Massey Ferguson – Série 200 – 2007

Hoje estamos postando a segunda parte do referido manual, there compartilhado pelo gentil amigo Reginaldo Bernardi, salve do Paraná.

355 14 355 15 355 16 355 17 355 18 355 19 355 22 355 23 355 24 355 25 355 26 355 27 355 28 355 29

 
Nosso amigo Daniel Shimomoto Araujo, order diagnosis site que sempre colabora com este espaço, vcialis 40mg no rx recentemente nos enviou o catálogo dos tratores agrícolas Massey Ferguson que reproduzimos aqui. Junto com o presente, recebemos também um interessante “feedback” sobre sua experiência com estas máquinas:

“Aproveito e lhe envio mais alguns catálogos que tinha salvo em
um CD, referente aos Massey Ferguson série 200 do ano de 2007.

Eu tive um Massey Ferguson 275F 4×2. Comprei esse trator por reunir
a mesma motorização do 283 (ficaria fácil “abrir a bomba”) e ter um
conjunto bem provado, além de custar quase 10 mil reais a menos. Mas
nada disso foi necessário: a curva de potência do “Maxion S4″ é boa e
conjugado com uma transmissão bem escalonada, ele tracionava com
galhardia a pesada colheitadeira de arrasto de café (pesava 7 toneladas
– e de quebra havia a necessidade de gerar potência nos motores
hidráulicos da máquina com a TDP).

Observe que na série 250/255 a motorização é indiana – da marca Simpson.
Foi usada também em um Valtra, chamado 585.

Eu pessoalmente sempre achei a linha Massey Ferguson/Perkins a melhor
relação desempenho x economia x custo de manutenção. Apesar disso, não
nego: A paixão minha mesmo é a linha Ford New Holland e seus motores
Ford Diesel de grande cilindrada.”

Daniel, muito obrigado por mais esta bela colaboração!

MF250XF 2007-1 FOPMF255Fokok.cdr FOPMF275maio].cdr FOPMF283Fokok.cdr FOPMF299.cdr FOPMF265.cdr FOPMF275Fok.cdr FOPMF283maio.cdr FOPMF290maio.cdr FOPMF292maio.cdr FOPMF297maio.cdr

4 ideias sobre “Massey Ferguson – Série 200 – 2007

  1. Assim como o Daniel, sou um amante do trator ford.
    Pra MIM, não tem trator melhor.

  2. Evandro, mais algumas curiosidades que eu achei interessante comentar:

    -> Os Massey Ferguson até a série 4283 (o equivalente ao 283 dos catálogos acima) utilizam engrenagens deslizantes no lugar das “constant-mesh” (embora estas figurem como opcional)

    -> Os Massey Ferguson 297/299 utilizam alavanca de cambio central num trator não plataformado (plataforma é a estrutura com paralamas, capota e assento fixada no trator. A fixação nos 297/299 é tudo direto na caixa de transmissão). Os Valmet’s 118/128/138/148 já eram semi-plataformados já na década de 80.

    -> Falando sobre os 297/299, essas máquinas e seus Perkins 6 cilindros nunca foram páreos para os Valmet’s MWM 6 cilindros, que, embora necessite de rotação, tem valores de consumo relativamente baixos (mesmo turbinados) e o bom escalonamento de marchas (que anula a desvantagem da maior rotação do MWM).

    -> Na faixa dos 100cv entretanto, nem os Valmet’s 985 MWM TD229/4 (que por sinal trabalhavam com um fator carga muito elevado e a durabilidade do motor não é das mais altas – tanto assim que o modelo teve o motor substituitdo pelo Sisu Diesel 4.4 Turbo e rebatizado de 985S) plataformados, nem a robustez e o tradicionalismo dos Massey 292: A grande estrela do segmento até bem pouco tempo era o New Holland 7630, uma evolução do Ford 7610 motor FTO4.4. O 7630 com seu enorme Ford Geneses BSD450 (de 5L e 105cv) sempre vendeu muito bem e teve sua legião de consumidores fieis, tanto assim que o modelo sobrevive até hoje, com uma lataria reestilizada mas de projeto basico identico ao dos Ford 7610.

    -> Na linha de 86cv e abaixo no entanto, os Massey sempre foram lideres de mercado, especialmente os modelos 275 e 290 (um dos mais versáteis tratores fabricados)

    • Daniel, para variar, muito bons ensinamentos sobre os fascinantes tratores!

      Alguns dos modelos citados fazem parte de nosso pequeno acervo e serão alvos de posts em breve. Temos o MF 235 Estreito planejado para amanhã.

      Seus comentários são sempre muito apreciados.

      Abração!

Comentários encerrados.