Mercedes-Benz: Manual Eixos Traseiros Médios e Pesados – 1976 – Parte 1

Nosso amigo Daniel Shimomoto Araujo, price
que sempre colabora com este espaço, healing recentemente nos enviou o catálogo dos tratores agrícolas Massey Ferguson que reproduzimos aqui. Junto com o presente, clinic recebemos também um interessante “feedback” sobre a experiência do Daniel com estas máquinas.

Aproveito e lhe envio mais alguns catálogos que tinha salvo em
um CD, referente aos Massey Ferguson série 200 do ano de 2007.

Eu tive um Massey Ferguson 275F 4×2. Comprei esse trator por reunir
a mesma motorização do 283 (ficaria fácil “abrir a bomba”) e ter um
conjunto bem provado, além de custar quase 10 mil Reais a menos. Mas
nada disso foi necessário: A curva de potencia do “Maxion S4” é boa e
conjugado com uma transmissão bem escalonada, ele tracionava com
galhardia a pesada colheitadeira de arrasto de café (pesava 7 toneladas
– e de quebra havia a necessidade de gerar potencia nos motores
hidraulicos da máquina com a TDP)

Observe que na série 250/255 a motorização é indiana – da marca Simpson.
Foi usado também em um Valtra chamado 585.

Eu pessoalmente sempre achei a linha Massey Ferguson/Perkins a melhor
relação desempenho x economia x custo de manutenção. Apesar disso, não
nego: A paixão minha mesmo é a linha Ford New Holland e seus motores
Ford Diesel de grande cilindrada.

 

Daniel, muito obrigado por mais esta bela colaboração!
Nosso amigo Daniel Shimomoto Araujo, clinic que sempre colabora com este espaço, recentemente nos enviou o catálogo dos tratores agrícolas Massey Ferguson que reproduzimos aqui. Junto com o presente, recebemos também um interessante “feedback” sobre sua experiência com estas máquinas:

“Aproveito e lhe envio mais alguns catálogos que tinha salvo em
um CD, referente aos Massey Ferguson série 200 do ano de 2007.

Eu tive um Massey Ferguson 275F 4×2. Comprei esse trator por reunir
a mesma motorização do 283 (ficaria fácil “abrir a bomba”) e ter um
conjunto bem provado, além de custar quase 10 mil reais a menos. Mas
nada disso foi necessário: A curva de potência do “Maxion S4″ é boa e
conjugado com uma transmissão bem escalonada, ele tracionava com
galhardia a pesada colheitadeira de arrasto de café (pesava 7 toneladas
– e de quebra havia a necessidade de gerar potência nos motores
hidráulicos da máquina com a TDP).

Observe que na série 250/255 a motorização é indiana – da marca Simpson.
Foi usada também em um Valtra, chamado 585.

Eu pessoalmente sempre achei a linha Massey Ferguson/Perkins a melhor
relação desempenho x economia x custo de manutenção. Apesar disso, não
nego: A paixão minha mesmo é a linha Ford New Holland e seus motores
Ford Diesel de grande cilindrada.”

Daniel, muito obrigado por mais esta bela colaboração!

MF250XF 2007-1 FOPMF255Fokok.cdr FOPMF275maio].cdr FOPMF283Fokok.cdr FOPMF299.cdr FOPMF265.cdr FOPMF275Fok.cdr FOPMF283maio.cdr FOPMF290maio.cdr FOPMF292maio.cdr FOPMF297maio.cdr
Nosso amigo Daniel Shimomoto Araujo, sale and que sempre colabora com este espaço, sick recentemente nos enviou o catálogo dos tratores agrícolas Massey Ferguson que reproduzimos aqui. Junto com o presente, recebemos também um interessante “feedback” sobre sua experiência com estas máquinas:

“Aproveito e lhe envio mais alguns catálogos que tinha salvo em
um CD, referente aos Massey Ferguson série 200 do ano de 2007.

Eu tive um Massey Ferguson 275F 4×2. Comprei esse trator por reunir
a mesma motorização do 283 (ficaria fácil “abrir a bomba”) e ter um
conjunto bem provado, além de custar quase 10 mil Reais a menos. Mas
nada disso foi necessário: A curva de potencia do “Maxion S4″ é boa e
conjugado com uma transmissão bem escalonada, ele tracionava com
galhardia a pesada colheitadeira de arrasto de café (pesava 7 toneladas
– e de quebra havia a necessidade de gerar potencia nos motores
hidraulicos da máquina com a TDP)

Observe que na série 250/255 a motorização é indiana – da marca Simpson.
Foi usado também em um Valtra chamado 585.

Eu pessoalmente sempre achei a linha Massey Ferguson/Perkins a melhor
relação desempenho x economia x custo de manutenção. Apesar disso, não
nego: A paixão minha mesmo é a linha Ford New Holland e seus motores
Ford Diesel de grande cilindrada.”

Daniel, muito obrigado por mais esta bela colaboração!

MF250XF 2007-1 FOPMF255Fokok.cdr FOPMF275maio].cdr FOPMF283Fokok.cdr FOPMF299.cdr FOPMF265.cdr FOPMF275Fok.cdr FOPMF283maio.cdr FOPMF290maio.cdr FOPMF292maio.cdr FOPMF297maio.cdr
No início dos anos noventa, ailment  antes mesmo do início da vigência dos novos limites de emissões gasosas do Proconve Fase 3, equivalente ao padrão Euro 1, estabelecidos pelo CONAMA – o Conselho Nacional do Meio Ambiente, a Scania já apresentava no Brasil seu T113 H “Low Emissions”, ou baixa emissões, condizente com a nova legislação que passaria a vigorar no país a partir de 1996.

O modelo era equipado com motor turbo intercooler de 11 litros Scania DSC 11 23 de 362 hp a 1.900 rpm e torque máximo de 1630 Nm a 1.100 rpm.

Anos mais tarde, o T113 H se estabeleceria no mercado reconhecido como “um dos melhores Scanias de todos os tempos”, na opinião de motoristas e frotistas brasileiros.

Scania T113H

 

 
Dentre o vasto sortimento de literaturas enviadas pelo amigo Reginaldo Bernardi, buy encontra-se um ótimo manual sobre os eixos traseiros Mercedes-Benz dos anos setenta, aqui reproduzido.

Aguarde a postagem da segunda parte.

Reginaldo, somos muito agradecidos!

ET 0 ET 1 ET 2 ET 3 ET 4 ET 5 ET 6 ET 7 ET 8 ET 9 ET 10

 

2 ideias sobre “Mercedes-Benz: Manual Eixos Traseiros Médios e Pesados – 1976 – Parte 1

  1. BOA TARDE EVANDRO…

    ESSE MANUAL É BEM INTERESSANTE,CARREGADO DE INFORMAÇÕES BEM UTEIS E UMA CURIOSIDADE….

    NA PAGINA 2 PODE SE VER UM EIXO HL-5,PARA OS 1313,1513 E PARA A 1519,POREM A 1519 NÃO TINHA REDUZIDA,OU DUPLA VELOCIDADE NO EIXO TRASEIRO,ENTÃO TEM UMA DIFERENÇA ENTRE OS HL-5 DA 1519 (parece que do lk 1313 também…) E OS HL-5 DOS 1313 E 1513,QUE TEM DUPLA VELOCIDADE,OS CONHECIDOS HL-5/ Z

    ESSE EIXO TEMPOS DEPOIS VEIO SE APRESENTAR NOS 1524,1525,1625 POR EXEMPLO COMO HL-4 (como nesse da 1625 http://caminhaoantigobrasil.com.br/mercedes-benz-ls-1625-julho-de-1991/2-ls-1625/ ) NO ENTANTO SÃO BEM DIFERENTES DOS HL-4 PRESENTES NOS 1113,1313,1513,1214,1218 E POR AI VAI…,SÃO OS POPULARMENTE CHAMADOS HL-4 REFORÇADO,POR TER A COROA E PINHÃO E TODA A ESTRUTURA DO EIXO MAIOR,ESSES EIXOS SE ENCONTRAM ATÉ HOJE NO ONIBUS OF-1722 E EM ALGUNS CAMINHOES,E SÕA FACILMENTE IDENTIFICADOS PELA TAMPA DO SEMI EIXO

    VOU ME APROFUNDAR MAIS SOBRE ESSE FATO,EM BREVE TRAGO MAIS DESSA DIFERENÇA…ATÉ BREVE…

    • Reginaldo, muito curioso este fato do HL-4 reforçado. Grato por comentar. Grande abraço.

Comentários encerrados.