Mercedes-Benz O-364 11R – 1982

O 364 11R 1 O 364 11R 2

Com a produção iniciada em agosto de 1979, capsule o Mercedes O-364 11R chegou ao mercado para render o antecessor O-362 Urbano, order igualmente monobloco integral de motor traseiro.

Além da versão com motor OM-352 de 130 cv, generic chamada de 101, havia também uma mais potente, com o propulsor OM-355/5 de 170 cv, conhecida como a variante 111, nos idos de 1981. A versão ilustrada no catálogo era designada como 11R, sufixo indicativo de sua execução urbana. Seus primos rodoviários, projetados para substituir o O-355, vinham em duas embalagens: o 12R curto, com motores OM-352, OM-352 A, ou OM-355/5; e o 13R longo, com propulsor OM-355/6 aspirado.

Interessante notar que, naquela época, seu motor de 9,6 litros era ajustado para render 170 cv e 608 Nm, um contraste com o Mercedes OH-1417 postado aqui ontem, 20 anos mais jovem, cujo propulsor de 4,3 litros produzia a mesma potência e 660 Nm…

Em breve teremos mais sobre o tema O-364.

 

 

6 ideias sobre “Mercedes-Benz O-364 11R – 1982

  1. Nunca tive oportunidade de andar com esse modelo em específico, mas já andei com O-362 e O-371 e no mês passado em um evento realizado em Joinville-SC, tive o prazer de andar em um ônibus monobloco urbano O-321HL de 1968. A suspensão é de uma maciez indescritível. E os bancos estofados com assentos de molas fazem os passageiros nem sentir o ônibus passando pelas ruas de paralelepípedo. Mas essa experiência me fez pensar que nesse quesito os ônibus de hoje são um retrocesso. Apenas o desempenho é ruim, pelo motor fraco, mas era o que tinha na época.

    • Fernando, boas palavras.

      Elas nos remetem ao ônibus escolar dos primeiros anos de estudos.

      Primeiro, nos idos de 1975, andávamos de O-352 HL, com aquela porta de emergência que morríamos de vontade de abrir… Depois, o velho 352 deu lugar a um O-362 novinho, da empresa Capellini. Macio, cheirando a novo e com aquela alavanca típica para abertura manual da porta. A maciez da suspensão dianteira de molas helicoidais destes monoblocos era realmente notável.

      Nascidos e criados em Campinas, SP, também costumávamos andar de O-364 11R (OM-352) da finada CCTC (Companhia Campineira de Transportes Coletivos, um braço urbano da famosa Cometa). Dava pena de ver os motoristas judiando do 64, ao sair em segunda marcha. A caixa G-3/40 era mais longa e a segunda não tinha o vigor da G-3/36 dos LPO-1113, maioria na frota e aos quais os motoristas estavam mais acostumados.

      Abraço.

      • As molas helicoidais tinham uma característica interessante:quando novas faziam a frente dos monoblocos pularem nas ondulações da pista, principalmente nos O-352, O-355 e O-362. No O-364 nem tanto, mas acontecia também. Já quando desgastadas, elas faziam a carroceria “bater seco” e tinham vida útil curta, porém, eram bem macios.

        O O-364 tinha motor com potência para quem não tinha pressa, se bem que eu já andei em alguns O-364, que eram mais vigorosos, comparado com os primeiros, mesmo cheios. Tenho a impressão que esses usavam o OM-352 A com 156 cv antes do retrocesso do O-365 com 122 cv.

        Abraço e parabéns pelo site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Complete a conta. *