pertence ao acervo do Museu de Polícia Militar do Estado de São Paulo e encontra-se armazenado na Reserva Técnica do Barro Branco, na capital paulista.

Incorporado “zero km” à frota da PM em 1965 e equipado com implemento tipo tanque para transporte de combustível, o LP-331 foi utilizado na distribuição de combustível entre as bases da polícia por todo estado.

Conduzido e zelado quase que exclusivamente pelo Cabo PM Norberto Borges dos Santos, o LP atravessou longos anos em excelente estado de conservação que o permitiu alcançar a admirável marca, sem “mexer” no motor.

O fato foi reconhecido pela própria Mercedes-Benz que concedeu o “Prêmio MB 800.000 km”, além de premiar o motorista com uma soma em dinheiro e uma viagem à Europa.

Depois disso, o Cabo Norberto Borges continuou a operar o 331, cuidando dele com todo carinho, como se fosse seu, permitindo que ele alcançasse a fenomenal marca de 1 milhão de quilômetros, sem reforma do motor. Novamente, a Mercedes reconheceu o fato extraordinário e concedeu o “Prêmio MB 1.000.00.000 km”.

Raras e inusitadas, ambas as premiações podem ser atestadas pelos brasões afixados na dianteira do caminhão, como mostram as imagens. Em que pese os bons cuidados que recebeu na PM, além do fato de rodar relativamente leve para seu porte, há que se recordar que tais marcas eram muito difíceis de atingir com a tecnologia dos anos 60, tanto dos motores, quanto dos lubrificantes (com baixo nível de aditivação) e mesmo das vias, em que as velocidades médias eram bem menores que as atuais, da ordem de 40 a 60 km/h, em geral.

Depois da baixa do Cabo Norberto da PM, a viatura tanque teve apenas mais dois motoristas antes de ser descarregada e entregue ao Museu há anos atrás. Embora tenha chegado rodando ao Museu, o veículo não teve a felicidade de ser posto em marcha novamente, nem tampouco de ver a luz do sol em desfiles ou eventos da Corporação.

Segundo o Diretor do Museu, o Coronel José Paulo Ferreira Teixeira, o grande obstáculo para a conservação e recuperação do Mercedes LP-331 é a falta de recursos específicos para este fim. Portanto, o Museu está empenhado em buscar parceiros que se interessem pela restauração desta preciosidade única.

“A viatura poderia ser restaurada pela própria Mercedes, que também poderia mantê-la em seu acervo histórico, como peça de destaque”, enfatiza o Coronel José Paulo, ou “mesmo por parceiros da iniciativa privada, como transportadoras que já se dedicam à recuperação de caminhões antigos e clássicos”.

“Estamos abertos a propostas de empresas sérias que conduzam a restauração e a preservação à altura do que esta viatura merece”, conclui o Coronel José Paulo.

De nossa parte aqui no site, faremos de tudo para divulgar este projeto entre os vários empresários donos de coleções de caminhões clássicos que já nos receberam para nossas pesquisas históricas, na esperança de que algum deles possa se interessar por este quinhão valioso de nossa saga automotiva.

Quem estiver interessado, deverá entrar em contato conosco, através do formulário deste post.

De dedos cruzados, desejamos sorte ao Museu de Polícia Militar neste nobre projeto de salvação do LP-331 “milionário”!

 

Nota: quem quiser saber mais sobre o LP-331, pode consultar o seguinte “link”:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/mercedes-benz-caminhoes-catalogos/lp-321-331-1520/lp-331/

LP331 1 LP331 1a LP331 2 LP331 3 LP331 5 LP331 6 LP331 7 LP331 8 LP331 0

 

Ford F-700 Americano – 1972

Nosso amigo Alberto Rocchi, que sempre colabora enviando fotos de seus achados, repetiu o feito, desta vez com mais uma descoberta inusitada, conforme ele mesmo relata:

“Evandro, talvez mais uma novidade. Encontrei em um desmanche um Ford F-700 1972, estava lá por uns dois anos anunciado como um Ford F-600 comum, mas de perto notei que se tratava de um veículo especial: era da massa falida da VARIG, um carro muito bem conservado, deveria ser da brigada de incêndio, ou esse caminhão trabalhava como escada de embarque e desembarque dos aviões. Ele tem suas rodas raiadas com 5 raios diferente do F-13000 que é 6 raios, direção hidráulica, câmbio automático com o painel igual da F-100 nacional, e um motor V8 a gasolina, muito bem conservado. Seguem algumas fotos para sua apreciação.

Um abraço. Alberto Rocchi.”

Alberto, grato por mais esta interessante colaboração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA