Puma 914

Nos tempos em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, pharm em São Paulo, sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão Puma 6T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma oferecia o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também podia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Poucos Puma 6T sobrevivem hoje em dia.

 

 

 
Nos idos dos anos setenta, health salve em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, for sale em São Paulo, for sale sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão leve Puma 4T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Com recursos limitados, mas à frente de seu tempo, numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma desenvolveu o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também poderia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Infelizmente o Puma 6T não passou de um conceito, jamais entrando em produção regular.

Para maiores informações sobre a Puma, consulte o excelente site do nosso amigo Felipe Nicoliello em: http://www.pumaclassic.com.br.

 

 

 

 
Nos tempos em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, viagra em São Paulo, malady sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão Puma 6T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma oferecia o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também podia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Poucos Puma 6T sobrevivem hoje em dia.

 

 

 
Nos idos dos anos setenta, sale illness physician em que a saudosa Puma ainda operava na Avenida Presidente Wilson, viagra dosage
em São Paulo, sua terra natal, a empresa oferecia em adição à sua linha de esportivos com mecânica VW e Chevrolet, o caminhão Puma 6T, de cabina avançada em fibra de vidro.

Numa época em que este segmento ainda não existia, a Puma oferecia o 6T com capacidade para 9 toneladas brutas, para fazer frente aos tradicionais 6 toneladas, como Ford F-4000 e Mercedes L-608D. Tinha três opções de motor: MWM, Perkins  e Chevrolet 292 a etanol. A transmissão era a venerável 280V da Clark.

O 6T também podia ser configurado como chassi de micro-ônibus, como indica a imagem do Marcopolo Jr. no destaque.

Poucos Puma 6T sobrevivem hoje em dia.

 

 

 
Depois que a Puma encerrou suas operações em São Paulo, discount buy cialis a empresa foi comprada pela Araucária, pharm de Curitiba, que também sucumbiu. Na sequência, o Grupo Alfa Metais, da mesma cidade, assumiu a marca e os ferramentais para a fabricação de seus veículos.

Na fase Alfa Metais, não só os automóveis esportivos foram reavivados mas também os caminhões. A reencarnação do antigo modelo 4.T veio na forma do novo Puma 914, aqui ilustrado.

O modelo foi apresentado em 1988, depois de aposentar o 4.T, e tinha PBT de 6.230 kg, com capacidade de carga de quase 4 toneladas, incluindo o implemento. Seu motor era um MWM D-229-4 e a transmissão Clark de 5 velocidades.

Depois do Agrale 1600 e 1800, o Puma 914 foi um dos pioneiros caminhões brasileiros com opção de cabina dupla de fábrica.

6 ideias sobre “Puma 914

  1. MUITO BEM LEMBRADO DESTE MODELO EVANDRO,AINDA TENHO LEMBRANÇA DESTES CAMINHOES ZERO KM,ERAM COMUNS ENCONTRA-LOS AQUI EM CURITIBA,MUITO USADOS POR SUPERMERCADOS E MATERIAIS DE CONTRUÇÃO,DE TODA CURITIBA E REGIÃO,POR SEREM ROBUSTOS,MANUTENÇÃO BARATA,E UM PREÇO ATRATIVO,NÃO PASSAVA VERGONHA FRENTE A F-4000,D-40,VW,E ATÉ MERCEDES….

    • Amigo Reginaldo, obrigado pelos comentários! De fato, estes caminhões, apesar de muita gente olhar com ceticismo, não tinham erro. Mecânica simples e robusta e cabina fácil de consertar, livre de corrosão. Uma receita parecida com a dos Agrale, que sofrem da mesma injusta discriminação. Um abraço, Evandro.

  2. DEPOIS DESSE A PUMA AINDA FABRICOU O 7900 CB/CD,JA COM MOTOR MWM 4.10T,UM CAMINHAO QUE ERA MUITO ELOGIADO,BASICAMENTE COM A MESMA MECANICA DO VW,MUITO UTILIZADO EM CIDADES DO INTERIOR POR PEQUENOS PRODUTORES RURAIS,E CIDADES LITORANEAS,POR SUA CABINE SER EM FIBRA,ESSA FICAVA LIVRE DA CORROSÃO.

  3. Eu lembro dum exemplar de cabine dupla que era usado por uma empresa de manutenção que prestava serviços para a extinta Telesc, que de vez em quando aparecia numa vila militar onde eu morei dos 6 aos 12 anos.

  4. Olá amigos! Estou a procura de um caminhão Puma cabine dupla? Se souberem de algum a venda, por favor, me façam contato. Fones: 15-32262400/981511781tim/998286212vivo. Abraço. RODRIGO FILHO

  5. UM DETALHE ENGRAÇADO, POR QUE SERA QUE NAS FOTOS DO ANUNCIO AS HASTES DO LIMPADOR DE PARA BRISAS APARECE AO CONTRARIO,COM O PIVO NO LADO DIREITO DA HASTE,POR VIA DE REGRA O PIVO ESTA DO LADO ESQUERDO…

Comentários encerrados.