Massey Ferguson 65R

MF 65R 1 MF 65R 3 MF 65R 4 MF 65R 5 MF 65R 6 MF 65R 7 MF 65R 8 MF 65R 9

Flagrada por nós no inverno de 2013 em Atibaia, sovaldi sale SP, prescription está pá e retroescavadeira Massey Ferguson 65R jazia ao sabor dos elementos, devorada lenta e silenciosamente pela Mãe Natureza, num processo inexorável de reciclagem natural, enquanto esperava por uma improvável salvação.

 

9 ideias sobre “Massey Ferguson 65R

  1. Sou leitor assíduo do site, e não pude deixar de comentar sobre esta máquina presente em algumas das melhores lembranças da minha infância.
    Quando moleque por volta dos 6 anos de idade eu e meus primos nos divertíamos muito a bordo de uma MF 65R que pertencia a um tio e que estava meio abandonada na casa do meu avô, tendo sido mais tarde colocada novamente em operação por um outro tio que a trouxe para Curitiba onde passou a trabalhar em sociedade com meu pai que possuía um Ford F600 basculante.
    Naquele tempo, inicio dos anos oitenta, eu um primo esperávamos com grande expectativa uma folga na escola para poder acompanhar nossos pais no trabalho e poder subir a bordo da maquina e dos caminhões, éramos os chamados “piolhos de cabine”.
    Algum tempo mais tarde, por volta de 1987, foi desfeita a sociedade e meu pai teve que comprar um retroescavadeira MF65R que eram muito populares por aqui acredito que em virtude de ser uma máquina de manutenção mais barata devido ao fato de compartilhar inúmeros componentes com os tratores agrícola MF que eram ainda mais populares em todos os lugares.
    As retroescavadeiras mais antigas eram bastante frágeis principalmente por serem construídas sobre tratores projetados para a atividade agrícola, deixando alguns sistemas como direção e freios sobrecarregados com o peso extra e a exigência muito mais severa.
    Operar uma dessas era uma experiência bem marcante, como pude começar a experimentar com 11 anos de idade, brincando de trabalhar.
    A transmissão era com conversor de torque e o cambio manual tinha 2 marchas com reduzida não sincronizado, podendo ser usadas a frente e a ré uma vez que a reversão era feita através dos pedais do acelerador que eram três, sendo que o da direita acionava a transmissão avante, o da esquerda à ré e o central acelerava o motor com a transmissão em neutro. Trocar as marchas com a maquina em movimento sem arranhar exigia bastante habilidade principalmente nas reduções de marcha.
    A direção era o pior sistema da máquina e embora fosse hidráulico exigia uma folga de quase 1/4 de volta de folga para o acionamento do sistema de auxilio e os componentes projetados para o trator agrícola se desgastavam muito rapidamente aumentado ainda mais folgas na direção.Em equipamentos mais desgastados era quase impossível conseguir que a direção funcionasse bem, operando geralmente hidráulico para um lado e “queixo duro” para o outro. A absurda instabilidade direcional resultante obrigava o operador a fazer uma verdadeira ginastica para manter a maquina em linha reta quando atingia alta velocidade (25km/h).
    Outra “doença” dessas maquinas eram os vazamentos de óleo, a começar pelo motor (uma tradição nos Perkins) e principalmente no sistema hidráulico, sendo um deles particularmente curioso uma vez que o óleo pingava da alavanca de comado da carregadeira sobre o joelho esquerdo do operador tornado muito fácil reconhecer um operador de 65R pela “estampa” da calça. Alguns operadores penduravam latas e até sacolas plásticas sob o comado para coletar o óleo que vazava e posteriormente devolver ao reservatório.
    Apesar de tudo isso estas máquinas ajudaram a consolidar a mecanização dos trabalhos de escavação e movimentação de terra principalmente em obras residenciais onde essas maquinas dominavam os canteiros.
    Atualmente é muito difícil ver uma maquina dessas em operação, as poucas que restaram são utilizadas principalmente por lojas de materiais de construção e a grande maioria teve “amputado” o braço de escavação inútil para este uso e substituído por um contrapeso sendo conhecida nessa versão por pula-pula.

    • Caro Paulo Vinicius, muito obrigado por seu saboroso relato. Parece que estamos vivendo as agruras sobre a 65R, lendo seu texto. Um grande abraço.

  2. Olá senhores, muito boa noite!!!
    Esta máquina acima é nossa. Estamos procurando empresas que possam reformá-la ou até mesmo comprá-la. Obrigada queridos!!!! Se puderem nos ajudar

  3. Bom tarde
    Caso ainda não tenham vendido ou reformado, tenho uma empresa em Bragança Paulista de conserto e reforma de tratores.
    Caso haja vontade de reformar, é só contatar.
    Obrigado.
    Anderson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Complete a conta. *