Motores Detroit para aplicação veicular

Em mais um excelente material presenteado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araújo, search trazemos até você esta reportagem publicada na Revista Mecânica Popular, thumb de julho de 1962, viagra sale sobre os novos modelos de caminhões Ford F-100, F-350 e F-600 que compunham a chamada linha “Super Ford”, que substituiu as versões brasileiras lançadas a partir de 1957.

Nos últimos anos de vida eram conhecidos como “Os Avarentos”, em alusão ao seu baixo custo operacional.

A nova gama baseada nos modelos norte-americanos de 1957 permaneceu dez anos no mercado, quando deu lugar aos “Avarentões”, em 1972.
Em mais um excelente material presenteado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araújo, rx trazemos até você esta reportagem publicada na Revista Mecânica Popular, salve de julho de 1962, check sobre os novos caminhões Ford F-100, F-350 e F-600 parte da chamada linha “Super Ford”, que substituiu os modelos “Economia Global” lançados a partir de 1957.

Nos últimos anos de vida eram conhecidos como “Os Avarentos”, nas peças publicitárias da marca, em alusão ao seu baixo custo operacional.

A nova gama baseada nos modelos norte-americanos de 1957 permaneceu dez anos no mercado, quando deu lugar aos “Avarentões”, em 1972.

 
Em mais um excelente material presenteado pelo amigo Daniel Shimomoto de Araújo, cialis pilule trazemos até você esta reportagem publicada na Revista Mecânica Popular, drugstore de julho de 1962, sobre os novos modelos de caminhões Ford F-100, F-350 e F-600 que compunham a chamada linha “Super Ford”, que substituiu as versões brasileiras lançadas a partir de 1957.

Nos últimos anos de vida eram conhecidos como “Os Avarentos”, nas peças publicitárias da marca, em alusão ao seu baixo custo operacional.

A nova gama baseada nos modelos norte-americanos de 1957 permaneceu dez anos no mercado, quando deu lugar aos “Avarentões”, em 1972.

 
A capa deste catálogo mostra bonitas imagens dos motores Detroit dois tempos mais populares para aplicações automotivas, buy viagra incluindo a Série 53, pilule com os modelos 4-53 e 6V-53, capsule a Série 71, com os modelos 6-71 e 6V-71 e, para finalizar a Série 92, com os motores 6V-92 e 8V-92.

Enquanto que a Série 53 ficou mais conhecida no Brasil por sua aplicação nos Chevrolet D-60, Ford F-7000, FT-7000, F-8000, FT-8000 e F-8500, a Série 71 podia ser encontrada nos caminhões e ônibus GMC dos anos cinquenta, assim como em caminhões de combate a incêndio importados e ainda em operação normal em diversos Corpos de Bombeiros.

A saga dos motores Detroit começou justamente com a Série 71 em 1938. Havia versões de um, dois, três, quatro, seis, oito, doze, dezesseis e até vinte e quatro cilindros. Os primeiros com cilindros em V surgiram em 1957. Os modelos de 6 cilindros em linha e em V são os mais conhecidos no Brasil,  deslocavam cerca de 6,97 litros e desenvolviam mais de 200 hp.

A Série 92 tinha o mesmo curso de 127 mm da Série 71, porém com o diâmetro dos cilindros aumentado, resultando em 9 litros de cilindrada para o 6V-92 e 12,1 litros para o 8V-92. O V6 chegava a 335 hp, enquanto que o V8 atingia até 550 hp. Havia também versões V12 e V16 da Série 92. São os V6 e V8 muito comuns em ônibus tipo “coach”, “motor-homes” e caminhões de décadas passadas.

Boa semana a todos!

24 ideias sobre “Motores Detroit para aplicação veicular

    • Amigo William, que interessante! Obrigado por dividir este belo vídeo conosco. Parabéns pelo Detroit, um clássico! Abraço, Evandro.

  1. Eram bons motores, revolucionaram o mercado na época que foram lançados em função da relação peso/potência mais favorável que os 4-tempos contemporâneos. Mas por ter insistido naquela lógica de que “em time que está ganhando não se mexe”, a GM acabou se acomodando a um ponto que levou a uma diminuição dessa vantagem, além da emissão de particulados ter feito com que esses motores passassem a ser alvo de restrições ambientais na 2ª metade da década de 80.

    http://dzulnutz.blogspot.com/2012/05/diesel-2-tempos-meritos-hoje-pouco.html

    • Verdade! Uma pena estes motores não terem decolado por aqui. Hoje resta ouvir o ronco delicioso dos 6V-92 das viaturas dos Bombeiros, como as que temos aqui perto de nossa base. Abraço, Evandro.

  2. Eu sou um apaixonado por caminhoes e em particular os antigos,por isso que conheci os detroit e achei demais!

  3. Quanto será que um 4-53 deve pesar? Eu sonho em fazer um projeto numa caminhonete diesel um dia…vejo muito americano enfiando 4-53 e 6v 53 em caminhonete e fico pensando, será que dá pra fazer isso em uma de nossas caminhonetes? Quando ver um Detroit dando sopa eu vou comprar pra, quem sabe, aplicar numa D-10 ou F-1000…deve ficar bom demais!!!

    • Caro Marcus, o 4-53N pesa cerca de 583 kg a seco, conforme literatura da DDA. Muito interessante sua ideia. Grato por comentar e pela visita. Abraço!

      • Tenho vontade de fazer esse projeto em uma C10, deixá-la com a aparencia mais original possivel mas com mecanica Detroit 4-53T mais cambio com as 2 alavancas que não sei que modelo é.Ia ficar mais ou menos assim: https://www.youtube.com/watch?v=JTCCRnMdDqI

        Alguem saberia o modelo deste cambio justamente com as relações????

        Tudo to pensando ainda, mas quem sabe em breve né.

        • Caro amigo, desculpe a demora para responder. Em geral, estas caixas antigas eram Spicer, Clark ou Fuller, de 5, 4, 3 ou 2 marchas, sem sincronização. Não há como saber o modelo, pois havia uma infinidade delas para os caminhões dos anos 40 e 50. Obrigado pela visita e boa sorte.

          • Dimensões do motor
            O comprimento do motor era de 99 cm, a largura de 68,6 cm e a altura de 94 cm. O peso seco, sem qualquer fluidos, era de 503,5 kg. O motor usava um arrefecedor de exaustão de 5 pás de 55,9 cm e ângulo de cárter de 20 graus.

            E se vc quiser comprar um Detroit 4.53 eu tenho um p/ vender

  4. Penso que esses motores devem voltar futuramente pois exigem menos peças móveis e acho que não decolou no Brasil devido o custo das peças (importadas dos EU) Se começar a fabricar esses motores no Brasil ai acho que decola, pois é um motor que voce consegue tirar uma boa potencia com tamanho reduzido do motor.

    • Samuel, grato por seus comentários. O grande desafio seria fazer estes motores atender emissões gasosas. Foi justamente este motivo que os levou ao fim, mesmo nos Estados Unidos, onde foram substituídos por engenhos de 4 tempos. Um abraço.

  5. Óla, gostei muito das informações, meu falecido avô teve cerca de 12 Chevrolet em sua fazenda, a maioria com Detroit, meu pai ja me contou muitas coisas sobre o Detroit e suas façanhas, como o problema de ficar na lenta por muito tempo, em uma conversa, ele disse que gostaria de comprar um V6 para um projeto incrível, com um motor incrível, então caso alguém saiba de um Detroit a venda, por gentileza me avise, vou divulgar bastante o nome deste motor, já estou a fazer isto no grupo do Opala do qual faço parte, tenho uma Caravan, e tanto eu como meu pai, somos mais chegados a GM, muito obrigado.

  6. tenho 2 motores detroit 453! um inclusive adaptei num ford f600 q estou reformando! coloquei ate um turbo nele rsrsr! ta todo revisado! novinho! o outro vou reforma lo e deixar guardado de reserva!

  7. tenho um motor detroit 453 numa caterpillar 933 estou querendo trocar o motor que esta nela quem tiver entere-se no motor favor entrar em contato telefone 011 98747_6571

  8. Recentemente comprei dois 4 cc. e um 6 cc. pra reformar e utilizar nuns projetos ainda encubados… Sou fã desde criança desses motores e quando os via funcionando nos caminhões expostos em eventos meu coração palpitava forte com um incontido desejo de possuir um exemplar… Tô chegando lá e muito emocionado pois agora divido alegrias com meu filho de 11 anos que também é apaixonado pela máquina e até me ajuda na restauração e já arrisca comentários e se perde em devaneios… Certamente não vou me conter ao funcioná-los!

  9. alguem tem ideia do peso esses motores da serie 8v ? tipo mais pesado que um ford v8 292/302 ? fico imaginando um motor desse num galaxie/landau com cambio automatico (th 700 se nao me engano, passei os olhos um dia desses em alguma reportagem) . . .

  10. Gostaria de saber se alguém pode me ajudar não consigo ajustar a aceleração do meu detroit 4 53, ele sobe o giro mas não desce o problema esta na haste que liga o governos ao eixo que comanda os ejetores, ela esta muto torta akgeum tem alguma dica
    Obrigado

    • ola amigo! boa nte! o primeiro passo é desregular ele todo e começar do zero! desregule a lenta e o galope( akele parafuso q vai ao lado do governor) tire a tampa d valvulas e trave ele todo acelerado( desligado é claro!) depois regula akelas pecinha q vao engatadas nos bicos injetores uma a uma! P vc saber se estao todos regulados basta vc forçar c a chave d fenda a cremalheira do bico p baixo e ela tem q voltar sozinha( todas as 4 tem q estar exatamente iguais)! só depois é q vc vai ajustar o parafuso da marcha lenta e por ultimo o galope! espero q minha explicaçao possa lhe ajudar rs! um grande abraço amigo! qualquer duvida pode ligar p meu cel: 022991041020! felipe!

Comentários encerrados.