Volkswagen 15.210 4×4

C  (2) C  (3) C  (5) C  (6) C  (8) C  (9) C  (11) C  (12) C  (15) Caixa de Transfer+¬ncia

Nosso amigo Guybor Jan-Maurício Brasil Kun de Porto Alegre, RS, nos fez a gentileza de enviar imagens de um Volkswagen 15.210 4×4 novo em folha, em vias de ser entregue em seu novo lar, possivelmente em alguma divisão do Exército Brasileiro no Sul do país.

Apesar deste site por critério só incluir material sobre caminhões fora de linha, o 15.210 mereceu uma exceção, por se tratar de um “antigo” modelo Euro 2, que continua em plena produção, mesmo com os rigores do Proconve P7, aplicáveis aos caminhões civis desde 2012.

Como discutido neste espaço nos últimos dias, os caminhões militares podem ser isentos da necessidade de atender os limites do Proconve P7, como sugere o Artigo No. 25, da Resolução 315/02 do Conama, que originalmente estabelecia as datas para a natimorta fase P6, substituída pelo TAC – Termo de Ajuste de Conduta, de outubro de 2008 e, mais tarde, pela Resolução 403/08, que enfim fincava os parâmetros e as datas da fase P7, implementada em janeiro de 2012.

As vantagens dos motores mecânicos Euro 2 em veículos militares são diversas, como a maior robustez do motor face aos combustíveis de alto teor de enxofre, possíveis de ser encontrados em situações remotas, extremadas e/ou de conflitos, sem falar da menor chance de interferências eletromagnéticas, as quais podem vitimar os motores eletrônicos. Outra vantagem é comercial, pois possibilita a exportação destas viaturas para países que ainda não contam com diesel de baixo enxofre, ou estão num patamar de emissões anterior ao Euro 5.

O caminhão 15.210 flagrado pelo amigo Guybor é a prova deste fato. Apesar de ser novo, o veículo atende a norma Euro 2, com seu motor MWM 6.10TCA, de 6,45 litros, 206 cv e 657 Nm. Também fazem parte de seu trem de força a transmissão Eaton FS-5406A, de seis marchas e 9,0:1 de redução, a caixa de transferência Marmon-Herrington MVG 750, de duas velocidades (1,0 e 2,0:1), o eixo dianteiro da mesma tradicional marca, modelo MT-11, e o traseiro Meritor MS 23-145 com diferencial blocante, ambos com relação de 5,29:1.

Apoiado em pneus militares 12.00 x 20, o 15.210 tem peso em ordem de marcha estimado em 5.200 kg e PBT de 15.000 kg.

Observe a lanterna traseira com o novo estilo estreado junto com a linha Euro 5 da Volkswagen.

Extra: um Mercedes-Benz LS-1933 AGL de Cabina Simples

LS1933 1 LS1933 2 LS-1933 3 LS-1933 4 LS-1933 5

Nosso amigo André Giori do Espírito Santo foi assertivo ao capturar estas ótimas imagens de um inusitado e intrigante Mercedes LS-1933 AGL “cara preta” de cabina simples.

O caminhão suscita inúmera hipóteses. Seria um veículo especial? Seria um pedido específico das forças armadas? Seria um LS-1924 de cabina simples travestido de LS-1933, com direito a “cara-preta” e tudo mais? Lembrando que o LS-1933 só aparecia na literatura de sua época com 4.200 mm entre eixos e cabina leito. O entre eixos parece ter sido alongado, como ocorre em muitos cavalos “idosos”, mas a cabina é realmente “mosca branca”. Note os para-lamas, com desenho específico, talvez parte do suposto pedido especial.

Se algum leitor tiver maiores informações sobre este curioso Mercedes, por favor, entre em contato conosco.

 

Chevrolet Spartan Série 100 – 1958

Nosso amigo Alberto Rocchi nos tem mantido atualizados sobre os passos da completa reforma por que passa seu raro Chevrolet 100 Spartan 6×4, ano 1958, já mostrado aqui e também aqui anteriormente.

Como é possível observar, o coração do “Chevy” será um lendário Mercedes OM-352.

Obrigado, Alberto, por compartilhar imagens desta bela restauração. Parabéns pelo progresso!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

FNM D-11000

Nosso amigo Guybor Kun, do Rio Grande do Sul, nos fez a gentileza de enviar fotos de um FNM D-11000, com as seguintes explanações:

“Desculpe a pouca qualidade das fotos, mas foram feitas com um celular V3 do tempo que fazia manutenções em redes de informática, nas cercanias de Viamão, região metropolitana de Porto Alegre por volta de dezembro de 2007.
O referido caminhão guincho ficava defronte a um CFC ( centro de formação de condutores) na beira da avenida e as fotos foram feitas com consentimento do dono.

Bom proveito e assim que possível, envio alguns trabalhos em miniaturas também.
Abraço.
                                           Guybor Kun.”
Obrigado, amigo!
10-12-07_1458 10-12-07_1459 10-12-07_1500 10-12-07_1501 10-12-07_1503

FNM D-11000 em plena atividade…

Mais uma colaboração do amigo Daniel Giraldi, de Porto Alegre, RS: “E esse dispensa maiores apresentações. Vi passando na frente daquele condomínio que fica do lado duma concessionária Fiat na Av. Ipiranga, bem perto da PUC”.

O lendário “D-11″ será sempre bem-vindo por estas páginas.

Obrigado, Daniel!

D11

Chevrolet S-10 Ambulância

Nosso amigo e colaborador frequente Daniel Giraldi, de Porto Alegre, RS, nos enviou fotos de um picape Chevrolet S-10 convertido para ambulância, ainda em uso, sobretudo, em cidades do interior. Talvez o registro do Daniel não chame muito a atenção, mas estas imagens certamente retratam uma categoria de conversão que, com a chegada dos furgões integrais, está fadada a desaparecer, daí sua importância histórica no mundo dos veículos comerciais leves.
“Vi essa ambulância em frente à famosa Lancheria do Parque. S-10 Flexpower nesse serviço até não é tão incomum, já vi umas 3 aqui pela região (devido à localização de alguns hospitais de referência como o HPS, o Clínicas, a Santa Casa e o Moinhos de Vento aqui por perto)”.
Obrigado, Daniel, pela atenção em nos enviar estas imagens.
S10 AMB 1 S10 AMB 2

Scania R112 H 6×2 com faixas verdes

Nosso amigo Geremias Fernandes nos brindou com imagens que mostram as raras faixas verdes que ornamentaram os Scanias da Série 2. Apesar das fotos serem de um caminhão europeu, nós também já avistamos tais modelos rodando no Brasil. Lástima que não tínhamos uma câmera à mão!

Obrigado, Geremias!

Bom final de semana.

312704_444155395660307_1286867006_n 601464_444155405660306_1116190320_n

 

Chevrolet 6500 – 1954

Nosso amigo Sérgio Rodrigues nos fez uma grande gentileza de enviar as fotos de seu projeto de restauração de um bonito Chevrolet “Advance Design”, mais conhecido por aqui como “Boca de Bagre”, da última série, antes de ser substituída pela “Marta Rocha”. Pelo andar da carruagem, o resultado está ficando espetacular.

“Estou lhe enviando algumas fotos do Chevrolet 6500 ano 1954, que estamos recuperando há cinco anos, retiramos ele no meio do mato rodeado por pés de girassóis, as primeiras fotos são do local, estava até charmoso, mas prefiro vê-lo recuperado na nossa oficina, e agora divide espaço com uma Rural 1967 que está quase pronta.
      
Abraço,
  
Sérgio.”

 

Que bom que o Sérgio salvou este belo caminhão clássico de virar adubo para as plantas!

 

Parabéns!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Ford Cargo 1415 6×6 e Mercedes LK-2213 6×6

Nosso amigo Bruno Dallanora, de Cacequi-RS, nos enviou um pacotão com fotos interessantíssimas de duas conversões para 6×6 realizadas com um Ford Cargo e um Mercedes “Cara-Preta”, de modo a atender às necessidades de seu negócio de extração de areia. Os caminhões normais não conseguem operar na areia fofa, enquanto que os dois caminhões basculantes com tração adicional e pneus de alta flutuação (igual aos empregados por algumas usinas de cana e na distribuição de calcário em lavouras) trafegam com tranquilidade, mesmo com carga plena.

O Cargo sofreu uma metamorfose ao ter seu chassi original cortado no entre-eixos para depois ser anexado à secção traseira de um Cargo 6×4, com dois eixo motrizes.

O eixo dianteiro foi aproveitado de um VW 15.210 4×4 militar e a caixa de transferência veio de um Mercedes 6×6.

O Bruno nos forneceu mais informações, conforme reproduzidas abaixo:

Cargo 1415 6×6:

“Motor Ford 6.6 turbo 180 cv;
Cambio Eaton 5 marchas;
Platô e disco do Cummins C8.3 de 310 cv;
Caixa transferência Mercedes;
Diferencial dianteiro Marmon Herrington MTt11 relação 5,29:1;
Diferencial traseiro Meritor do Cargo 2428 6×4 relação 5,29:1;
Molas dianteiras trocadas para a do cavalinho Cargo, apenas duas
grossas e calços embaixo, recorte nos para-lamas , recorte no cárter, estribos do Cargo novo 6×4;
Caçamba Iderol de 10 m³ pistão traseiro, bomba de caçamba acoplada no
câmbio e adaptações de cardans do Cargo com os de Mercedes.”

Sobre o 2213 ”Cara-Preta”:

“O Mercedes é todo original. Motor OM-352 turbo, eixos Mercedes, retirados os para-lamas dianteiros, com caçamba Rodoeixo 10m³.”

 

Em breve postaremos mais fotos destes belos caminhões.

Bruno, obrigado e parabéns pela criatividade e pela engenharia eficiente e de baixo custo!

DSC07510 DSC07490

DSC00066 DSC06371 DSC06391 emenda do chassi feito na Randon 20090716020139 DCIM100GOPRO

 

Caminhões e Utilitários do Sul – Parte 3

Fruto da coletânea de interessantes imagens enviadas pelo amigo Daniel Girard, de Porto Alegre, trazemos hoje quatro caminhões exóticos e raros:

Mercedes LA-1113 alemão do Corpo de Bombeiros;

Mercedes LG-1819, um 6×6 militar;

MULAG de 1911, pertencente ao acervo do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul. Este caminhão - o único que se tem conhecimento no Brasil e um dos mais antigos também - era equipado originalmente com motor de 3 cilindros e 42 hp, com tração final por correntes e rodas raiadas revestidas de borracha maciça.

Terex UAI M1-50, um caminhão militar pesado de 5 toneladas de capacidade em qualquer terreno, com motor Scania de 11 litros;

Em breve postaremos mais imagens enviadas pelo Daniel.

L1113 ALEMÃO LG1819 MULAG 1911 UAI