FNM 210 – 1973

Depois da ascensão e declínio do venerável FNM D-11000, healing a fábrica precisava se atualizar, ailment no início dos anos setenta. Não só isso, mas também necessitava expandir sua linha, em função da crescente pressão competitiva, representada pelos Scania L110 e Mercedes LS-1924.

A modernização veio na forma do FNM 180 e a expansão tomou corpo com o novo FNM 210, lançado em 1972. Era em verdade um “upgrade” do 180.

Apesar do PBTC aparecer como 40 toneladas em algumas fontes do início da produção, logo o mesmo seria aumentado para 45 toneladas. O PBT técnico também não seria esquecido,  sendo ampliado de 17 (6+11) para 18,5 toneladas (6,5 + 12), através da adoção de eixos mais parrudos. Vale lembrar que, na época, o PBT legal era de 15 toneladas.

Havia novidades também no trem de força, como não podia deixar de ser. O motor de seis cilindros 120.50 que equipava o 180 foi esticado e rebatizado de 120.08, para render 215 cv e 706 Nm brutos, face aos 180 cv e 657 Nm anteriores, mantendo as mesmas dimensões de 120 x 150 mm, que resultavam em 11.050 cm³ – exatamente o mesmo deslocamento do antigo FNM 9610, que equipava o D-11000.

A tradicional unidade de oito marchas (4+2) Alfa-FNM deu passagem para uma transmissão ZF de seis marchas “secas”, com “split” sincronizado na dianteira da caixa. O resultado eram 12 marchas à frente, com reduções de 9,0:1 a 0,84:1 e engrenamento helicoidal, silencioso. A transmissão antiga só oferecia reduções entre 5,3 a 0,76:1, com engrenagens de dentes retos.

A nova transmissão decretava o fim das duas alavancas de mudança – uma para a caixa e outra para o multiplicador – e com elas, a folclórica troca de marchas com “cruzamento”.  A partir de então, o “split” era comandado pelo simples toque da tecla no punho da alavanca.

A montagem da nova caixa permanecia remota, no centro do chassi, com cardans ligando-a à embreagem e ao eixo traseiro.

Outra particularidade do FNM 210: como a caixa ZF não tinha provisão para freio de estacionamento em sua extremidade traseira, o mesmo foi relocado para a entrada do eixo traseiro, mantendo as sapatas semienvolventes capazes de frear nos dois sentidos.

Digna de nota também foi a adoção de uma direção hidráulica integral, em substituição ao sistema mecânico com servo-hidráulico (acionado por pistão), reminiscente do D-11000.

Enquanto o FNM 180 era empregado especialmente com terceiro eixo, em aplicações rodoviárias e vocacionais, notadamente nas betoneiras e básculas, o 210 pegava a estrada configurado como cavalo-mecânico e atrelado a semirreboques de 3 eixos.

Rebatizado de Fiat, as últimas cópias do 210 sairiam da linha de montagem de Xerém, na Baixada Fluminense em 1978, quando a Fiat Diesel já fabricava o 190, equipado com o motor Fiat 8210, de 13,8 litros.

Uma lenda viva dentro da Iveco, este mesmo engenho modernizado equiparia o EuroTech e o Trakker anos mais tarde.

Mas esta é outra história…

Este post segue em homenagem ao meu amigo William, que sempre colabora com este espaço e que teve a feliz ideia de sugerir um artigo sobre este clássico modelo.

 

Bom final de semana!

F 210 1 F 210 2

 

37 ideias sobre “FNM 210 – 1973

  1. Evandro;

    Como contei no “post do leitor” a Construtora da qual meu pai foi sócio tinha um Fiat 210 cavalo com uma prancha de 3 eixos para carregar pré-moldados. E no cavalo um Munck (Guindauto, o termo correto) de grande capacidade de carga, tanto que o 210 era chamado internamente de “Munckão”.

    A lembrança que eu tenho do “Fietão” era de um caminhão bem estragado. Não posso atestar é que eu não sei se em decorrencia do caminhão ser mal cuidado ou de ele ser ruim mesmo, o fato é que todo mundo tremia quando tinham que usar o “Fietão”, especialmente na estrada. Sei que dava muito problema de motor.

    Chegaram a aventar a hipótese de remotoriza-lo com uma unidade Scania como alguns operadores faziam na época, mas a ideia foi preterida e como pararam de produzir pré-moldados, acabaram preferindo comprar o L-2014.

  2. Caro Evandro, obrigado pela dedicatoria, este FNM sem duvida é o mais raro de todos para se encontrar totalmente original, mas lembro que em meados da decada de 70 era muito comum encontra-lo pelas estradas brasileiras quando viajava com meu pai (que por sua vez trabalhava com scanias), eles eram caminhoes muito lentos apesar da nova caixa e motor pouco melhorado. Se observarmos bem a potencia e torque de seu motor em normas SAE é praticamente a mesma do MB 1519 nas mesmas SAE porem o MB tinha caixa de apenas 6 marchas e diferencial mais longo. Este motor melhorado do FNM 210 podia chegar a 2200rpm pois haviam retirado um anel dos pistoes ou seja tinha um anel a menos segundo consta em algumas informaçoes me repassada por um alfeiro bem conhecido o Osvaldo Strada. Abraços William

    • William, obrigado a você por colaborar com perguntas e comentários que acrescentam valor aos posts, como este que acaba de redigir. Um grande abraço, Evandro.

  3. MAIS UM EXCELENTE POST…

    ALIAS…COMPARANDO COM UM POST MAIS ANTIGO…(do fiat 190E),DEU PRA ELUCIDAR ALGUMAS DIFERENÇAS ENTRE O 210 E O FIAT 190,DOIS CAMINHÕES QUE AOS OLHOS DE MUITOS GERAM DUVIDAS DE QUEM É QUEM (digo por experiencia propria,eu mesmo ja fiquei em dividas) E FAZEM OS QUE SE DIZEM ENTENDIDOS,COMETER ERROS GRITANTES.

    ALÉM DA NOTÓRIA DIFERENÇA DO MOTOR,O 8210 COMO FOI DITO “UMA LENDA VIVA” PERCEBI ALGUNS DETALHES IMPORTANTES

    O TIPO DA EMBREAGEM USADA NOS FNM É DO TIPO MONODISCO,E NO FIAT 190 JA É O SISTEMA BIDISCO,COM DOIS DISCOS

    NA CAIXA DE CAMBIO O 190E USAVA PRINCIPALMENTE UMA FULLER,E TINHA COMO OPÇÃO A ZF 4K120GP,DE OITO MARCHAS,JA O 210 USAV A ZF´PORÉM ERA UMA DE SEIS MARCHAS COM SPLIT,O QUE LHE DAVA 12 MARCHAS A FRENTE,CAIXA ESTA QUE FOI USADA NOS PRIMEIROS FIAT 190 (pelo que me deu a entender,favor me corrigir se estiver errado).

    NO SISTEMA DE FREIOS HAVIA UMA NOTÓRIA DIFERENÇA,ENQUANTO NO FNM USAVA-SE AS SAPATAS SEMI-ENVOLVENTES,ACIONADAS POR COMANDO MANUAL,FREANDO O EIXO CARDÃ,O FIAT JA USAVA O SISTEMA DE FREIO ESTACIONARIO POR MOLAS ACUMULADORAS (spring-break),ESTE ACIONADO PNEUMATICAMENTE,AMBOS COM SISTEMA DE FREIO MOTOR POR BORBOLETA E ACIONAMENTO PNEUMATICO

    E AINDA FICAM AS CARACTERISTICAS EXTERNAS,COMO A TOMADA DE AR VERTICAL ATRAS DA CABINE (presente só no 190) OS TANQUES DE COMBUSTIVEL,PORÉM DETALHES…

    FIQUEI COM UMA DUVIDA QUANTO AO EIXO TRASEIRO,APARENTEMENTE O FIAT 190 USOU O MESMO EIXO DO 210,NA VERSÃO MAIS CURTA COM CAIXA FULLER,POIS PELAS CARACTERISTICAS AMBOS TEM A MESMA RELAÇÃO

    DOIS CAMINHÕES FACIL DE CONFUNDIR MAS COM ALGUMAS BOAS DIFERENÇAS

    • Amigo Reginaldo, grato por seus comentários e sua comparação meticulosa. Em princípio concordamos com todos eles, por nos parecerem bastante acurados e sensatos. Respondendo à sua pergunta, você está correto. O 190E tinha caixa ZF de 6 marchas com split. Cremos que também esteja certo quanto ao eixo traseiro. Em todo caso, os papas sobre Alfa-FNM-Fiat-Diesel são nossos amigos do site http://alfafnm.com/. Talvez seja interessante confirmar tudo com eles. Um abração, Evandro.

  4. SOMENTE UMA COLOCAÇÃO:

    ONDE COLOQUEI “CAIXA ESTA QUE FOI USADA NOS PRIMEIROS FIAT 190”,ME REFERINDO A CAIXA ZF DO FNM 210,SERIA CORRETO COLOCAR “CAIXA ESTA QUE FOI USADA “SOMENTE”NOS PRIMEIROS FIAT 190,DEPOIS PASSOU A USAR A FULLER E A ZF 4K120GP.

    PELA ATENÇÃO,MUITO OBRIGADO…

  5. BOA TARDE…

    COMPLEMENTANDO O COMENTARIO A CAIXA USADA NO FNM 210 FOI UMA ZF S6-80 (sincronizada) COM A CAIXA GV-80 O QUE LHE DAVA 12 MARCHAS A FRENTE,ESSE CONJUNTO ERA OPCIONAL NO MERCEDES 1519,JA NO FIAT 190E NO INICIO ERA USADA ESSA MESMA CAIXA TEMPOS DEPOIS,PASSOU A USAR PRINCIPALMENTE A FULLER 9.509B OU COMO OPCIONAL A ZF 4K 120 GP (as mesmas opções foram usadas no fiat 190h,ja o lendario 190 turbo tinha somente a fuller 9.509 mas isso é pra outros carnavais),TANTO A FULLER QUANTO ZF 4K 120 GP,ERAM AS CHAMADAS SEMI-SINCRONIZADAS,TROCANDO EM MIUDOS…,É IGUAL SANFONA,”SÓ QUEM SABE TOCA”.

    A DIFERENÇA ENTRE AS ZF ERAM BEM VISTAS,A S6-80 TRABALHAVA COM UM GV,”GRUPO DE VELOCIDADE”,QUANDO ACIONADO MUDAVA A VELOCIDADE DE ENTRDA NO EIXO PRIMARIO (piloto), FAZENDO DUAS RELAÇÕES NA MESMA MARCHA,(1ª simples e 1ª reduzida assim em diante) JA A 4K 120 GP,COM “GRUPO PLANETARIO”NA SAIDA,COMO SE TIVESSE UMA REDUÇÃO (usada nos cubos redutores) ENTRE O EIXO SECUNDARIO E A FLANGE DE SAIDA,FAZENDO ASSIM O CONHECIDO DUPLO “H”,ESTA CAIXA TAMBÉM FOI USADA NOS MERCEDES 1524,1525 E 1625,MAS JA NA VERSÃO SINCRONIZADA (4S 120 GP).

    • Amigo Reginaldo, obrigado por seus valiosos comentários! Você tem evidência do uso da caixa ZF S6-80 no 210? No material que temos aqui, só aparece a AK?

      No restante de seus comentários, estamos em plano acordo.

      Abraço, Evandro.

  6. OLA EVANDRO,ESTA INFORMAÇÃO ME FOI PASSADA POR UM COMPANHEIRO QUAL TRABALHOU EM AUTORIZADA ZF,POR ANOS,SEGUNDO O MESMO,MUITOS 210 USARAM A S6-80 COMO UMA OPÇÃO SINCRONIZADA,RELENDO MEU POST,PERCEBI MEU ERRO,ONDE SE LE “A “CAIXA USADA NO FNM 210 FOI…” SERIA CORRETO “A CAIXA USADA NO FNM 210 TAMBÉM FOI…”

    DE FATO A PRINCIPAL ERA UMA AK6-80,ESSA S6-80 VEIO NOS ULTIMOS SUSPIROS DO “ALFÃO” ACREDITO QUE AFIM DE SE EQUIPARAR COM O CONCORRENTE LS-1519,QUE TINHA ELA SOB ENCOMENDA

    AINDA LEMBRO DE UM 210 NUMA ANTIGA TRANSPORTADORA DE PETROLEO AQUI NA MINHA CIDADE,IDOS DE 1990/91, NA QUAL MEU PAI PRESTAVA SERVIÇO,ESSE 210 ERA SINCRONIZADO,MAS ACREDITO QUE SEJAM RAROS OS QUE AS POSSUEM DE FABRICA,EXISTEM OS QUE FORAM ADAPTADOS…MAS AI É OUTRA HISTORIA…

    APROVEITANDO PRA ME CORRIGIR O 190E NÃO TEVE A OPÇÃO SINCRONIZADA COMO COMENTEI,PEÇO DESCULPA PELO EQUIVOCO…

    • Muito interessante, Reginaldo! Agora faz todo o sentido. Muito agradecido por esclarecer. Não sabia da caixa S6-80 nos 210! Sempre aprendemos coisas novas aqui e isto nã tem preço! Abração.

  7. AMIGO EVANDRO,FICO

    COMO SE DIZ É UMA CONSTATAÇÃO DO “BOCA A BOCA”,POR RELATOS DE QUEM TRABALHOU NA ÉPOCA,NÃO TENHO NADA EM CATALOGOS,MAS ME FEZ SENTIDO,E VEIO DE UMA FONTE PRA MIM CONFIAVEL,INFELIZMENTE MEU VELHO JA NÃO SE FAZ MAIS PRESENTE,ELE COM CERTEZA ME TIRARIA ESTA DUVIDA,DEVIDO A UMA VASTA EXPERIENCIA NOS ALFA,FNM E FIAT DIESEL QUE ELE TINHA,ALÉM DE CONHECER BEM OS MODELOS

    AGORA QUANTO AO 190,SE NÃO IMAGINA O PUXÃO DE ORELHA QUE LEVEI,ESSE NÃO SAIU MESMO,VEIO SOMENTE COM A CAIXA SECA…

    INCLUSIVE ESTA CAIXA LOGO DEPOIS TEVE DE SER TROCADA,POIS NÃO AGUENTOU O TRANCO DO ENORME 8210,OLHANDO NOS POST’S DO 190E,ME TROUXE A IMPRESSÃO DE FICAR EVIDENTE ESTE FATO.

    O MOTOR 8210 NO 190E APRESENTEVA FARTOS 97 kgm DE TORQUE A 1200 RPM,A CAIXA AK6-80,COMO O PROPRIO NOME DIZ,É PROJETADA PARA ATÉ 80 kgm DE TORQUE NA ENTRADA,DEIXANDO MAIS OPÇÃO PARA A 4K-120-GP,QUE SE APRESENTA COM 120 kgm NA ENTRADA,ANALISEI POR ESTE PONTO,POSSO ESTAR ERRADO…

  8. Amigo, eu tenho um FNM 210 truck com motor 180, o cambio original ZF foi substituido por um eaton fuller de 10 marças usado no fuscão e no cargo. Gostaria de melhorar a potencia, ou desempenho do motor, pois falta força o que da pra fazer ? dá pra colocar pistão ou cabeçote do scania ou ate mesmo do 210. Obrigado.

  9. lembro que nos anos 70 aqui em pernambuco foi muito usado no transporte de cimento e açucar sempre com 600 sacas de 60 kg e 30t de carga com reboque de tres eixos e os scania 110 maçaricos eram facilmente superados em desempenho

  10. corrigindo eram ou 500 sacas de 60kg que dava 30t transportavam cimento de goina para todo o estado de pe e açucar da zona mata para todo o estado lembro que ate o ano de 1985 sempre passavam em comboio de tres aqui na minha cidade surubim pe

  11. Olá eu gostaria de tirar uma dúvida, ele consta no catalogo 215 cv, mas um amigo do pai que já teve Feneme me disse que se tu abrisse a bomba e fizesse outras coisas nele (sem colocar nada, só mexendo) ele ganhava mais cavalos, é verdade isso?

  12. Parabéns Evandro, adoro caminhões antigos, Tivemos dois 210 e eles não eram páreos para o Scânia, os 210 tinham sérios problemas de motor (válvulas), faltava desempenho, alto consumo, bloco de alumínio, injeção indireta, tudo complicado é bem diferente dos Fiats 190 que tinha uma mecânica tão forte quanto dos Scânia, não sei como o 190 não fez sucesso no Brasil, tivemos um caminhão que fez mais de 900 mil kms e quando vendemos estava mecanicamente perfeito.

  13. Evandro tenho um fiat iveco 190h caixa zf 6 machas mais gv esta caixa e igau a do 210 zf 6 machas mais gv .obrigado lembando que meu fiat 190h e placa 1977 e ano 1977

  14. Boa tarde à todos, sou novo no ramo e gosto muito de caminhões antigos , como o FNM 210 , eu só gostaria de saber um pouco mais de como se dirigi um FNM 210 , como funciona aquela alavanca do painel ? Ele tem aquele botão de transferência de caixa como nas Scanias ? Espero que me ajudem , e desculpa por qualquer erro . Um abraço à todos

    • Olá, Vitor.

      Desculpe-me pela demora para responder.

      Na verdade, o FNM 210 tem caixa ZF de 6 marchas, com grupo multiplicador, que resulta em 12 marchas. A operação do multiplicador se faz por meio de botão no punho da alavanca.

      O FNM 180, como seu antecessor, o D-11000, este sim tem a alavanca no painel para comandar a reduzida. A caixa principal tem 4 marchas e esta alavanca faz as marchas baixas (para trás) e altas (para frente). O engate delas é “no tempo”, já que não há sincronização.

      Grato pela interessante pergunta. Abraço.

  15. Boa tarde, encontrei agora estes post, e gostaria de parabenizá-los. Eu tive 2 FNM 180 uma 1975 e outro 1977, depois troquei por um Fiat 190 E com cambio ZF no 4º eixo, que deixou saudades, ai troquei por um Fiat 190 h 127 já com o cambio fuller 9 marchas que tambem não tenho o que reclamar. hoje não viajo mais, mas recentemente adquiri depois de procurar bastante o FNM 210 CM 1975 em que aprendi a manobrar carretas, ainda totalmente original,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Complete a conta. *