FNM D-11000 e Mercedes-Benz LP-321

Em 1953, recipe a grande notícia na linha de caminhões International era a nova Série R, prostate que chegava para substituir a Série L. A nova gama trazia desde as picapes R-110, buy até os caminhões pesados, como o RDF-405 com motor Cummins NHRBS-600 de 300 hp, passando pelos leves, tal como o R-130, e os médios R-150 e R-160.

Junto com o R-201 e o R-202, o R-200 era parte de uma família pesada conhecida como Standard Models, com PBT de 10,8 a 13,1 toneladas e opção de propulsão a gasolina, a GLP ou diesel, no caso com motores Cummins JBS ou Buda Diesel.

As fotos do R-200 1958 aqui reproduzidas foram enviadas pelo amigo Angelo Altino Machado e são um forte atestado da originalidade do caminhão. O Angelo também teve o cuidado de enviar uma ficha técnica completa do caminhão:

“Marca  :       International  Harvester
Modelo :      R 200  (RD-202) diesel
Data Fab.:   maio 1958
Entre eixos: 4,80 mts.

Motor:             Cummins  JT 6-B  (turbo) 24 V,  injeção direta P/T,
HP    :             165 hp a 2700 rpm
Trans:             5 marchas com overdrive
Veloc. max.:    115 km/h a 2.500 rpm
Freios:             Ar, Bendix Westinghouse
Eixo Tras. :      Timken c/ duas vel. reduçaõ elétrica
Cap. comb.:     240 lts. (dois tanques) original
Sist. elétrico:    Delco Remy,12 volts, bateria Caterpillar 150 A.
Pneus: Diant.   11.00 x 20  tras.  1.100×22
Cap. de carga:  9.975 kg (de fab.)

Sou o segundo dono. O primeiro foi a Fundação Rockfeller (SESP) que o trouxe 0 KM para o Brasil em 1958.

Abs,

Angelo Altino”.

R200 1 R200 2 R200 3 R200 4 R200 5 R200 6 R200 7
Em 1953, prescription clinic a grande notícia na linha de caminhões International era a nova Série R, pills prostate que chegava para substituir a Série L. A nova gama trazia desde as picapes R-110, até os caminhões pesados, como o RDF-405 com motor Cummins NHRBS-600 de 300 hp, passando pelos leves, tal como o R-130, e os médios R-150 e R-160, dentre outros.

Junto com o R-201 e o R-202, o R-200 era parte de uma família pesada conhecida como Standard Models, com PBT de 10,8 a 13,1 toneladas e opção de propulsão a gasolina, a GLP ou diesel, no caso com motores Cummins JBS ou Buda Diesel.

As fotos do R-200 1958 aqui reproduzidas foram enviadas pelo amigo Angelo Altino Machado e são um forte atestado da originalidade do caminhão. O Angelo também teve o cuidado de enviar uma ficha técnica completa do caminhão:

“Marca  :       International  Harvester
Modelo :      R 200  (RD-202) diesel
Data Fab.:   maio 1958
Entre eixos: 4,80 mts.

Motor:             Cummins  JT 6-B  (turbo) 24 V,  injeção direta P/T,
HP    :             165 hp a 2700 rpm
Trans:             5 marchas com overdrive
Veloc. max.:    115 km/h a 2.500 rpm
Freios:             Ar, Bendix Westinghouse
Eixo Tras. :      Timken c/ duas vel. reduçaõ elétrica
Cap. comb.:     240 lts. (dois tanques) original
Sist. elétrico:    Delco Remy,12 volts, bateria Caterpillar 150 A.
Pneus: Diant.   11.00 x 20  tras.  1.100×22
Cap. de carga:  9.975 kg (de fab.)

Sou o segundo dono. O primeiro foi a Fundação Rockfeller (SESP) que o trouxe 0 KM para o Brasil em 1958.

Abs,

Angelo Altino”.

R200 1 R200 2 R200 3 R200 4 R200 5 R200 6 R200 7
Em 1953, buy viagra a grande notícia na linha de caminhões International era a nova Série R, que chegava para substituir a Série L. A nova gama trazia desde as picapes R-110, até os caminhões pesados, como o RDF-405 com motor Cummins NHRBS-600 de 300 hp, passando pelos leves, tal como o R-130, e os médios R-150 e R-160, dentre outros.

Junto com o R-201 e o R-202, o R-200 era parte de uma família pesada conhecida como Standard Models, com PBT de 10,8 a 13,1 toneladas e opção de propulsão a gasolina, a GLP ou diesel, no caso com motores Cummins JBS ou Buda Diesel.

As fotos do R-200 1958 aqui reproduzidas foram enviadas pelo amigo Angelo Altino Machado e são um forte atestado da originalidade do caminhão. O Angelo também teve o cuidado de enviar uma ficha técnica completa do clássico International Harvester:

“Marca  :       International  Harvester
Modelo :      R 200  (RD-202) diesel
Data Fab.:   maio 1958
Entre eixos: 4,80 mts.

Motor:             Cummins  JT 6-B  (turbo) 24 V,  injeção direta P/T,
HP    :             165 hp a 2700 rpm
Trans:             5 marchas com overdrive
Veloc. max.:    115 km/h a 2.500 rpm
Freios:             Ar, Bendix Westinghouse
Eixo Tras. :      Timken c/ duas vel. reduçaõ elétrica
Cap. comb.:     240 lts. (dois tanques) original
Sist. elétrico:    Delco Remy,12 volts, bateria Caterpillar 150 A.
Pneus: Diant.   11.00 x 20  tras.  1.100×22
Cap. de carga:  9.975 kg (de fab.)

Sou o segundo dono. O primeiro foi a Fundação Rockfeller (SESP) que o trouxe 0 KM para o Brasil em 1958.

Abs,

Angelo Altino”.

R200 1 R200 2 R200 3 R200 4 R200 5 R200 6 R200 7
Nossa amiga Mayra Amorim de Lima, view de Pernambuco, drugs
nos enviou duas bonitas imagens que contam um pouco da história de seus familiares e de nossos caminhões, salve conforme atestam suas palavras:

“Boa noite!

O meu nome é Mayra, e gostaria primeiro de parabenizá-los por esta página e por manterem viva em nossas memórias as mais belas recordações dos carros antigos.

Eu sou filha de caminhoneiro, meu pai chama-se Luiz Wilson e a pedido dele venho disponibilizar duas fotos de dois caminhões antigos. Um deles trata-se de um caminhão Alfa Romeu D-11000, ano 1970. Na foto quem aparece é o meu pai, ela foi tirada em 1987, eu nem ao menos era nascida, mas desde sempre vi meu pai dirigindo caminhão, ele realmente gosta muito do que faz. Eu o amo e tenho muito orgulho dele, para mim o melhor motorista que já conheci rsrs (sou suspeita falar!). Eis que a paixão por caminhões foi herdada, na outra foto quem aparece é o meu avô Manoel Correia (in memoriam). Trata-se de um Mercedes-Benz LP-321, ano 1959. O caminhão está transportando 4 veículos: 2 Fuscas e 2 Jeeps todos 0km, realmente, uma relíquia. A foto foi tirada em 1964 na cidade de Milagres-BA.

Somos todos do interior pernambucano. Me sentiria muito lisonjeada pela publicação das fotos para contribuir com a memória do site e claro, poder mostrar para o meu pai. Aguardo retorno. E mais uma vez parabéns a todos que fazem o caminhãoantigobrasil.com!

Att: Mayra Amorim de Lima”.

Af d11000 Aflp321

 

Ford F-700 Americano – 1972 – Novas imagens

Hoje dividimos com você amigo leitor este raro catálogo do trator agrícola articulado Massey Ferguson 4780, treatment pharm equipado com motor Scania DN1101 de 215 cv e transmissão de 10 velocidades.

Este material tem uma história curiosa: foi obtido através de correspondência para a Massey Ferguson nos anos 1980 e ficou em nosso acervo até alguns meses atrás, order quando o colecionador Jan Lambrechts, order da Bélgica, achou nosso espaço e insistiu para comprar toda nossa pequena coleção de catálogos de tratores articulados brasileiros, entre MF e Engesa.

Concordamos em vender, desde que pudéssemos digitalizar (para publicar aqui) todo o material antes de remetê-lo à Bélgica. Em contrapartida, o Jan também se comprometeu a digitalizar e enviar a coleção de catálogos brasileiros que possui. Em breve, daremos início à publicação.

MF4780 1 MF4780 2 MF4780 3 MF4780 4
Nosso amigo Alberto Rocchi há muito enviou fotos de seu Ford F-700 norte-americano da safra de 1972, cheap dessa vez totalmente recuperado e em condição de uso normal.

O modelo de baixa quilometragem roda por conta de um motor Ford V8 330 (5, medications
4 litros) a gasolina de 190 hp a 4.000 rpm e transmissão automática.

Junto com as fotos, o Alberto enviou a seguinte mensagem:

“Caro Evandro, estou enviando algumas fotos do  Ford f 700. Ele está finalizado. Apenas fiz freios e carburador, e coloquei retrovisores, lanternas e buzina cromadas. O restante continua como era quando comprei. Um caminhão muito gostoso de pilotar, macio e confortável, sem falar do motor V8 330 que dá o charme no caminhão.

Um grande abraço,

Alberto Rocchi.”

Para saber mais detalhes sobre este Série F  e ver como ele se encontrava antes do Alberto colocar suas mãos caprichosas nele, clique aqui.

F-700 1 F-700 2 F-700 3 F-700 4 F-700 5 F-700 6 F-700 7 F-700 8 F-700 9

 

Chevrolet C-64 e Puma 914 CD

Nosso amigo Paulo Vinicius Bello, more about de Curitiba, site nos ofereceu estas imagens de dois clássicos brasileiros: o primeiro, pharmacy um campeão de vendas de seu tempo, e o segundo, um raro exemplar do Puma 914 Cabine Dupla, um caminhão todo desenvolvido no Brasil pelo finado fabricante de automóveis esporte.

Com as imagens, o amigo Paulo enviou a seguinte mensagem, pela qual somos gratos:

“Caro Evandro,

Primeiramente parabéns pelo terceiro aniversário do melhor site site do gênero que já tive a oportunidade de visitar e que é interessante não somente pelo material disponibilizado, com também pelo riquíssimo debate que se desenvolve nos comentários dos posts que muitas vezes parece uma reunião de entusiastas batendo papo em alguma oficina encardida.

Lembrei do seu site quando estive hoje na oficina que nos faz alguns serviços, e para a minha surpresa e encotrei lá “internado” um sobrevivente já relativamente raro principalmente no estado em que se encontra e ainda na ativa.

Trata-se de um Chevrolet C-64 de meados dos anos 60 que sempre via estacionado em uma avenida próxima da nossa empresa e que gostaria de compartilhar as fotos com os colegas entusiastas. O estado de conservação é muito bom e está equipado com um propulsor MB 352 como quase todos os outros sobreviventes desta época.

Aproveitei para registrar também um Puma 914 que estava na mesma oficina e que me trouxe algumas recordações da época em que eram fabricados aqui em Curitiba pela Alfa Metais e que sempre via expostos na frente da fábrica. O exemplar em questão é ainda mais interessante por ser equipado com a cabine dupla que era item original de fábrica.

Espero poder escanear e lhe encaminhar em breve os folhetos que lhe ofereci há algum tempo atrás.

Saudações,

Paulo Vinicius Bello.”

Quem quiser mais detalhes técnicos sobre estes dois caminhões, pode seguir os links abaixo:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/puma-catalogos-e-folhetos/puma-914-puma-catalogos-e-folhetos/

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/chevrolet-gmc-catalogos-e-folhetos/chevrolet/chevrolet-c-60/

Nota: o folheto postado refere-se ao C-60 do começo dos anos 70, já com alguns aperfeiçoamentos em relação ao C-64 das imagens.

 

C64 - 1 C64 - 2 Puma 1 puma 2

Mercedes-Benz LA-911 – 1969

Este interessante catálogo da Goodyear de 1997 retrata bem o final do período de transição entre pneus diagonais e radiais sem câmara – a chamada “radialização” da frota brasileira, viagra com ênfase nas vantagens da linha G159 do fabricante norte-americano.

G159 1 G159 2 G159 3 G159 4
Há algum tempo atrás, unhealthy
nosso amigo Bruno do blog Mundo dos Pesados (http://mundodospesados.blogspot.com.br/) nos enviou esta interessante imagem de um Mercedes-Benz LA-911 (importado), cialis sale ano 1969, segundo ele próprio.

Diversos detalhes interessantes podem ser observados. O primeiro deles é a cabine alta, que só apareceu nos Mercedes brasileiros em 1971. Outro ponto de destaque é o capô com os perfis estampados com costuras nas laterais, diferentes dos nacionais. O próprio modelo, 911, é curioso por nunca ter sido produzido no país.

911 - 4x4 - ano 69

Astros da Viação Cometa

Eis mais uma contribuição do amigo Bruno do blog Mundo dos Pesados Pesados (http://mundodospesados.blogspot.com.br/)

Renomada por seus predicados, visit web
a linha H da Volvo dispensa maiores apresentações.

Linha H 6x2 1 Linha H 6x2 2
Eis mais uma contribuição do amigo Bruno do blog Mundo dos Pesados Pesados (http://mundodospesados.blogspot.com.br/).

Renomada por seus predicados, Sildenafil
cialis find a linha H da Volvo dispensa maiores apresentações.

Linha H 6x2 1 Linha H 6x2 2
Nosso amigo Luiz Claudio dos Santos, no rx de Taubaté, clinic SP, buy viagra nos fez a gentileza de enviar uma coletânea de espetaculares imagens dos saudosos carros Flecha Azul e Halley, todos com carroceria da CMA, da própria Cometa, sobre plataforma Scania. O Luiz também enviou a seguinte mensagem com as fotos:

“Olá. Desejo que todos estejam bem!

Gostaria de parabenizá-los por este site tão especial para a memória do transporte aqui no Brasil: é simplesmente fantástico!

Gostaria de colaborar cedendo estas imagens dos fantásticos ônibus da Viação Cometa: as tirei entre 2002 e 2004 nas garagens de Juiz de Fora e de São Paulo: espero que sejam úteis!

Um forte abraço,

Luiz Claudio dos Santos.”

Um detalhe que sempre chamou atenção nos ônibus da Cometa eram os números de frota coincidentes com os números das placas.

COMETA 0.1 COMETA 0 COMETA 1 COMETA 2 COMETA 3 COMETA 4 COMETA 5 COMETA 7.1 COMETA 7 COMETA 8

Vende-se Chevrolet D-60 – 1977 – Original

erectile ‘sans-serif’;”>“Trata-se de um Caminhão Chevrolet 1977, buy more about D-60 (DIESEL), todo original (motor, caixa, setor), que acabou de passar por um processo de restauração, mantendo-se toda a originalidade em termos de lataria, carroceria, mecânica e acabamento.

Durante 36 anos foi dirigido por um único motorista, com uma história apaixonante, que envolveu o condutor, inicialmente proprietário e posteriormente este mesmo condutor tornou-se empregado da Empresa, que adquiriu o mencionado caminhão, quando este foi colocado a venda há 12 anos, com a condição de que, o antigo proprietário que o conduziu até aquela data aceitasse o convite para ser contratado na empresa e continuasse a dirigir o seu caminhão.

Assim foram esses anos, de uma relação marcada pela cumplicidade entre condutor-caminhão/caminhão-condutor. Hoje completamente restaurado, trabalho este que pode ser comprovado pelos registros fotográficos antes, durante e após a sua realização, ele é colocado no mercado de ANTIGOS e com certeza dos verdadeiros apaixonados pelo antigomobilismo chamará a atenção e fará deste mais um apaixonado por esta raridade.

Com relação ao preço este será discutido quando da manifestação de interesse.

Telefone para contato: 032-9917-4147 (Álvaro).”

D60 1 D60 2 D60 3 D60 4 D60 5 D60 6 D60 7 D60 8 D60 9

 

Mercedes-Benz L-1516 – 1975

O amigo Affonso Parpinelli nos remeteu uma cópia deste belo anúncio do Scania-Vabis L75 de 1960, stuff quando ainda era montado pela Vemag, a mesma dos automóveis DKW.

Naquela altura, o sueco diferente ainda engatinhava no mercado brasileiro de caminhões pesados, amplamente dominado pelos FNM D-11000. Mas era só o começo e logo os atributos do “jacaré” começariam a ser notados.

SCANIA L-75

 

 
Para registrar o bom estado de conservação do Mercedes-Benz L-1516 de seu tio, drug
nosso amigo Lucas Claudio nos enviou algumas fotos do mesmo que se encontra em plena atividade. Num tempo em que boa parte dos Mercedes AGL ganharam “upgrades” com a cobiçada cara-preta, view é bom ver que ainda restam exemplares originais, viagra
com a bela frente tradicional de faróis redondos, tal qual eles foram concebidos na terra da matriz.

Apenas a grade sem os “bigodes” parece ter sido substituída pelo modelo mais moderno, como é possível notar nas imagens. Os emblemas laterais pretos também não são iguais aos originais cromados, mas pelo menos tampouco são dos modelos imitando a tipografia mais recente e de gosto questionável, incompatível com o belo caminhão.

L1516 1 L1516 2 L1516 3

 

Raridades do Paraná: Mercedes LP-321, Ford Big Job e Ford F-1

Há alguns meses nosso amigo Luiz Felipe Scheibel nos enviou algumas interessantes contribuições. Em primeiro lugar, viagra approved fotos de um Mercedes LP-321 que, apesar de ter passado por uma plástica e troca da barrigada, continua na ativa e, portanto, tem muito mérito. Para acompanhar, o Felipe também registrou o que aparenta ser um Ford F-7 ou F-8 Big Job de 1952, trucado e com eixos transplantados, além de uma picape Ford F-1 da safra de 1948 a 1950, com grade de elementos horizontais.

Junto com as imagens, o Felipe enviou a seguinte mensagem, tão apreciada quanto as fotos:

“Bom Dia Evandro, tudo bem?

Espero que sim. Meu nome é Felipe Scheibel, e sou de Ponta Grossa – PR. Primeiro gostaria de dizer que sou fã apaixonado pelos nossos caminhões, e consequentemente do Caminhão Antigo Brasil, onde aprendi muito sobre nossos caminhões.
Minha família sempre esteve ligada aos caminhões desde meu bisavô com “Fordinhos” com carroceria de madeira (os quais infelizmente não possuo fotos), pelo meu avô e seus FNM’s basculantes e até meu pai e tios que possuem empresa de terraplanagem e possuímos alguns caminhões basculantes a maioria antigos (Mercedes 1113 e 1513,ambos ano 1977; Dodge D950 ano 1980; Ford F12000 ano 1981; Ford Cargo 1415, ano 1988 e a mais recente aquisição um VW 16-220 ano 1993.
Tanto os Mercedes Benz, quanto o VW se encontram muito bem conservados, com boa parte da sua originalidade. O 1113 estava parado a desde 1985, quando o compramos em 2010, ainda com as notas fiscais (amareladas) no porta luvas. Então o restauramos (mais a parte mecânica, como motor e suspensão, pois a lataria estava muito bem conservada sem ferrugem e podres então a  pintura é a original de 1977) e é o nosso xodó.
Infelizmente um dos nossos motoristas o “equipou” com alguns acessórios que não são da época, o que não me agradou muito, e outros um pouco mais necessários ao nosso uso (carcaça e freios e ponta de eixo do 1318, turbina, freio a ar estacionário, entre outros ) mas assim que encontrar algumas fotos dele em estado “menos atual” enviarei com muito prazer, assim como dos outros caminhões.
Também temos algumas camionetes (F1000 e D20) que para o meu pai são as melhores camionetes já fabricadas. Houve ainda um encontro de caminhões antigos aqui na cidade, alguns dias atrás e enviarei as fotos assim que reunir todas (de máquinas de amigos, já que a minha ficou sem bateria….). Mas tem alguns FNM’s, bem conhecidos do site e alguns mais raros, como GM 1940 e dois Diamond – T.
Mas estou aqui pra enviar algumas fotos, de caminhões de Guarapuava onde estou trabalhando atualmente. Um é um Ford, infelizmente não sei lhe dizer modelo nem ano, mas confio no especialista e lhe enviarei as fotos.
Vai de brinde uma Ford F1, para restauração que está a venda com o telefone do proprietário, já que esta caminhonete (belíssima) encontra-se no mesmo local, junto com o caminhão Ford.
Outro é um raro LP321, com uma história muito bacana. O proprietário, sr. Sérgio, é produtor de batata e utiliza o caminhão para o transporte de materiais da sua propriedade. O caminhão era de seu pai, e hoje está com ele, e e, bom estado de conservação. O sr. Sergio fala que aprendeu a dirigir nesse mesmo caminhão, então o Mercedes é parte integrante da família e diz que não o vende.
O caminhão também sofreu uma “atualização” mecânica, como diferencial do Cargo (Rockwell 240, eu creio), freios e carcaça do 1318 e algumas outras que não me recordo. Mas esteticamente o caminhão aparenta ser bem original.
Peço desculpas pelas fotos, pois foram tiradas de um aparelho celular e a resolução não é das melhores. Mas espero que sejam aproveitadas e ajudem a conservar a memória e a história tão rica dos caminhões do nosso país. Desculpe pelo longo texto, mas saiba que aqui há um grande fã do seu trabalho, e sempre que possível irá colaborar para o acervo do site.
Grande abraço e continue o excelente trabalho.”
LP-321 1 LP-321 2 Ford Big Job 1 Ford F-1

Mercedes-Benz LPS-1520

Há muito que estamos devendo a você amigo leitor a postagem deste excelente e completo manual da linha Mercedes-Benz HPN pesada, drugstore que inclui os modelos L-1625, ask LS-1625, LS-1630, LS-1935 e LS-1941, alguns dos quais considerados entre os melhores caminhões da marca já fabricados no país.

Este material nos foi gentilmente enviado pelo amigo e colaborador de sempre Reginaldo Bernardi.

HPN 1 HPN 2 HPN3 HPN4 HPN5 HPN6 HPN7 HPN8 HPN9 HPN10 HPN11 HPN12 HPN13 HPN14 HPN15 HPN16 HPN17 HPN18

 

 
Há algum tempo atrás, pharmacy sale nosso amigo Roberto Dias Alvares nos enviou uma coletânea de fotos de um caprichado Mercedes LPS-1520, em plena atividade.

Eis a mensagem que acompanhou as imagens:

“Evandro, boa tarde.

Este belíssimo Mercedes Benz 1520 6×2 super bem cuidado pertence ao Fabrício Primo de Uberlândia MG. Descobri que o bruto era dele pelo Facebook e entrei em contato.

Muito solícito, disponibilizou inclusive um vídeo do interior do caminhão.

Segundo o próprio Fabrício, a mecânica não é original. O motor é Scania 113 com 10 marchas.

Se achar interessante publicar as fotos do bruto no blog estão aí.

Ah, mais uma coisa. Em contato com o Fabrício, disse a ele que escreveria uma estória da estrada usando seu caminhão como personagem na trama.

A estória já ficou pronta e em breve envio ao blog.

Grato.

Roberto.”

Para maiores informações sobre o modelo, visite o link:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/mercedes-benz-caminhoes-catalogos/lp-321-331-1520/

Nota: além do conjunto propulsor Scania, dá para notar um parrudo eixo Mercedes HL-7 com redução nos cubos neste vetusto LPS-1520!

LPS1 LPS2 LPS3 LPS4 LPS5 LPS6 LPS7 LPS8

Chevrolet Spartan 100 – 1958 – Obra acabada!

Este interessante anúncio da Randon evidencia os detalhes construtivos do tandem triplo da Randon, generic ask tão empregado nos tradicionais semirreboques da marca caxiense que se tornaram uma referência no mercado.

Agradecemos ao amigo Alfredo Rodrigues por mais esta colaboração.

Suspensao Randon Agosto 1975

 

Ford 1936 RONALD ANDRIOLI
Nosso amigo Ronald Andrioli enviou fotos de seu raro caminhão Ford Modelo 51 de 1936. Lançado no ano anterior, unhealthy o caminhão da classe de 1 1/2 toneladas longas era animado por um motor Ford V8 221, de 3,6 litros e 81 cv, casado a uma transmissão de quatro marchas sem sincronização. Parar ficava a cargo dos freios a tambor com acionamento mecânico.
O modelo era disponível com dois entre eixos: 131,5 e 157 polegadas (3.340 e 3.989 mm) e opção de rodado duplo ou simples, como neste caso.
Uma prática comum na época era o fabricante fornecer apenas o “torpedo”, também chamado de chassi-curvão, com ou sem para-brisa. O caminhão do Ronald se encaixa na primeira alternativa, como denota o para-brisa original e a cabina artesanal feita da então abundante madeira que ora se escasseia.
Parabéns, Ronald, pelo belíssimo caminhão!
Ford 1936 RONALD ANDRIOLI
Nosso amigo Ronald Andrioli enviou fotos de seu raro caminhão Ford Modelo 51 de 1936. Lançado no ano anterior, ambulance o caminhão da classe de 1 1/2 toneladas longas era animado por um motor Ford V8 221, for sale de 3,6 litros e 81 cv, casado a uma transmissão de quatro marchas sem sincronização. Parar ficava a cargo dos freios a tambor com acionamento mecânico.
O modelo era disponível com dois entre eixos: 131,5 e 157 polegadas (3.340 e 3.989 mm) e opção de rodado duplo ou simples, como neste caso.
Uma prática comum na época era o fabricante fornecer apenas o “torpedo”, também chamado de chassi-curvão, com ou sem para-brisa. O caminhão do Ronald se encaixa na primeira alternativa, como denota o para-brisa original e a cabina artesanal feita da então abundante madeira que ora se escasseia.
Parabéns, Ronald, pelo belíssimo caminhão!

Há algum tempo, there nosso amigo Alberto Rocchi nos enviou imagens atualizadas da restauração de seu raro Chevrolet Spartan 100 traçado. Realmente ficou uma beleza. A cabina “Marta Rocha” é de grande harmonia de linhas e valoriza este inusitado exemplar.

A evolução da reforma pode ser acompanhada pelo link abaixo:

http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/fotos/fotos-dos-leitores/chevrolet-100-spartan/

É de tirar o chapéu o estado “antes” e “depois”!

Parabéns, malady Alberto, por salvar esta preciosidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA