Valmet 785 4×2 Fruteiro

Nosso amigo Reginaldo Bernardi, case  de Colombo, pharmacy PR, nos enviou fotos de sua miniatura do Fiat 190H.

Junto delas, vieram as seguintes explanações:

“…SEGUEM ALGUMAS FOTOS DO FIAT 190, USEI A BASE DA CABINE E RODAS DE UM MODELO DE BRINQUEDO DA RABAKER, DE SANTA CATARINA, A POUCO ELE PASSOU POR UMA REFORMULAÇÃO, GRAÇAS AO POST DO FOLHETO DO 190 TURBO DEU PRA CORRIGIR ALGUNS ERROS…POR HORA É ISSO EM BREVE TEM MAIS COISA SAINDO DO FORNO…ABRAÇO”.
Reginaldo, parabéns pela miniatura e obrigado por mais uma coloboração!

 
Quando a Ford South America Operations (FSAO) decidiu trazer a picape Ranger para a região, purchase cialis sale troche a planta escolhida foi a de Pacheco, purchase nos arredores de Buenos Aires, na Argentina, onde as várias gerações do veículo vêm sendo produzidas desde então.

A decisão da Ford foi baseada em primeiro lugar, na boa aceitação do modelo antecessor importado da América do Norte, visando concorrer com a líder do mercado, a Chevrolet S-10. Segundo, a escolha da Argentina se deveu à estratégia de manufatura e de balanço comercial entre o Brasil e a Argentina, países gerenciados de forma conjunta sob o guarda-chuvas da FSAO. Pacheco tem se caracterizado como uma das melhores plantas da Ford, com alta qualidade e baixo índice de defeitos por milhar (R/1000). O automóvel Focus, também produzido lá, é outro excelente exemplo de impecável qualidade e nível de satisfação de seus clientes.

Os novos modelos produzidos no país vizinhos eram identificados por uma nova frente, de aspecto agressivo, reforçado pela atitude elevada, comum aos modelos 4×2 e 4×4. A oferta de opções também foi ampliada, incluindo três motorizações: duas Ford a gasolina, de quatro cilindros e 2,5 litros e V6 4,0 litros, além do inédito (na Ranger) diesel Maxion de 2,5 litros, de DNA Rover. Dois diferentes entre eixos permitiam acomodar duas caçambas, de 6 ou 7 pés.

Depois de dois grandes “freshenings”, e vários repotenciamentos, finalmente a plataforma aqui ilustrada cedeu lugar para a nova Ranger, estreada recentemente. De projeto australiano, com participação multinacional, incluindo um time brasileiro, a nova picape também é produzida no delta do Prata.

RANGER 1 RANGER 2 RANGER 3 RANGER 4 RANGER 5 RANGER 6
Dando continuidade às postagens das colaborações do nosso amigo Daniel Shimomoto de Araujo, treatment hoje você encontra aqui o trator agrícola Valmet 785 4×2, try na sua versão Fruteira.

Daniel, obrigado mais uma vez!

CATALOGO VALMET FRUTEIRO 685 E 785 4X2 E 4X4-1 CATALOGO VALMET FRUTEIRO 685 E 785 4X2 E 4X4-2

 

7 ideias sobre “Valmet 785 4×2 Fruteiro

  1. Evandro,

    Tive dois exemplares desse modelo de trator, adquiridos para tracionar uma colheitadeira de arrasto de café.

    Trata-se de uma máquina muito boa, relativamente economica e com caracteristicas curiosas, tanto de motor quanto de construção. Vamos a elas

    -> Todo sistema de trasnsmissão é herdado do 685, implicando um trabalho mais “no limite” do conjunto, mais suscetível a desgaste como um todo em comparação com o modelo menor.

    -> Devido ao tipo de construção da transmissão, há a necessidade do uso de aneis sincronizadores. Apesar disso, engatar qualquer marcha com o trator em movimento é somente “no tempo”.

    -> O engate da tomada de força é comandado por embreagem cuja alavanca vai no painel (vide imagem)

    -> Nas aplicações cafeeiras, o MWM necessita trabalhar em alta rotação para dar 540 rpms na tomada de força, o motor precisa trabalhar a mais de 2000rpms. Isso é especialmente relevante pois uma das principais funções no café (e mesmo em citros) é tracionar pulverizadores dotados de um pesado ventilador (demandando potencia da TDP) para aplicação de defensivos. Neste quesito, os Massey e Ford’s trabalham em 1700 rpms e 1600 rpms respectivamente. Vale a menção que a curva de potencia do D-229, em decorrencia disso não era tão favorável como a dos Perkins e dos FTO/Genesis diesel para aplicações em café e citros, sendo perceptível o “engolir o ronco” ao usar a tomada de força em serviço pesado e colocando o trator em movimento.

    Em um dos 785, usado para tracionar uma pesada colheitadeira de café, mandei abrir a rotação limite da bomba para 3000 rpms (igual na F-1000). Melhorou um pouco o desempenho da maquina (e incrementou um pouco o consumo), mas longe de ficar bom como o Massey 275 de motor “Maxion S4 by International MWM” se mostrou (apesar deste ultimo beber mais de 9L por hora e o Valmet, 8L).

    -> Alguns Valmet’s vinham com bomba injetora Bosch em linha e outros com a rotativa CAV. Os meus eram CAV.

    -> Ainda sobre o MWM: Apesar dessas peculiaridades, um dos Valmet’s que tive e que mais foi usado em serviços extra-pesados necessitou de reforma apenas com 10 mil horas de uso. O outro tinha mais de 12 mil horas de uso quando foi vendido.

    Forte Abraço

    • Daniel, riquíssimos comentários, que só mesmo você seria capaz de estruturar, graças ao seu conhecimento da máquina e dos conceitos mecânicos envolvidos!

      Ao ler suas linhas, fiquei imaginando, tal como com as pessoas, de cada máquina se pode extrair o melhor, quando estas estão em seu melhor “habitat”, ou ainda na sua faixa ideal de utilização.

      Enquanto no mundo automotivo, o MWM é genericamente considerado “melhor” (tomo cuidado com este poderoso e às vezes destrutivo superlativo) que os Perkins (ou Maxion), na lavoura a coisa muda de figura, como você bem reportou.

      Assim, quando se indaga sobre um veículo, máquina, ou motor, a resposta é sempre um lacônico “depende”, muito adotado pelos engenheiros… Pois, de fato, depende!

      Obrigado por enriquecer este post como eu jamais saberia fazer.

      Um forte abraço.

      • Evandro,

        Obrigado pelos elogios! É mais a vivência de quem é apaixonado por maquinas&motores e que tenho o enorme prazer em compartilhar!

        Quanto ao MWM, um comparativo de um motor mais veicular (MWM) comparado com outro de origem agricola pode ser feito na F-4000 (http://caminhaoantigobrasil.com.br/ford-f-4000-1987/f4000-2-2/). Atente aos valores de potencia e torque de um e de outro e observe que o motor Ford obtém apenas 2cv’s a mais de potencia mas em rotação menor e os valores de torque do FTO são mais elevados e em rotação menor.

        Mais uma vez obrigado pelos Elogios!

        Forte Abraço

  2. Meu amigo, comprei um trator deste e estou muito satisfeito, mas gostaria de conseguir um manual do proprietário pois o mesmo já teve um outro dono que deu fim ao seu manual. posso conseguir, ou não tem condições?

    Um abraço a todos e aguado respostas.

    • Caro Aldenor, parabéns pelo seu Valmet! Infelizmente não temos o manual para te fornecer. Um abraço e boa sorte na busca.

  3. onde consigo o manual do proprietário do valmet 785 4×2 ano 95? 2 dono o trator e não veio com o manual

Comentários encerrados.