Motor Cummins Série C91 – Manual de Oficina – Parte 1

Num tempo em que os tratores 4×4 ainda engatinhavam no mercado brasileiro, remedy o 275/4 impunha respeito entre os antigos e populares Masseys 65X e 75X, check e Valmets 68 e 78, patient pelo seu porte imponente e pelo trem dianteiro com grandes pneus trativos 12.4 – 24.

A força motriz era garantida pelo afamado Perkins A4.236, empregado (sem o prefixo “A” de agrícola) em tantas aplicações tais quais o querido picape Chevrolet D-10, caminhões leves Dodge e Volkswagen e numa infinidade de máquinas agrícolas e de construção e equipamentos estacionários, como moto-bombas e grupos geradores.

Na calibração do 275/4, a máquina de 4 cilindros e 3,9 litros estava ajustada para produzir 77 cv a folgadas 2.000 rpm, ou 58 cv na TDP a 540 rpm, para acionamento de implementos variados.

275 4 1 275 4 2
Num tempo em que os tratores 4×4 ainda engatinhavam no mercado brasileiro, sildenafil o 275/4 impunha respeito entre os antigos e populares Masseys 65X e 75X, cialis e Valmets 68 e 78, pelo seu porte imponente e pelo trem dianteiro com grandes pneus trativos 12.4 – 24.

A força motriz era garantida pelo afamado Perkins A4.236, empregado (sem o prefixo “A” de agrícola) em tantas aplicações tais quais o querido picape Chevrolet D-10, caminhões leves Dodge e Volkswagen e numa infinidade de máquinas agrícolas e de construção e equipamentos estacionários, como moto-bombas e grupos geradores.

Na calibração do 275/4, a máquina de 4 cilindros e 3,9 litros estava ajustada para produzir 77 cv a folgadas 2.000 rpm, ou 58 cv na TDP a 540 rpm, para acionamento de implementos variados.

Na foto abaixo, o 275/4 desempenhava serviço com arado fixo de 3 discos.

275 4 1 275 4 2
Num tempo em que os tratores 4×4 ainda engatinhavam no mercado brasileiro, seek o 275/4 impunha respeito entre os antigos e populares Massey 65X e 75X, pharmacy e Valmet 68 e 78, patient pelo seu porte imponente e pelo trem dianteiro com grandes pneus trativos 12.4 – 24.

A força motriz era garantida pelo afamado Perkins A4.236, empregado (sem o prefixo “A” de agrícola) em tantas aplicações tais quais o querido picape Chevrolet D-10, caminhões leves Dodge e Volkswagen e numa infinidade de máquinas agrícolas e de construção e equipamentos estacionários, como moto-bombas e grupos geradores.

Na calibração do 275/4, a máquina de 4 cilindros e 3,9 litros estava ajustada para produzir 77 cv a folgadas 2.000 rpm, ou 58 cv na TDP a 540 rpm, para acionamento de implementos variados.

Na foto abaixo, o 275/4 desempenhava serviço com arado fixo de 3 discos.

275 4 1 275 4 2
Em mais uma das incontáveis ajudas do amigo Reginaldo Bernardi, search de Colombo, PR, trazemos até você o Manual de Oficina do Motor Cummins Série C91.

Mais lembrado pelo seu excelente desempenho, com baixo consumo de combustível e lubrificante, em padrões desconhecidos ao tempo de seu lançamento, na segunda metade dos anos oitenta, o motor Cummins Série C, de seis cilindros em linha e 8,3 litros de cilindrada, também teve seus percalços, como muitos produtos em sua infância.

Um dos mais indesejáveis problemas era a trinca do bloco de cilindros, na chamada gama C88, a primeira que veio ao Brasil e que equipava os caminhões VW 14.210 e 16.210. Quando submetido a superaquecimento, ao invés de queimar a junta de cabeçotes, como era de se esperar, o motor simplesmente tinha seu bloco trincado entre os cilindros centrais, inutilizando-o, sem que a junta denunciasse qualquer problema. O reparo demandava a cara e complexa troca do bloco de cilindros e deixava os cliente muito insatisfeitos.

Para remediar a inadmissível falha, a Cummins, depois de muitos testes e desenvolvimentos, introduziu uma nova gama, denominada C91, com inúmeras melhorias, em diversos sistemas, inclusive com um bloco reforçado com paredes mais espessas entre os cilindros. Com a nova série C91, o motor pode crescer até 3 centenas de cv, num limite jamais visto no país para um propulsor tão pequeno na época, usufruindo de ótima reputação entre os operadores.

O Manual que começamos a postar aqui refere-se justamente a esta gama melhorada do motor Série C da Cummins, que podia ser identificada externamente por detalhes como o filtro de óleo “combo”, de maior comprimento total.

C 0 C 1 C 1S C 2 C 2S C 3 C 3S C 4 C 5 C 6 C 7 C 8 C 9 C 10 C 11

 

 

13 ideias sobre “Motor Cummins Série C91 – Manual de Oficina – Parte 1

  1. OLA EVANDRO…

    CONFESSO AQUI QUE DESCONHECIA ESSE DETALHE DOS MOTORES, ESSA DIFERENÇA ENTRE O C88 E O C91,NOMECLATURA QUE AGORA ACABEI DE CONHECER TAMBÉM,MITO INTERESSANTE,E BEM UTIL PARA OS QUE ASSIM COMO EU TEM A OFICINA COMO CAMPO DE TRABALHO…

    EU ACHO ESSE MANUAL MUITO BEM DETALHADO E USA UMA LINGUAGEM BEM DIRETA,INCLUSIVE MESMO EU TRABALHANDO MAIS COM MERCEDES,JA MONTEI UM MOTOR DE UM VOLKS 16-220 USANDO ESSE MESMO MANUAL…

    ACHO INTERESSANTE O SISTEMA DE ACIONAMENTO DA BOMBA INJETORA DESSES CUMMINS,O EIXO SE ALOJA NA ENGRENAGEM APENAS POR UM FURO CONICO,NÃO USA A CHAVETA COMO OUTROS MOTORES,EXIGINDO UM POUCO MAIS DE CUIDADO NA HORA DA MONTAGEM…

    • Amigo Reginaldo, este manual é excelente mesmo. Em geral a literatura da Cummins é muito boa, clara e fácil de compreender. Bem lembrado esta questão da engrenagem da bomba. Inclusive, para assegurar o ponto correto estes motores (e também o Série B) têm um pino plástico na carcaça de engrenagem. Os mecânicos menos avisados sempre decepavam a cabeça do dito pino…! Recordo-me de um pino de aço feito especialmente para os motores de treinamento, para evitar tal inconveniente… Abração.

  2. BEM LEMBRADO AMIGO EVANDRO….

    CONHECI ESSE PINO AINDA NO TEMPO QUE FIZ O CURSO DE MOTORES DO SENAI,ERA CHAMADO DE “FOQUETINHO”…E DAVA UMA GRANDE AJUDA NA HORA DA MONTAGEM…

  3. Boa tade , tenho um veiculo vw 31.310 com motor cumins,é
    um otimo motor, estou procurando igual, mais estou com um problema
    com o mesmo, e nao estou solucionando o mesmo, ja executei todoos
    os recursos e nao consegui solucionar o problema. O mesmo esta/
    aquecendo. Trocamos radiador, eletroventilador, bomba dagua, valvulas
    termostatica, deposito de compensação, junta cabeçote, compressor de
    ar, revisamos bomba e bicos injetores, mangueira inferior e superior /
    do radiador, examinamos freio motor. Ja me deparei com bronca mais es/
    ta, ate o momento não resolvi.

    • Caro Acacio, que coisa, hein!

      Desculpe a pergunta, mas verificou o sensor e o indicador de temperatura? Será que a leitura esta correta, ou o motor chega mesmo a ferver? Vamos deixar aberto na esperança que algum leitor possa dar mais sugestões de como resolver este mistério. Abraço.

    • Caro Emerson, se o motor estiver aberto, a maneira mais fácil e pela maior espessura da parede do bloco na região entre os cilindros do C91. Externamente, o C91 usa o filtro de lubrificante grande (tipo “combo”) e a tampa do arrefecedor de óleo é diferente do C88. Boa sorte a grato pela ótima pergunta. Abraço.

      • BOA TARDE AMIGO, MEU MOTOR CUMINS SERIE C BATEU E ME DISSERAM QUE NÃO ADIANTA EU TROCAR APENAS O QUE DANIFICOU E SIM TUDO DIZEM POR AQUI Q O CUMINS NAO ACEITA MEIA SOLA QUE SERIA O REPARO APENAS DO QUE REALMENTE ESTRAGOU ELE ESTA EM UM TRUCK CAÇAMBA CARREGA A MEDIA DE 20 T POR VIAGEM PROCEDE ESTA INFORMAÇÃO

        • Caro Emerson, depende muito dos danos, da qualidade das peças e da mão-de-obra empregada. No entanto, é muito difícil dar um diagnóstico à distância, sem ver o estado do motor e as condições de operação. O motor Série C é extremamente robusto e confiável, se bem mantido. Isto é, quando se usam filtros originais Fleetguard, muito superiores que a maioria dos filtros piratas do mercado, e óleo lubrificante multiviscoso de boa qualidade, API CG-4 no mínimo, SAE 15W40. Boa sorte no reparo.

  4. amigo,possuo uma caçamba 16210 ano 90 motor cummins serie c que depois de longos prejuizos descobrimos esse problema de trinca no bloco,foi feito a substituiçao do motor original por um do ano de 2004,agora com o motor novo que foi todo retificado,feito bomba e com turbina mahle nova nao tem uma boa aceleraçao.Gostaria da ajuda do amigo para solucionar meu problema,suspeitamos que esse caminhao não está queimando no tempo certo.

    • Caro Emílio, grato por seu relato. Fica muito difícil fazer um diagnóstico à distância, sem saber dos detalhes. O melhor seria procurar um posto Bosch autorizado. Boa sorte. Abraço.

  5. tenho um cargo 2422 ano 2005 e gostaria de melhorar a potencia dele, por exemplo pra de um 2428, sabe me dizer se existe a possibilidade de trocar componentes ou so trocando o motor?

    • Willian, acredito ser possível. Acho que um distribuidor Cummins saberá informar em detalhes o que será necessário. Já soube quais eram de cabeça, mas minha memória não me permite arriscar, dez anos depois de ter participado do desenvolvimento destes modelos, nos meus tempos de Ford. Grato pela interessante pergunta. Abraço.

Comentários encerrados.