Mercedes-Benz L/LK-1414 e 1418 E, LA/LAK-1418 – Maio de 1994

O Chevrolet Silverado marcou época ao apresentar o primeiro motor “high speed” (de alta rotação) diesel de seis cilindros, here no caso o MWM Sprint 6.07 de 158 cv, patient extraídos de seus 4,2 litros de deslocamento volumétrico.

Além do desempenho, seu ronronar era de tirar o fôlego. A Ford que tinha recém-lançado seu F-250 com motor “de caminhão”, o Cummins B3.9, precisou mudar de rumo e acelerar o desenvolvimento de uma versão com o mesmo Sprint de seis cilindros. Para compensar o atraso, no F-250, o MWM era calibrado para entregar 180 cv.

Lançada em 1997, a linha Silverado permaneceria em produção até 2001, quando a GM decidiu retirar-se do mercado de picapes “full size”, deixando a Ford e seu F-250 sozinhos neste segmento.

Silverado 1 Silverado 2

 
O pacote enviado por nosso amigo Paulo Henrique Lebedenco também encerrava este completo folheto sobre os modelos de 14 toneladas da família HPN original, look antes da Série Brasil.

O catálogo contempla os modelos aspirados L e LK-1414, cialis os 4×4 LA e LAK-1418, nurse além dos estradeiros L e LK-1418 E, estes últimos dotados do propulsor OM-366 A, turbo.

Estivemos aqui nos bastidores tentando descobrir as diferenças entre o L e LK-1418 com os L e LK-1418 E e não encontramos nada significativo na sua mecânica. Alguns folhetos de nosso acervo mostram uma CMT de 27 toneladas para os primeiros e de 30, para os segundos, com o sufixo “E”.  Isso nos leva a crer que o “E” talvez tenha sido acrescentado para indicar a maior capacidade de tração, na época um requisito para a obtenção de crédtio pelo FINAME.

Agradeceríamos se algum especialista em Mercedes pudesse nos confirmar o significado da letra “E” dos L e LK-1418 E.

Obrigado!

1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_1_94 1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_2_94 1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_3_94 1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_4_94 1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_5_94 1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_6_94 1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_7_94 1418 e 1418 E - L-LK-LA-LAK_8_94

43 ideias sobre “Mercedes-Benz L/LK-1414 e 1418 E, LA/LAK-1418 – Maio de 1994

  1. Evandro, aproveitando o post, me tira uma duvida.

    O L/LK-1414 foram produzidos poucas unidades, estou certo? Eu particularmente vi até hoje apenas 2 L-1414: Um caminhão tanque do corpo de Bombeiros de Garça e outro, pertencente a Sabesp.

    • Daniel, você tem razão. Não é um caminhão fácil de ser avistado, o L-1414. Mas sua produção não foi tão pequena assim. Construído a partir de junho 1989, os totais (que incluem exportação, menos CKD) para o L-1414 são os seguintes: 1990-225; 1991-270; 1992-324; 1993-127; 1994-354; 1995-429; 1996-152, segundo estatísticas da Anfavea. O LK-1414 teve cerca de metade deste volume produzido no mesmo período.

      Nos idos de 1992, tive o prazer de fazer uma viagem de avaliação na Castello Branco e nos arredores com um 1414 FPN, carregado com PBT. Apesar de um pouco “lerdão” perto de seus concorrentes turbo da época e de seus engates esquisitos (comparado com Cargo e VW), eu acabei me identificando com o bicho. Acho que o ronco agradável do OM-366 aspirado teve sua parcela de contribuição!

      Abraço, Evandro.

      • Evandro;

        É verdade mesmo! O OM366 tem um ronco agradável mesmo. O nosso antigo L-1214 também tinha esse ronco, bem diferente do ronco caracteristico do 352 quando em aspiração natural.

        Abraços

        Daniel

  2. OLA EVANDRO…

    INTERESANTE ESSSE POST,OTIMOS CAMINHÕES COM BOM DESEMPENHO ATÉ PARA OS DIAS DE HOJE.

    AGORA QUANTO A ESSA QUESTÃO DO 1418E É MUITO INTERESSANTE,JA TENTEI MUITAS VEZES SABER O QUE HAVIA DE DIFERENTE NESSE CAMINHÃO,E SEMPRE FIQUEI NA MESMA,COLOQUEI ESTA DUVIDA A UM DOS INTRUTORES DOS CURSOS DA FABRICA,NO MEU PRIMEIRO FUNDAMENTAL DE SERVIÇO (como sou mecanico na rede de concessionarios esse curso é uma exigencia da fabrica,sendo renovado a cada 3 anos) NÃO SEI SE PORQUE O INSTRUTOR ERA DOS MAIS NOVOS,MAS MINHA DUVIDA ACABOU VIRANDO PERGUNTA,E FICOU SEM RESPOSTA…OU SEJA,FOI LEVANTADO VARIAS HIPÓTESES,MA NÃO SE CHEGOU A UM VEREDITO,MAS AINDA NÃO ME DEI POR VENCIDO,A OPÇÃO QUANTO A CMT É UMA ,SE POR ACASO DESCOBRIR ALGO TEREI PRAZER EM DIVIDIR…

    PELA ATENÇÃO,MUITO OBRIGADO…

    • Caro Reginaldo, enquanto compunha o texto, veio a mente justamente o amigo especialista em Mercedes, na esperança de corrigir esta pane sobre o “E”! Agradeço de qualquer forma a sua atenção. Uma hora decifraremos o enigma! Nosso saudoso professor e amigo Celso Gramigna, que não está mais entre nós desde maio de 2011, saberia responder esta de bate pronto. O Celso era a pessoa que mais entendia de Mercedes e de caminhões como um todo neste país. Fica aqui uma singela saudação para ele, onde quer que ele se encontre! Abraços, Evandro.

  3. …CELSO GRAMIGNA…OLHA EVANDRO,NÃO TIVE O PRAZER DE CONHECELO PESSOALMENTE,PORÉM…SEMPRE SE OUÇO FALAR DELE,PRINCIPALMENTE NOS CURSO NO CENTRO DE TREINAMENTO EM CAMPINAS,NA CONVERSAS COM OS INSTRUTORES MAIS ANTIGOS,UMA DA SGRANDES CABEÇAS PENSANTES DESSE MEIO…FAÇO MINHA SUA SAUDAÇÃO…

    ENFIM…CONVERSANDO ONTEM AINDA COM ALGUNS “PARCEIROS DA GRAXA” ALGUNS MAIS DAS ANTIGA (conversa via facebook,pois no momento estou em férias…) FOI COMENTADO ALGO EM TORNO DE DIFERENÇA NOS EIXOS,O 1418E TINHA A OPÇÃO DE EIXO TRASEIRO DE DUPLA VELOCIDADE O HL5,OPÇÃO ESTA QUE SÓ EXISTIA SOB ENCOMENDA NOS PRIMEIROS L/LK1418,A PARTIR DE UM CERTO ANO,SE COMENTA EM 1992 OU 93,ESSA OPÇÃO NAO MAIS EXISTIA,MAS COMO A PROCURA ERA GRANDE A “ESTRELA DE TRES PONTAS” OPTOU POR TER ESSA OPÇÃO,DEIXANDO O 1418E COMO UMA OPÇÃO ENTRE O 1418 COM EIXO HL4 (de uma velocidade) E O 1618 ESSE QUE NA MAIORIA ERA COM EIXO HL5 (de dupla redução).

    É UM RUMO A SER SEQUIDO,TALVES UM POUCO MAIS DE PESQUISA,MAS O COMENTARIO NO MEIO GIRA SEMPRE EM TORNO DISSO…

    QUALQUER NOVIDADE VOLTAREMOS

    PELA ATENÇÃO,MUITO OBRIGADO…

    • Amigo Reginaldo, obrigado pela pronta resposta, mesmo em férias. Vou analisar os folhetos da época, com atenção especial ao eixo traseiro. Seus comentários fazem todo sentido. Boas férias! Abração. Evandro.

  4. MUITO OBRIGADO AMIGO..
    SUA ATENÇÃO SE FAS A MINHA,AINDA ME É UMA INCOGNITA ESTE “E” PERDIDO POR ALI,PORÉM…OS COMENTARIOS FICAM POR AI,QUALQUER COISA QUE VOCE TIVER NOS EXPONHA,VAMOS TENTANDO DESEMROLAR ESTE NOVELO,DEU UMA PASSADA EM ALGUNS FOLHETOS SEUS AQUI EXPOSTOS,E VI QUE NOS PRIMEIROS EXISTIA ESTA OPÇÃO DE EIXO MESMOSOB ENCOMENDA,TANTO NO 1418 QUANTO NO 1618 (mesmo não estando em questã) POREM SE NÃO ME FALHE A MEMORIA DEPOIS DE UM TEMPO O 1418 NÃO SAIU MAIS COM O EIXO HL5,TENDO ALGUMA NOVIDADE…ESTAREMOS AI…

  5. Aproveitando que a conversa é sobre L/LK 1418, no final dos anos 1990 e início dos anos 2000, já na Série Brasil, foram fabricados os modelos L/LK 1218 R e L/LK 1418 R, além do FPN 1418 R. Lembro que uma vez a Mercedes-Benz me esclareceu várias dúvidas sobre nomenclatura de caminhões através de e-mail, porém a dúvida em relação ao R não foi esclarecida, assim como o E nos L/LK 1418 E. Lendo os comentários anteriores deduzo que seja E de Extra devido ao tipo de eixo traseiro, assim como deduzo que o R seja de Rodoviário no caso dos L/LK 1218 R, L/LK 1418 R e 1418 R. Enfim, posso estar errado…

    • Obrigado, amigo Geremias, por nos ajudar a desvendar o mistério dos sufixos da Mercedes dos anos noventa. Ao contrário dos prefixos, L, LK, LA, LS, etc., tão amplamente divulgados nas literaturas da marca, os sufixos pareciam segredos de marketing. Outro colega nos comentou que o “R” era de “Rural”, segundo um instrutor da Mercedes. Enquanto isso, o “E” permanece envolto na neblina do desconhecimento. Abraço, Evandro.

      • Aproveitando a deixa gostaria de solicitar posts sobre os L/LK 1218 R, L/LK 1418 R e 1418 R; R de Rural é a primeira vez que eu ouço…

  6. BEM LEMBRADO SENHORES,O”R”…SE NÃO ME ENGANO TENHO ALGO SOBRE ISTO,ASSIM QUE VOLTAR A ATIVA VOU DAR UMA VASCULHADA NAS A POSTILAS…

    AINDA ME LEMBRO DA “BAFAFA” QUE FICOU EM TORNO DO LS 1938 E DO 1938 S,TENDO QUE O PRIMEIRO SE TRATA DE UM;
    CAMINHÃO (L) CAVALO MECANICO (S) 1938,COM CABINE SEMI-AVANÇADA
    JA O 1938 S É UM CAVALO MECANICO COM CABINE AVANÇADA,E A MERCEDES EM SEUS VEICULOS CABINE AVANÇADA NÃO UTILIZA LETRAS DE IDENTIFICAÇÃO ANTES DA IDENTIFICAÇAÕ NUMERICA,ASSIM ESTA COMO O L1418 (HPN) E O 1418 (FPN),É COMO SE DIZ ATÉ OS DIAS ATUAIS,É UMA “CAIXA DE PREGO”.COM TODO RESPEITO A ESTRELA É CLARO…

    • Grato, Reginaldo, por comentar e por ajudar a esclarecer os prefixos e sufixos da Estrela. Abraço, Evandro.

  7. NA VERDADE ME EXPLICANDO MELHOR:

    O “L”,JA SIGNIFICA CAMINHÃO COM CABINE SEMI AVANÇADA,POR ISSO NÃO PODE SER USADO NUM CAMINHÃO COM CABINE AVANÇADA…DEIXANDO NESSA ULTIMA VERSÃO A LETRA DEPOIS DA SIGLA NUMERICA (1944S,2423K,ETC…)

  8. Grande Evandro, belo debate. Isso encoraja a continuar o trabalho para desembaraçar esse emaranhado de siglas e números.
    Quanto ao (L-1418) e o (L-1418 E), meu amigo Alex Bonfim de Marília-SP, afirmou que trabalhou como motorista em uma empresa que tinha os dois modelos. De acordo com a sua experiência profissional, a diferença estava que o (L-1418) vinha equipado com caixa de 5 velocidades e o (L-1418 E) com caixa de 6 velocidades, entretanto, ao analisarmos os folders essa informação não se confirma.
    Quanto ao L-1218 R, L-1418 R, um belo dia deparei em Bataguassu-MS com um L-1418 R, boiadeiro de propriedade do Frigorífico MARFRIG. Cheguei ao motora e o questionei a respeito do misterioso “R” e de acordo com ele o “R” é uma especificação que o modelo vocacionado para o seguimento Rural, ou seja, para as condições severas e mistas de uso .
    Teve também o L-1218 EL e L-1622 EL, nesse caso tenho a informação que o “EL” dava destaque a uma nova série de motores da MB. Era o então lançamento dos motores Eletrônicos da série 900.
    A tempos fiz um post a respeito da nomenclatura dos caminhões MB, aproveito a oportunidade para deixar o link: http://www.fotolog.com.br/mercedenco/102565095/ entretanto na época tinha pouco conhecimento sobre o tema, que levaram a cometer alguns erros primários.
    Sempre avante com o projeto!
    Abraços ao amigo.

    • Estimado amigo Paulo Henrique, bom dia! Obrigado por seu relato enriquecedor. Vamos juntos tentando desvendar estes segredos da marca. Parabéns pelo seu fotolog, que está cada dia melhor. Um abraço, Evandro

  9. Mesmo sem a cofirmação nos manuais, eu me lembro que o 1418E vinha com a caxa de mudanças com 6 marchas.

    • Caro Geraldo, tem razão. Mas a literatura de outubro de 1991 também mostrava a caixa G-3/60-5/7,5 de 5 marchas, além da citada 6 marchas, no caso uma G-3/55-6/8,5. Permanece o enigma a ser resolvido… Mas, não vamos desistir. Uma hora vamos descobrir o significado exato do bendito “E”. Grande abraço e obrigado por contribuir!

  10. Bom,se ajudar a esclarecer a dúvida ja trabalhei nos dois,L1418 e L1418E e a única diferença que existe e realmente a caixa de mudanças. O L1418 possui caixa g3/60 nacional,ja o L1418E possui caixa argentina g3/55 a mesma utilizada no mb 1114 3/4,que por sinal também é um modelo raro.Vale salientar que essa caixa g3/55 tem uma fama de ter a manutenção caríssima aqui em pernambuco quando quebra o pessoal troca logo pela g3/60.

  11. Ola amigos, vi a conversa de vcs sobre a tal letra E, meu pai era caminhoneiro e eu conheci um 1414 E, e ele era 6 marchas, eu sempre associei a letra E do 1414 e do 1418 a caixa de seis marchas!

  12. Conversando com meu pai, ele me informou que a diferença do 1418 e do 1418E está realmente na caixa de marchas, sendo o primeiro de 5 com redução e o E com 6 marchas simples. Abraço.

  13. e qual e a diferença entre o L 1620 e o LK1620 ou o L1318 e LK1318 dos modelos mais novos ja eletronicos

    • Clenio, boa tarde! Desculpe a demora para responder.

      Não sei se entendi sua pergunta, mas vou tentar responder.

      A diferença entre os L e os LK está na tomada de força, fornecida como item de série nas transmissões dos modelos com sufixo “K”.

      A diferença dos antigos modelos 1620 para os mais novos está no motor OM-906 LA eletrônico, em lugar do OM-366/LA dos modelos mecânicos. A nova motorização foi introduzida para atender os novos limites do Proconve P5, ou Euro 3.

      No caso do 1318, o modelo já nasceu com motor OM-904 LA eletrônico. Cabe lembrar que o L-1318 nasceu como evolução do L-1218 EL, com o mesmo motor de 170 cv. Por sua vez, o L-1218 EL substituiu o L-1218 R, com motor mecânico OM-366 A.

      Espero ter conseguido sanar suas dúvidas.

      Caso contrário, por favor volte a entrar em contato.

      Um abraço.

  14. Caro Amigo Evandro,um primo meu,que dirige caminhao ha uns 15,20 anos e já trabalhou em um 1618 E me disse que a diferença do 1618 para o 1618 E é que o primeiro vem com 5 marchas a frente e uma a ré,enquanto o segundo vem com 6 marchas a frente e uma a ré, o que provavelmente significa que o sufixo E é para designar o modelo com uma marcha a frente a mais. Eu só nao sei se isso se aplica ao modelo 1418 e ao 1418 E

    • Caro Julio, desculpe a demora para responder.

      Em primeiro lugar, obrigado pela contribuição. Alguns comentários:

      1 – Pesquisei todo meu material do começo dos anos 90 em busca de especificações ou citações sobre o L-1618 E e não encontrei nada. Nas estatísticas de produção da ANFAVEA somente aparece o modelo L-1618.

      2 – Quanto ao L-1418 E, que também não aparece nas estatísticas (possivelmente por ter sido contabilizado simplesmente como “L-1418”), a teoria não se confirma. Ambos L-1418 e L-1418 E tinham caixas de 5 marchas, como comprova uma literatura da época.

      Um abraço.

  15. Pessoal, dando uma olhada pela internet achei isso:

    o K significa ser preparado para caçamba,
    o A significa agricola, 4×4
    o S cavalo trator
    o L é cabine semi avançada (para ver o motor, você abre o capô, se não tiver o L no modelo, é cabine avançada, onde para ver o motor, você bascula a cabine toda)

    isso a MB combina conforme aplicação, então pode ser LA, LAK, LK, K, L, S ou LS

    • Caro Jaury, desculpe a demora para responder seu comentário. Em linhas gerais, você está correto, mas os prefixos têm o seguinte significado:

      O prefixo “K” indica versão especial para básculas (do alemão “kipper”), equipado com tomada de força na transmissão.
      O prefixo “A” vem do alemão “allradfahrzeug”, algo como veículo comercial com tração total.
      O “L” vem de “lastwagen”, ou veículo de carga em alemão.
      Já o “S” vem de “sattelzugmaschine”, ou unidade tratora.

      Obrigado por sua contribuição.

      Um grande abraço.

  16. Olá senhores ! . Eta caminhão popular e bom o 1418/51 bicudo ! . Apesar da opção do 1418 cara-chat o 1418 bicudo vendeu bastante , até hoje esse caminhão é muito querido ! .

      • Sem duvida EVANDRO ! . 2 Observações minhas : . 1 º Já que tinha 1418 bicudo e o ATRON 1319 é da família MERCEDES , porque não ATRON 1419 bicudo também ? . Seria legal ! . Eu acho ! . A linha ATEGO reavivou boa parte dos caminhões MERCEDES 1418HPN 1418 ATEGO sucessores 1419 ATEGO 1718 cara chata , 1718 cara farol circular , FPN 1718 eletrônico , e agora 1719 , mais não reavivaram o 1518 ATEGO que agora seria 1519 ATEGO mesmo apesar de existir 1519 , obrigado ! .

        • Breno, acredito que a Mercedes resolveu apostar no nicho que tem mais volume de vendas, no caso o de 13 toneladas, simplificando a oferta de modelos, o que representa menores custos de produção e de pós-vendas. Um abraço.

  17. ola amigos,a respeito da duvida 1418L L 1418E,eu ja ouvi dizer que o E da questao quer dizer esportaçao,quanto a cx de marchas eu tenho um 1418E ano 95/96 cx de 5 marchas,meu caminhao e muito novo e conservado,aparentemente e todo original,um abraço a todos

  18. Boa tarde !
    Eu gostaria de ver publicado aqui as características do 1714 C cara chata.
    Desde já agradeço a atenção.

    • Olá, Alez. Não existiu 1714 C. Você não estaria se referindo ao 1214 C? Obrigado. Um abraço.

  19. comprei um caminhao 17-14 ano 97, que foi arrematado em um leilao da prefeitura de juiz de fora, mas me arrependi muito, pois o caminhao estava muito alterado, caixa de 5 marchas argentina que me informaram nao vale nada, diferencial e de onibus, forros de porta nao tem , e quando tem e um absurdo, alavanca puseram um cambao que e horrivel de engrenar marchas, nao pensei que ia me arrepender tanto, pois tinha comprado um mercedes bens 97 frontal, por fvor se alguem tiver uma soluçao me informa meu tel 24 -988810397 zap

  20. Olha mais raro que a famosa e mal falada g3/55-6 é a g3/50-5 que alem de cara não tem o beneficio de ter 6 marchas , essa caixa (g3/50-5) eu tinha visto frequentemente em onibus , mas nesse catalogo é citado no lk 1414.Alguem ja viu esse cabio realmente no caminhão?

  21. Tenho uma dúvida, não sei se aqui seria o melhor lugar para tira la, mas é a seguinte, meu pai tem um L1620 ano 2000 motor OM 366 LA, e teve um problema no motor, aí ofereceram um motor de um L1418 ano 1991 que está revisado e parado, deve ser o OM 366 A para pegar o nosso e montar um só motor. Será que dá certo,ou o 1620 do meu pai fica mais fraco?

  22. BOM DIA IRMÃOS!! ONDE EU PODERIA CONSEGUIR INFORMAÇÃOES SOBRE O CURSO E TREINAMENTO DE MONTAGEM, DESMONTAGEM E SCANNER DOS MOTORES MERCEDEZ E OM-366?

Comentários encerrados.