FNM D-11000 e Mercedes-Benz LP-321

Em 1953, recipe a grande notícia na linha de caminhões International era a nova Série R, prostate que chegava para substituir a Série L. A nova gama trazia desde as picapes R-110, buy até os caminhões pesados, como o RDF-405 com motor Cummins NHRBS-600 de 300 hp, passando pelos leves, tal como o R-130, e os médios R-150 e R-160.

Junto com o R-201 e o R-202, o R-200 era parte de uma família pesada conhecida como Standard Models, com PBT de 10,8 a 13,1 toneladas e opção de propulsão a gasolina, a GLP ou diesel, no caso com motores Cummins JBS ou Buda Diesel.

As fotos do R-200 1958 aqui reproduzidas foram enviadas pelo amigo Angelo Altino Machado e são um forte atestado da originalidade do caminhão. O Angelo também teve o cuidado de enviar uma ficha técnica completa do caminhão:

“Marca  :       International  Harvester
Modelo :      R 200  (RD-202) diesel
Data Fab.:   maio 1958
Entre eixos: 4,80 mts.

Motor:             Cummins  JT 6-B  (turbo) 24 V,  injeção direta P/T,
HP    :             165 hp a 2700 rpm
Trans:             5 marchas com overdrive
Veloc. max.:    115 km/h a 2.500 rpm
Freios:             Ar, Bendix Westinghouse
Eixo Tras. :      Timken c/ duas vel. reduçaõ elétrica
Cap. comb.:     240 lts. (dois tanques) original
Sist. elétrico:    Delco Remy,12 volts, bateria Caterpillar 150 A.
Pneus: Diant.   11.00 x 20  tras.  1.100×22
Cap. de carga:  9.975 kg (de fab.)

Sou o segundo dono. O primeiro foi a Fundação Rockfeller (SESP) que o trouxe 0 KM para o Brasil em 1958.

Abs,

Angelo Altino”.

R200 1 R200 2 R200 3 R200 4 R200 5 R200 6 R200 7
Em 1953, prescription clinic a grande notícia na linha de caminhões International era a nova Série R, pills prostate que chegava para substituir a Série L. A nova gama trazia desde as picapes R-110, até os caminhões pesados, como o RDF-405 com motor Cummins NHRBS-600 de 300 hp, passando pelos leves, tal como o R-130, e os médios R-150 e R-160, dentre outros.

Junto com o R-201 e o R-202, o R-200 era parte de uma família pesada conhecida como Standard Models, com PBT de 10,8 a 13,1 toneladas e opção de propulsão a gasolina, a GLP ou diesel, no caso com motores Cummins JBS ou Buda Diesel.

As fotos do R-200 1958 aqui reproduzidas foram enviadas pelo amigo Angelo Altino Machado e são um forte atestado da originalidade do caminhão. O Angelo também teve o cuidado de enviar uma ficha técnica completa do caminhão:

“Marca  :       International  Harvester
Modelo :      R 200  (RD-202) diesel
Data Fab.:   maio 1958
Entre eixos: 4,80 mts.

Motor:             Cummins  JT 6-B  (turbo) 24 V,  injeção direta P/T,
HP    :             165 hp a 2700 rpm
Trans:             5 marchas com overdrive
Veloc. max.:    115 km/h a 2.500 rpm
Freios:             Ar, Bendix Westinghouse
Eixo Tras. :      Timken c/ duas vel. reduçaõ elétrica
Cap. comb.:     240 lts. (dois tanques) original
Sist. elétrico:    Delco Remy,12 volts, bateria Caterpillar 150 A.
Pneus: Diant.   11.00 x 20  tras.  1.100×22
Cap. de carga:  9.975 kg (de fab.)

Sou o segundo dono. O primeiro foi a Fundação Rockfeller (SESP) que o trouxe 0 KM para o Brasil em 1958.

Abs,

Angelo Altino”.

R200 1 R200 2 R200 3 R200 4 R200 5 R200 6 R200 7
Em 1953, buy viagra a grande notícia na linha de caminhões International era a nova Série R, que chegava para substituir a Série L. A nova gama trazia desde as picapes R-110, até os caminhões pesados, como o RDF-405 com motor Cummins NHRBS-600 de 300 hp, passando pelos leves, tal como o R-130, e os médios R-150 e R-160, dentre outros.

Junto com o R-201 e o R-202, o R-200 era parte de uma família pesada conhecida como Standard Models, com PBT de 10,8 a 13,1 toneladas e opção de propulsão a gasolina, a GLP ou diesel, no caso com motores Cummins JBS ou Buda Diesel.

As fotos do R-200 1958 aqui reproduzidas foram enviadas pelo amigo Angelo Altino Machado e são um forte atestado da originalidade do caminhão. O Angelo também teve o cuidado de enviar uma ficha técnica completa do clássico International Harvester:

“Marca  :       International  Harvester
Modelo :      R 200  (RD-202) diesel
Data Fab.:   maio 1958
Entre eixos: 4,80 mts.

Motor:             Cummins  JT 6-B  (turbo) 24 V,  injeção direta P/T,
HP    :             165 hp a 2700 rpm
Trans:             5 marchas com overdrive
Veloc. max.:    115 km/h a 2.500 rpm
Freios:             Ar, Bendix Westinghouse
Eixo Tras. :      Timken c/ duas vel. reduçaõ elétrica
Cap. comb.:     240 lts. (dois tanques) original
Sist. elétrico:    Delco Remy,12 volts, bateria Caterpillar 150 A.
Pneus: Diant.   11.00 x 20  tras.  1.100×22
Cap. de carga:  9.975 kg (de fab.)

Sou o segundo dono. O primeiro foi a Fundação Rockfeller (SESP) que o trouxe 0 KM para o Brasil em 1958.

Abs,

Angelo Altino”.

R200 1 R200 2 R200 3 R200 4 R200 5 R200 6 R200 7
Nossa amiga Mayra Amorim de Lima, view de Pernambuco, drugs
nos enviou duas bonitas imagens que contam um pouco da história de seus familiares e de nossos caminhões, salve conforme atestam suas palavras:

“Boa noite!

O meu nome é Mayra, e gostaria primeiro de parabenizá-los por esta página e por manterem viva em nossas memórias as mais belas recordações dos carros antigos.

Eu sou filha de caminhoneiro, meu pai chama-se Luiz Wilson e a pedido dele venho disponibilizar duas fotos de dois caminhões antigos. Um deles trata-se de um caminhão Alfa Romeu D-11000, ano 1970. Na foto quem aparece é o meu pai, ela foi tirada em 1987, eu nem ao menos era nascida, mas desde sempre vi meu pai dirigindo caminhão, ele realmente gosta muito do que faz. Eu o amo e tenho muito orgulho dele, para mim o melhor motorista que já conheci rsrs (sou suspeita falar!). Eis que a paixão por caminhões foi herdada, na outra foto quem aparece é o meu avô Manoel Correia (in memoriam). Trata-se de um Mercedes-Benz LP-321, ano 1959. O caminhão está transportando 4 veículos: 2 Fuscas e 2 Jeeps todos 0km, realmente, uma relíquia. A foto foi tirada em 1964 na cidade de Milagres-BA.

Somos todos do interior pernambucano. Me sentiria muito lisonjeada pela publicação das fotos para contribuir com a memória do site e claro, poder mostrar para o meu pai. Aguardo retorno. E mais uma vez parabéns a todos que fazem o caminhãoantigobrasil.com!

Att: Mayra Amorim de Lima”.

Af d11000 Aflp321

 

FNM D-11000

Parte do pacote gentilmente enviado pelo amigo Reginaldo Bernardi, clinic trazemos hoje este interessante manual das transmissões Mercedes-Benz leves e médias dos anos setenta.

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
Nosso amigo Guybor Kun, there
do Rio Grande do Sul, sales nos fez a gentileza de enviar fotos de um FNM D-11000, capsule com as seguintes explanações:

“Desculpe a pouca qualidade das fotos, mas foram feitas com um celular V3 do tempo que fazia manutenções em redes de informática, nas cercanias de Viamão, região metropolitana de Porto Alegre por volta de dezembro de 2007.
O referido caminhão guincho ficava defronte a um CFC ( centro de formação de condutores) na beira da avenida e as fotos foram feitas com consentimento do dono.

Bom proveito e assim que possível, envio alguns trabalhos em miniaturas também.
Abraço.
                                           Guybor Kun.”
Obrigado, amigo!
10-12-07_1458 10-12-07_1459 10-12-07_1500 10-12-07_1501 10-12-07_1503

FNM D-11000 em plena atividade…

Nosso amigo e colaborador frequente Daniel Giraldi, buy de Porto Alegre, try RS, buy more about
 nos enviou estas fotos de um picape Chevrolet S-10 convertido para ambulância, ainda em uso sobretudo em cidades do interior. Talvez o registro do Daniel não chame muito a atenção, mas estas imagens certamente retratam uma categoria de conversão que, com a chegada dos furgões integrais, está fadada a desaparecer, daí sua importância histórica no mundo dos veículos comerciais leves.
“Vi essa ambulância em frente à famosa Lancheria do Parque. S-10 Flexpower nesse serviço até não é tão incomum, já vi umas 3 aqui pela região (devido à localização de alguns hospitais de referência como o HPS, o Clínicas, a Santa Casa e o Moinhos de Vento aqui por perto)”.
Obrigado, Daniel, pela atenção em nos enviar estas imagens.
S10 AMB 1 S10 AMB 2

Mais uma colaboração do amigo Daniel Giraldi, site de Porto Alegre, medicine RS: “E esse dispensa maiores apresentações. Vi passando na frente daquele condomínio que fica do lado duma concessionária Fiat na Av. Ipiranga, unhealthy bem perto da PUC”.

O lendário “D-11” será sempre bem-vindo por estas páginas.

Obrigado, Daniel!

D11

Scania L75 e FNM D-11000

Dando continuidade à postagem do referido manual, health nosso amigo e incansável colaborador Daniel Shimomoto de Araujo nos brindou com mais páginas desta interessante literatura sobre os populares Mercedes-Benz “Cara Preta”.

Anteriormente, cheap foram postadas 4 partes, que você encontra aqui: http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/manuais-tecnicos/mercedes-benz-manuais-tecnicos/manual-de-instrucoes-da-linha-media-e-semipesada-1987/

Desta vez postaremos outras 4, identificadas de 5/8 até 8/8.

Esperamos que seja de bom proveito!

MBB Manual Medios e Semipesados-37 MBB Manual Medios e Semipesados-38 MBB Manual Medios e Semipesados-39 MBB Manual Medios e Semipesados-40 MBB Manual Medios e Semipesados-41 MBB Manual Medios e Semipesados-42 MBB Manual Medios e Semipesados-43 MBB Manual Medios e Semipesados-44 MBB Manual Medios e Semipesados-45

 
Se você, help como nós, prescription gosta de desenhar caminhões, ônibus, tratores, picapes, utilitários e máquinas em geral, acaba de encontrar um espaço para publicar seus trabalhos.

Valem também pinturas, croquis, rascunhos, mesmo que seja de seu filho!

A ideia é resgatar esse nosso lado artístico e/ou infantil, que traz nossa criatividade à tona.

Envie seu material para: caminhao.brasil@hotmail.com e teremos prazer em publicar seu trabalho para que centenas de pessoas possam apreciá-lo diariamente.

 

 

 

Esta semana tivemos a honra de receber a primeira colaboração feminina do site!
A Denise Chagas Baccon nos fez a gentileza de enviar imagens de caminhões de seu sogro e seu esposo, discount que publicamos a seguir, rx junto com suas explanações:
“Olá Evandro, troche seguem as fotos, a 1ª é o Pai do meu esposo Reinaldo Baccon, seu João Francisco Baccon, já falecido, com sua Scania L75/1959.
As outras, são os FNMs, meu esposo Reinaldo Baccon fanático por eles, o bege é D11000 ano 1963, o cavalo é um D11000 ano 1970, e o amarelo é outro D11000 ano 1972….
Denise Baccon”
Denise, obrigado pela simpatia e parabéns por ser a primeira mulher a colaborar com este espaço dedicado à memória do caminhão antigo nacional!
SCANIA L75 FNM D11000 1 FNM D11000 2 FNM D11000 3

FNM D-11000 – 1970

1618M 2
Hoje ninguém mais questiona o fato de os caminhões de 16-17 toneladas de PBT serem equipados com motores de quatro cilindros.

Mas na época em que o 1618M foi lançado, generic com seu “pequeno” motor eletrônico OM-904 LA de 170 cv e “apenas” quatro cilindros, a reação de muitos foi a negação ou o pessimismo, especialmente em se tratando de uma aplicação tão severa quanto a coleta de resíduos urbanos. Uma das piores que um caminhão pode enfrentar. Anda e pára constante, sobrecarga e, para finalizar, os rigores da descarga nos aterros sanitários, um verdadeiro “off-road”. Embreagens, transmissões e eixos sofrem ao extremos, junto com o motor.

O tempo se encarregou de provar que a receita funcionava e os concorrentes aderiram à moda, com o Cargo 1717e e o VW 17.180E Worker, também impulsionados por engenhos de quatro cilindros na faixa de quatro litros de cilindrada.
Hoje ninguém mais questiona o fato de os caminhões de 16-17 toneladas de PBT serem equipados com motores de quatro cilindros.

Mas na época em que o 1618M foi lançado, remedy com seu “pequeno” motor eletrônico OM-904 LA de 170 cv e “apenas” quatro cilindros, online a reação de muitos foi a negação ou o pessimismo, mind especialmente em se tratando de uma aplicação tão severa quanto a coleta de resíduos urbanos. Uma das piores que um caminhão pode enfrentar. Anda e pára constante, sobrecarga e, para finalizar, os rigores da descarga nos aterros sanitários, um verdadeiro “off-road”. Embreagens, transmissões e eixos sofrem ao extremo, junto com o motor.

O tempo se encarregou de provar que a receita funcionava e os concorrentes aderiram à moda, com o Cargo 1717e e o VW 17.180E Worker, também impulsionados por engenhos de quatro cilindros na faixa de quatro litros de cilindrada.

 
Nosso leitor Otto Humberto Faião Schiffel nos fez a gentileza de enviar fotos de seu belo FNM D-11000 azul, shop 1970, link
em processo de restauração. Segundo Otto, o FNM é quase todo original, precisando principalmente de um repasse no sistema elétrico, cujo esquema foi por nós postado, a seu pedido.

Caro Otto, obrigado pelas bonitas imagens deste verdadeiro ícone do transporte rodoviário de cargas nacional!