Chevrolet Série 40 – 1985

Serie 40 Set 85 01 Serie 40 Set 85 02 Serie 40 Set 85 03 Serie 40 Set 85 04 Serie 40 Set 85 05 Serie 40 Set 85 06 Serie 40 Set 85 07 Serie 40 Set 85 08

Em meados da década de oitenta, recipe a GM se preparava para entrar na disputa do mercado de caminhões leves no Brasil, liderado pela Ford com seu F-4000 e pela Mercedes com o L-608 D.

Com elevado grau de comunização com as picapes das novas Séries 10 e 20, surgia assim a Série 40, composta pelos modelos A-40, C-40 e D-40, impulsionados por motores Chevrolet 4.8L ou Perkins Q.20B4.

O rico catálogo deste post foi uma cortesia do amigo Fernando Luiz de Araújo, que muito vem contribuindo para a construção deste espaço.

7 ideias sobre “Chevrolet Série 40 – 1985

  1. A D-40 ERA UM VEICULO MACIO,POREM A SUSPENSAO DIANTEIRA ERA RUIM NAO AGUENTAVA MUITO AS BANDEJAS DE ROSCA E OS PIVOS ESTRAGAVAM FACEIS COM MUITO PESO,SEM FALAR QUE O PREÇO DESSAS BANDEIJAS HOJE SAO CARAS DEMAIS E DIFICEIS DE ACHAR ORIGINAIS.O RESTO DO CAMINHAO ERA BOM MAS FICOU LONGE DE SE COMPARAR A F-4000 DA FORD QUE FAZ SUCESSO ATÉ HOJE!

  2. Lembro de ver a Eletropaulo e a SABESP com essas máquinas. Hoje, por sua vez elas estão cada vez mais dificeis de se ver.

    Infelizmente pelo que ouço, parece que a derrocada delas foi justamente a maior qualidade dela, a suspensão dianteira, inadequada para o peso dela!

    • Daniel, certamente a suspensão dianteira era um ponto fraco. As imagens daquele caminhão com eixo rígido que você enviou há algum tempo são a prova viva… Grato por comentar.

  3. Nunca vi nenhum A-40 nem C-40, e na aplicação como carro-forte só por fotos de alguns modelos antigos da Prosegur no Peru. Quanto às lanternas traseiras originais, também não é tão fácil encontrar algum D-40 com elas.

    • Daniel, uma aplicação típica do A-40 era em órgãos públicos e empresas estatais. Recordo-me do Corpo de Bombeiros de SP, que usava a versão cabina dupla do A-40 transformado em viatura de resgate, inclusive com um bote em seu bagageiro. Grato por comentar.

  4. Olá Evandro! Congratulações pela postagem exemplar. O Fernando Luiz de Araújo possui belos folhetos, bastante ricos em detalhes. A linha de caminhões leves da GMB não fez tanto sucesso aqui no Brasil, pois a Ford F-4000 liderava o ramo (como todos já sabem). A Chevrolet D-40 tinha um problema crônico na suspensão dianteira, sendo isso, a causa principal de sua rejeição. Para ‘ressuscitarem’ a imagem da D-40, lançaram a Chevrolet D-6000 (com mesma plataforma da D-40), que se não me engano, era equipada com o motor Maxion S4T Turbo, isso na década de 1990.
    []’s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Complete a conta. *