Massey Ferguson 275/4 – Junho de 1986

No início dos anos noventa, store  antes mesmo do início da vigência dos novos limites de emissões gasosas do Proconve Fase 3, equivalente ao padrão Euro 1, estabelecidos pelo CONAMA – o Conselho Nacional do Meio Ambiente, a Scania já apresentava no Brasil seu T113 H “Low Emissions”, ou baixa emissões, condizente com a nova legislação que passaria a vigorar no país a partir de 1996.

O modelo era equipado com motor turbo intercooler de 11 litros Scania DSC 11 23 de 362 hp a 1.900 rpm e torque máximo de 1630 Nm a 1.100 rpm.

Anos mais tarde, o T113 H se estabeleceria no mercado reconhecido como “um dos melhores Scanias de todos os tempos”, na opinião de motoristas e frotistas.

Scania T113H

 

 
Num tempo em que os tratores 4×4 ainda engatinhavam no mercado brasileiro, viagra
o 275/4 impunha respeito entre os antigos e populares Massey 65X e 75X, e Valmet 68 e 78, pelo seu porte imponente e pelo trem dianteiro com grandes pneus trativos 12.4 – 24.

A força motriz era garantida pelo afamado Perkins A4.236, empregado (sem o prefixo “A” de agrícola) em tantas aplicações, tais quais o querido picape Chevrolet D-10, os caminhões leves Dodge e Volkswagen e numa infinidade de máquinas agrícolas e de construção e equipamentos estacionários, como moto-bombas e grupos geradores.

Na calibração do 275/4, a máquina de 4 cilindros e 3,9 litros estava ajustada para produzir 77 cv a folgadas 2.000 rpm, ou 58 cv na TDP a 540 rpm, para acionamento de implementos variados.

Na foto abaixo, o 275/4 desempenhava serviço com arado fixo de 3 discos.

275 4 1 275 4 2

5 ideias sobre “Massey Ferguson 275/4 – Junho de 1986

  1. Evandro e amigos!

    Esse catálogo do MF 275 veio bem de encontro com aquilo que comentei anteriormente: Compare as especificações do motor Perkins do 275 com o MWM Valmet 785 (todos são iguais, fruteiros ou não – em http://caminhaoantigobrasil.com.br/category/catalogos-e-folhetos/outros/agco/valmet/785-fruteiro-4×4/).

    Reparem que em 2000 rpms, o Perkins já esbanja potencia enquanto o MWM precisa atingir 2400 rpms para obter uma potencia próxima, mas menor em 2cv.

    • Daniel, obrigado pela interessante observação. Também digno de nota é a imagem oposta que os MWM têm na aplicação automotiva, face aos Perkins. Abraço.

  2. Evandro, essa versão tracionada do MF 275 é mais potente do que o 4×2?
    Se possível posta um catálogo do 275 4×2, desse modelo mais antigo.
    A Massey por muito tempo manteve praticamente os mesmos modelos dessa linha 200, porém, houve melhorias com o tempo. Vejo muitas pessoas pegarem as especificações dos modelos mais novos e aplicarem aos primeiros que saíram.
    Aguardo. Abraço.

Comentários encerrados.