Scania LS76 – O primeiro Scania 6×2 nacional

Depois de um investimento declarado de US$ 100 milhões, recipe a Planta de González Catán, purchase nas cercanias de Buenos Aires na Argentina, cialis estava pronta para produzir a nova linha Sprinter da Mercedes-Benz.

Designada para substituir os modelos espanhóis representados pela gama MB 180 D, a linha Sprinter debutou no mercado nacional em 1997.

Trazia inúmeras novidades, entre a tração traseira e o motor Iochpe Maxion de 2,5 litros, de origem Rover, também utilizado no Chevrolet S-10, Ford F-1000 e Ranger e, claro, nos Land Rover Defender 90, 110 e 130.

Era um fato inédito na história da Mercedes, o uso de um motor comprado de terceiros. Batizado de OM-014, o engenho “high-speed” era calibrado para entregar 95 cv e 220 Nm.

As rodas fechadas, sem furos de ventilação davam desespero só de imaginar uma descida prolongada de serra, com o PBT de 3.500 kg! Logo seriam substituídas por modelos ventilados, mais adequados à realidade do clima tropical vigente na maior porção do país.

A linha inicial da Sprinter 310D foi oferecida até o ano 2000 e ajudou a marca a se firmar no segmento de semi-leves.

Mais posts serão adicionados com os outros membros da família 310 D.

 

 
Depois de um investimento declarado de US$ 100 milhões, treatment a Planta de González Catán, advice nas cercanias de Buenos Aires na Argentina, estava pronta para produzir a nova linha Sprinter da Mercedes-Benz.

Designada para substituir os modelos espanhóis representados pela gama MB 180 D, a linha Sprinter debutou no mercado nacional em 1997.

Trazia inúmeras novidades, entre a tração traseira e o motor Iochpe Maxion de 2,5 litros, de origem Rover, também utilizado no Chevrolet S-10, Ford F-1000 e Ranger e, claro, nos Land Rover Defender 90, 110 e 130.

Era um fato inédito na história da Mercedes, o uso de um motor comprado de terceiros. Batizado de OM-014, o engenho “high-speed” era calibrado para entregar 95 cv e 220 Nm.

As rodas fechadas, sem furos de ventilação davam desespero só de imaginar uma descida prolongada de serra, com o PBT de 3.500 kg! Logo seriam substituídas por modelos ventilados, mais adequados à realidade do clima tropical vigente na maior porção do país.

A linha inicial da Sprinter 310D foi oferecida até o ano 2000 e ajudou a marca a se firmar no segmento de semi-leves.

Mais posts serão adicionados com os outros membros da família 310 D.

1 - SPRINTER F 2 - SPRINTER F 3 - SPRINTER F 4 - SPRINTER F 5 - SPRINTER F 6 - SPPRINTER F 7 - SPRINTER F 8 - SPPRINTER F 9 - SPRINTER F 10 - SPRINTER F

 
Com peso bruto total de 21 toneladas e até 40 toneladas em combinação, viagra com reboques ou semirreboques, cure o Scania-Vabis LS76 tem a distinção de ser o primeiro modelo com terceiro eixo de fábrica produzido no Brasil pela marca sueca.

Seu propulsor de seis cilindros, naturalmente aspirado, de injeção direta era o respeitado Scania D11, de 11 litros, 195 cv líquidos e 745 Nm de torque máximo, acoplado a uma caixa de dez marchas Scania G-670, com redução total de 10,17:1. Com eixo traseiro de 5,91:1, o LS76 podia atingir cerca de 76 km/h de velocidade máxima.

Seu chassi era oferecido em duas versões: 3.800 e 5.000 mm de entre eixos, para aplicações rígidas ou cavalo-mecânico.

Fabricado entre 1963 e 1970, com volumes que ficavam sempre abaixo de cem unidades anuais, o Scania LS76 seria substituído pelo LS110.

LS76 1 LS76 2 LS76 3 LS76 4

 

2 ideias sobre “Scania LS76 – O primeiro Scania 6×2 nacional

  1. Este era um post que estava faltando sobre as Scanias João de Barro/Jacaré; se tiver algum da LS 110 ou LS 111 com cabine leito eu ficaria agradecido caso seja publicado…

Comentários encerrados.