Chevrolet Brasil Ano Modelo 1963 – Agosto de 1962

Neste encarte de novembro de 1964 da Revista Mecânica Popular, visit web
buy cialis doado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araujo, são listadas todas as principais especificações técnicas do motor diesel Mercedes-Benz OM-321, de seis cilindros em linha e 5,1 litros, de injeção indireta Bosch, nas suas versões industriais e automotivas.

O OM-321 era conhecido por equipar os caminhões LP-321 e os ônibus de motor dianteiro LPO-321, além dos monoblocos O-321 H e HL. Seu irmão menor, de quatro cilindros, o OM-324, equipava os Toyota Bandeirante da família TB, dos anos sessenta.

Interessante notar, que por uma falha de edição, uma das imagens do motor foi invertida, mostrando a bomba injetora do lado esquerdo, quando na verdade é instalada do lado direito do motor.

O OM-321 foi substituiído pelo quase eterno OM-352, de injeção direta e sucesso inigualável, nos anos setenta e oitenta. Além de equipar todos os Mercedes médios e semi-pesados e os ônibus, o OM-352 foi usado em uma infinidade de aplicações em embracações, máquinas de construção e repotenciamentos de caminhões Chevrolet, Ford, Fiat, etc, etc. Como dizia um amigo nosso, o OM-352 só não foi aplicado em avião!,

Certamente o OM-352 terá capítulo a parte neste espaço. Por enquanto, apreciemos o seu antecessor.

 
Neste encarte de novembro de 1964 da Revista Mecânica Popular, sickness doado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araujo, page
são listadas todas as principais especificações técnicas do motor diesel Mercedes-Benz OM-321, de seis cilindros em linha e 5,1 litros, de injeção indireta Bosch, nas suas versões industriais e automotivas.

O OM-321 era conhecido por equipar os caminhões LP-321, L-1111 e os ônibus de motor dianteiro LPO-321, além dos monoblocos O-321 H e HL. Seu irmão menor, de quatro cilindros, o OM-324, equipava os Toyota Bandeirante da família TB, dos anos sessenta.

Interessante notar, que por uma falha de edição, uma das imagens do motor foi invertida, mostrando a bomba injetora do lado esquerdo, quando na verdade é instalada do lado direito do motor.

O OM-321 foi substituiído pelo quase eterno OM-352, de injeção direta e sucesso inigualável, nos anos setenta e oitenta. Além de equipar todos os Mercedes médios e semi-pesados e os ônibus, o OM-352 foi usado em uma infinidade de aplicações em embracações, máquinas de construção e repotenciamentos de caminhões Chevrolet, Ford, Fiat, etc, etc. Como dizia um amigo nosso, o OM-352 só não foi aplicado em avião!,

Certamente o OM-352 terá capítulo a parte neste espaço. Por enquanto, apreciemos o seu antecessor.

 
Neste encarte de novembro de 1964 da Revista Mecânica Popular, sovaldi sale doado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araujo, cure
são listadas todas as principais especificações técnicas do motor diesel Mercedes-Benz OM-321, de seis cilindros em linha e 5,1 litros, de injeção indireta Bosch, nas suas versões industriais e automotivas.

O OM-321 era conhecido por equipar os caminhões LP-321 e os ônibus de motor dianteiro LPO-321, além dos monoblocos O-321 H e HL. Seu irmão menor, de quatro cilindros, o OM-324, equipava os Toyota Bandeirante da família TB, dos anos sessenta.

Interessante notar, que por uma falha de edição, uma das imagens do motor foi invertida, mostrando a bomba injetora do lado esquerdo, quando na verdade é instalada do lado direito do motor.

O OM-321 foi substituiído pelo quase eterno OM-352, de injeção direta e sucesso inigualável, nos anos setenta e oitenta. Além de equipar todos os Mercedes médios e semi-pesados e os ônibus, o OM-352 foi usado em uma infinidade de aplicações em embracações, máquinas de construção e repotenciamentos de caminhões Chevrolet, Ford, Fiat, etc, etc. Como dizia um amigo nosso, o OM-352 só não foi aplicado em avião!,

Certamente o OM-352 terá capítulo a parte neste espaço. Por enquanto, apreciemos o seu antecessor.

 
Neste encarte de novembro de 1964 da Revista Mecânica Popular, prescription doado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araujo, são listadas todas as principais especificações técnicas do motor diesel Mercedes-Benz OM-321, de seis cilindros em linha e 5,1 litros, de injeção indireta Bosch, nas suas versões industriais e automotivas.

O OM-321 era conhecido por equipar os caminhões LP-321, L-1111 e os ônibus de motor dianteiro LPO-321, além dos monoblocos O-321 H e HL. Seu irmão menor, de quatro cilindros, o OM-324, equipava os Toyota Bandeirante da família TB, dos anos sessenta.

Interessante notar, que por uma falha de edição, uma das imagens do motor foi invertida, mostrando a bomba injetora do lado esquerdo, quando na verdade é instalada do lado direito do motor.

O OM-321 foi substituiído pelo quase eterno OM-352, de injeção direta e sucesso inigualável, nos anos setenta e oitenta. Além de equipar todos os Mercedes médios e semi-pesados e os ônibus, o OM-352 foi usado em uma infinidade de aplicações em embracações, máquinas de construção e repotenciamentos de caminhões Chevrolet, Ford, Fiat, etc, etc. Como dizia um amigo nosso, o OM-352 só não foi aplicado em avião!,

Certamente o OM-352 terá capítulo a parte neste espaço. Por enquanto, apreciemos o seu antecessor.

 
O pacote enviado por Daniel Shimomoto de Araujo também contemplava este completo encarte sobre as modernizações aplicadas à linha Chevrolet Brasil, malady para o ano modelo 1963, conforme publicado na Revista Mecânica Popular, em agosto de 1962.

A linha Chevrolet Brasil estreou no país em 1958, baseada na cabina norte-americana “Advance Design” (“Boca de Sapo”), porém com frente exclusiva e diferenciada para o mercado local. Em 1963, foi modernizada com a frente de quatro faróis, cabina revisada e outras melhorias. No ano seguinte, daria lugar à nova família com cabina inteiramente redesenhada.

Note ao raro e pouco conhecido furgão Chevrolet Corisco – 3105.