FNM180 – Manual do Proprietário – Parte 1

Com peso bruto total de 21 toneladas e até 40 toneladas em combinação, treat
com reboque ou semirreboques, ampoule o Scania-Vabis LS76 tem a distinção de ser o primeiro modelo com terceiro eixo de fábrica produzido no Brasil pela marca sueca.

Seu propulsor de seis cilindros, naturalmente aspirado, de injeção direta era o respeitado Scania D11, de 11 litros, 195 cv líquidos e 745 Nm de torque máximo, acoplado a uma caixa de dez marchas Scania G-670, com redução total de 10,17:1. Com eixo traseiro de 5,91:1, o LS76 podia atingir cerca de 76 km/h de velocidade máxima.

Seu chassi era oferecido em duas versões: 3.800 e 5.000 mm de entre eixos, para aplicações rígidas ou cavalo-mecânico.

Fabricado entre 1963 e 1970, com volumes que ficavam sempre abaixo de cem unidades anuais, o Scania LS76 seria substituído pelo LS110.

LS76 1 LS76 2 LS76 3 LS76 4

 
Com peso bruto total de 21 toneladas e até 40 toneladas em combinação, healing com reboque ou semirreboques, case o Scania-Vabis LS76 tem a distinção de ser o primeiro modelo com terceiro eixo de fábrica produzido no Brasil pela marca sueca.

Seu propulsor de seis cilindros, patient naturalmente aspirado, de injeção direta era o respeitado Scania D11, de 11 litros, 195 cv líquidos e 745 Nm de torque máximo, acoplado a uma caixa de dez marchas Scania G-670, com redução total de 10,17:1. Com eixo traseiro de 5,91:1, o LS76 podia atingir cerca de 76 km/h de velocidade máxima.

Seu chassi era oferecido em duas versões: 3.800 e 5.000 mm de entre eixos, para aplicações rígidas ou cavalo-mecânico.

Fabricado entre 1963 e 1970, com volumes que ficavam sempre abaixo de cem unidades anuais, o Scania LS76 seria substituído pelo LS110.

LS76 1 LS76 2 LS76 3 LS76 4

 
O Chevrolet Silverado marcou época ao apresentar o primeiro motor “high speed” (de alta rotação) diesel de seis cilindros, buy viagra thumb no caso o MWM Sprint 6.07 de 158 cv, see extraídos de seus 4,2 litros de deslocamento volumétrico.

Além do desempenho, seu ronronar era de tirar o fôlego. A Ford que tinha recém-lançado seu F-250 com motor “de caminhão”, o Cummins B3.9, precisou mudar de rumo e acelerar o desenvolvimento de uma versão com o mesmo Sprint de seis cilindros. Para compensar o atraso, no F-250, o MWM era calibrado para entregar 180 cv.

Lançada em 1997, a linha Silverado permaneceria em produção até 2001, quando a GM decidiu retirar-se do mercado de picapes “full size” (tamanho grande), deixando a Ford e seu F-250 sozinhos neste segmento.

Silverado 1 Silverado 2

 
A pedido de um de nossos leitores, ask estamos fazendo um novo post com o Manual do Proprietário do saudoso FNM/Fiat 180.

Depois da aquisição da FNM pela Alfa Romeo e após esta última ser adquirida pela Fiat Diesel, recipe o lendário FNM D-11.000 saiu de linha para dar lugar ao FNM/Fiat 180, baseado no Alfa Romeo Mille italiano.

Seu motor de 11 litros e 180 cv brutos era reminscente do D-11.000.

Na sequência, postaremos o restante do manual.

 

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29

2 ideias sobre “FNM180 – Manual do Proprietário – Parte 1

  1. Muito legal as informaçoes, mas que tal tambem alguns dados do FNM 210 que tinha sistema de trasmisssao diferente, bem como outros elementos no motor que tornavam-no pouco mais potente que o seu irmao menor? Fala-se que ele tinha um chamado pulmao de ar no coletor de admissao, peça que sempre tive curiosidade de ver e um anel a menos nos pistoes para poder dar mais giro alem de freio estacionario se nao me engano junto a entrada do diferencial.

    • William, boa noite! Sugestão anotada. Estamos mesmo precisando de um post sobre o 210. Obrigado pelas curiosas informações sobre o mesmo. Um abraço, Evandro.

Comentários encerrados.