Ford F-1000 – 1998

F-1000 1998 1 F-1000 1998 2 F-1000 1998 3 F-1000 LIGHTNING 1 F-1000 LIGHTNING 2 F-1000 LIGHTNING 3

Para enriquecer nosso acervo de literaturas sobre a picape F-1000, online o amigo Victor Matheus nos enviou mais dois catálogos, patient incluindo um geral sobre os modelos 4×2 e 4×4, com as motorizações disponíveis em 1998 (MWM 4.10T, HSD 2.5 e o Ford 4.9 a gasolina), com cabina regular ou estendida. Também não ficou de fora a versão Lightning, com apelo esportivo para capturar o público jovem.

Mais detalhes sobre a família produzida entre 1993 e 1998 podem ser visitadas no seguinte endereço: http://caminhaoantigobrasil.com.br/ford-f-1000-4×4-1995/.

22 ideias sobre “Ford F-1000 – 1998

  1. Evandro,

    Interessante que a Ford tentou (sem sucesso) deixar as versões MWM da F-1000 restrita apenas a versão 4×4, deixando as 4×2 apenas com os motores HS2.5 e o Ford 300 de 4,9L

    No final da produção da F-1000, a Ford teve que ceder e lançar uma F-1000 4×2 com o MWM 4.10T e um longuissimo diferencial de 2,54:1, diferencial este que é o sonho de consumo de muita gente com motor MWM repotenciado.

    • Daniel, bom dia! Quando as importadas começaram a chegar ao mercado, a Ford se apavorou com a possibilidade de uma invasão de picapes japonesas e resolveu desenvolver uma picape o mais “car-like” possível, para fazer frente às Toyotas, Nissans, Mitsubishis, em tempos que a Ranger ainda não era produzida na Argentina. O resultado foi a F-1000 HSD, com motor HS 2.5 e câmbio Mazda. Para ser competitiva, o trem de força tinha de ser mais em conta, por isso o MWM ficou reservado à 4×4, como você bem notou. Porém a tradição do MWM e a fraqueza do HS colocaram os planos iniciais por terra, resultando na F-1000 4×2 4.10T que você citou.

  2. UMA CAMINHONETE EXCELENTE SE NUM FOSSE ESSA VERSAO COM MOTOR MAXION HSD!QUEIMARAM A F-1000 ESSE MOTOR É PESSIMO SÓ DA VAZAMENTO NAO TEM FORÇA E NAO AGUENTA DISAFORO COMO O MWM.MUITO DIFICIL DE VENDER UMA CAMINHONETE COM ESSE MOTOR!

    • Também acho injustiçado, pagou o preço de ser pioneiro, mas com certeza não é a melhor opção para a picape. Erro que em minha a opinião a Ford volta a cometer com ISF 2.8, principalmente na F-4000… Apesar de ser Cummins, vai engolir fogo….

      • Considerando que o ISF2.8 já é amplamente usado em caminhões chineses com PBT numa faixa semelhante à da F-4000, não me parece de todo equivocado a Ford ter apostado num motor compacto e de alta rotação na F-350 e na F-4000 novas.

        • Daniel, tudo se resume ao chamado “custo variável” dos modelos, na linguagem Ford. Um motor maior seria inviável, matando a margem da Série F. Grato.

          • Duro é convencer uma parte considerável do público-alvo da Série F quanto à adequação do motor aos modelos, tanto que eu ainda não vi nenhuma F-350 ou F-4000 Euro-5 fora da concessionária aqui na região de Porto Alegre.

          • Amigo Daniel, o mesmo posso dizer por aqui. Ainda não vi nenhum Série F Euro 5 rodando. Em compensação, Cargo 816…tem aos montes. Um absoluto sucesso, líder de vendas com seu ISBe 4.5, grandalhão e parrudão. Grato por comentar.

          • Considerando que a Ford relançou a Série F especificamente para atender a um público-alvo nas zonas rurais, acho que vai ficar mesmo difícil ver as Euro-5 em Porto Alegre. Já tenho visto até Hyundai HR e JAC T-140 em aplicações que F-350 e F-4000 dominavam, como no setor eletricitário.

          • Daniel, na semana passada pude observar o primeiro F-4000 Euro 5 rodando, aliás em alta velocidade. Mas não valeu pois foi na Via Anchieta e o veículo tinha recém saído da fábrica. Grato.

        • Nunca vi também essa série F nova, vejo muito usando esse motor é o JAC T 140, usam o mesmo ISF 2.8, porém do porte da F-350. Ta sendo bem aceito aqui em BH e região.

  3. UMA BAITA MAQUINA…. POR AQUI NA REGIÃO ATÉ HOJE SE RESPEITA UMA DESSAS, COMO BEM COMENTADO, UMA PENA O MOTOR HS2.5, FOI UM PULO ERRADO, NA MINHA OPNIÃO TALVES É UM MOTOR QUE ATÉ SE APRESENTE BEM SE FOR USADO APENAS COMO VEICULO DE PASSEIO, MAS NA ÉPOCA NÃO ERA BEM O MERCADO QUE ELA ENCONTROU, O USO DA F-1000 SEMPRE FOI MAIS PUXADO, MAS NA QUESTÃO ESTILO E RESISTENCIA, É UM EXEMPLO….

  4. VENDO OS COMENTARIOS DOS AMIGOS, ME VEIO EM LEMBRANÇA UMA ÉPOCA EM QUE A COPEL, COMPANHIA DE ENERGIA ELETRICA DO PARANA ,USOU AOS MONTES AS F-1000 4.9i , PRINCIPALMENTE NAS MANUTENÇÕES DAS REDES URBANAS, MAS NÃO ERA DIFICIL DE ACHAR UMA EM AREAS RURAIS….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Complete a conta. *