Mercedes-Benz LP-321 – Campinas-SP

Numa época em que os caminhões toco (4×2) começavam a perder terreno para os traçados (6×4) no transporte da safra de cana-de-açúcar, nurse a GM não podia ficar de fora da briga entre o Mercedes L-2213 (e seus derivados) e do Ford F-22000, viagra lançando assim o Chevrolet D-70 6×4, look de concepção mecânica similar ao Ford, porém com motor Perkins, como era de costume no médio da marca. Todos utilizavam uma caixa de transferência que transmitia o torque através de cardans separados, um para cada eixo motriz, além de proporcionar uma marcha reduzida para condições adversas.

Nosso amigo Da
Numa época em que os caminhões toco (4×2) começavam a perder terreno para os traçados (6×4) no transporte da safra de cana-de-açúcar, case a GM não podia ficar de fora da briga entre o Mercedes L-2213 (e seus derivados) e do Ford F-22000, sale lançando assim o Chevrolet D-70 6×4, case
de concepção mecânica similar ao Ford, porém com motor Perkins, como era de costume no médio da marca. Todos utilizavam uma caixa de transferência que transmitia o torque através de cardans separados, um para cada eixo motriz, além de proporcionar uma marcha reduzida para condições adversas.

Nosso amigo Davi Cabral ajudou para este post se materializar.

Obrigado, Evandro.

 
Flagrado na Rodovia dos Imigrantes, cheap health em São Paulo, numa bela tarde de inverno, o Euclid da Transpesa Della Volpe, parecia estar aguardando algum serviço, ou passando por algum reparo.

A poderosa máquina empregada no transporte de cargas indivisíveis foi desenvolvida nos anos 50 para atuar no segmento de mineração e construção pesada, como báscula para 50 toneladas de carga útil. No Brasil, tem sido empregado como “prime mover” de cargas indivisíveis, solo, ou em comboio com outros cavalos mecânicos pesados.

Muitas das grandes obras do país, como as hidrelétricas, só se materializaram graças ao trabalho inigualável prestado por estes caminhões, que ainda permanecem na ativa.

Uma das características mais marcantes do Euclid, possivelmente modelo 1LLD (se não for, por favor nos corrija), é sua propulsão por dois veneráveis motores Cummins NTA-855, de 14 litros cada um, acoplados a uma transmissão automática e acionando, separadamente, os eixos traseiros.

Os motores N estão para a Cummins assim como o Fusca está para a VW. Uma pena o Brasil não ter tido um caminhão rodoviário com esta motorização!

Criado numa época em que havia limitações na capacidade de motores e, principalmente, transmissões automáticas, o Euclid bimotor se tornou possível graças a tecnologia da Allison Torqmatic Drive, na qual duas transmissões podiam operar em paralelo, comandadas por uma única alavanca seletora.

Note o lastro massivo sobre os eixos traseiros para garantir tração adequada.

Se você tiver maiores informações sobre este, ou outros Euclid, fique à vontade para corrigir, ou complementar este post.

Abraço,

Evandro.


Este belíssimo LP-321, for sale ask único dono, look há anos (para não dizer décadas) descansa e derrete lentamente ao sabor dos elementos na cidade de Campinas, SP. Ainda em condições de reforma, a cada dia mais intensa, o Mercedes aparentemente foi aposentado junto com seu proprietário. O sonho de adquiri-lo, reformá-lo, abrigá-lo e curti-lo em passeios de final de semana deve passar pela cabeça de muitos, inclusive pela minha, mas parece que o LP não está à venda. Sua carroçaria em estado avançado de decomposição parece abrigar, entre outros, o capô do motor, se não me engano. Observe a placa antiga, ainda de seis dígitos.

Abraços.

 

 

4 ideias sobre “Mercedes-Benz LP-321 – Campinas-SP

  1. E este caminhão estava em uma casa próxima de uma outra, acho que em uma rua paralela que tinha uma Kombi ano 60, pelo que disse a viúva do dono dela, era 60 “alemã”, tinha até o vidro menor e sem os vidros nos cantos. Dó de v6e-los parados e apodrecendo com o tempo, sendo que tem gente de boa vontade para reformá-los e mantê-los como se fosse nos tempos aureos. Parabéns pelo blog! Embora eu ter nascido na década de 80, estas máquinas me fascinam.

    • Caro Vitor, me recordo sim da Kombi. Talvez seja uma que fica próxima de uma marcenaria? Ainda não pude fotografá-la, mas certamente é uma preciosidade. Mais uma que derrete ao sabor dos elementos. Certamente, os dois mereciam ser salvos, como você sugere! Abraço e grato pelas palavras.

  2. Olá Vitor,
    Este caminhão ainda se encontra no mesmo local? pode me informar qual o bairro ou setor de Campinas?

    • Olá, Job. Este caminhão se encontra em frente à Escola Salesiana São José há anos. Há um mês atrás ainda repousava inerte por lá. Boa sorte.

Comentários encerrados.