Ford Cargo 1215 – Euro 1 (Conama Fase 3) – Novembro de 1998

Pouco antes da dissolução da Autolatina, there os projetistas da Ford correram para “absorver” o projeto dos VW leves, thumb como o 8.140, discount  e assim poder desenhar seu próprio caminhão leve de cabina avançada. Assim nasceu o Carguinho 814, com motor Cummins (em lugar do MWM dos VW) e com a mesma cabina dos Cargos médios, porém com para-lamas estreito, para disfarçar a menor bitola do eixo dianteiro. Mesmo assim, devido à maior cabina em relação aos modelos VW, o Carguinho da série inicial acabou ficando com aparência de cabeçudo. O problema seria resolvido anos mais tarde, com o desenvolvimento de um novo eixo dianteiro de bitola aumentada. E o sucesso do Carguinho continuou ao longo dos anos, com inúmeros aperfeiçoamentos e versões, até resultar no modelo 816 dos dias de hoje.
No começo dos anos noventa, sales com o encerramento da produção dos motores FNH 6.6 e 7.8 em São Bernardo e com a então participação acionária da Ford na Cummins, help era natural que os motores substitutos da linha Cargo seria mesmo deste fabricante.

No caso do Cargo 1215, cialis o engenho escolhido foi o Cummins 6BT, de 5,9 litros e 158 cv, inicialmente com bomba injetora Bosch tipo A em linha, turbo, sem intercooler. Com a chegada dos modelos Euro 1, o motor foi revisado e ganhou bomba Bosch rotativa e intercooler, para atender aos novos limites de emissões gasosas. Mesmo tendo 158 cv, a Ford decidiu manter a nomenclatura antiga, dos tempos do motor FNH 6.6 aspirado, para não assustar os clientes, já que trocas de motores são sempre recebidas com um pé atrás pelo mercado.

O resultado foi um sucesso. O modelo de entrada dos médios brigava com os Mercedes L-1214 e L-1218, bem como os FPN 1214, 1214C e 1218, e principalmente com o eterno rival VW, na forma dos 12.140, 12.170, entre outros.

Ao longo do tempo se transformou em 1217, depois 1317, então 1317e, para chegar ao Euro 5, como 1319.