Valmet Linha Álcool – 1985

VA 1 VA 2 VA 3 VA4 VA5 VA6

Para alimentar o interessante debate sobre combustíveis alternativos (veja http://caminhaoantigobrasil.com.br/mercedes-benz-l-2215-1984/) que acabou se desdobrando para o motor bicombustível da MWM dos anos oitenta, ask trazemos este detalhado catálogo de nosso acervo sobre a família de tratores a álcool etílico da Valmet, healing equipada com propulsores MWM 229 PID (de “Pilot Injection Diesel”, viagra ou diesel com injeção piloto, em tradução livre).

A versão de seis cilindros deste motor também equipou os caminhões a álcool da Ford, dos modelos F-13000-A e F-22000-A, este último um 6×4 canavieiro.

Breve traremos também o principal concorrente destes Valmet etílicos, representado pelo Massey Ferguson com motor Perkins convertido para ciclo Otto para operar com álcool de cana.

14 ideias sobre “Valmet Linha Álcool – 1985

  1. BOA NOITE…

    OUVI MUITO MEU PAI FALANDO DESSE MOTOR COM O USO DE DOIS COMBUSTIVEIS, SENDO O PRINCIPAL A ALCOOL, POREM NUNCA ME ENTROU NA CABEÇA COMO SERIA O FUNCIONAMENTO ,NESSE POST JA DEU PRA CLAREAR LEGAL ,UMA TECNOLOGIA BEM UTIL ,PRINCIPALMENTE TENDO A VASTA APLICAÇÃO NOS CANAVIAIS….

  2. Evandro, você teve a oportunidade de ler algum material teorico sobre esses motores? Pelo que eu compreendi a injeção piloto de diesel é constante da marcha lenta até a aceleração máxima, sendo a aceleração do motor controlada apenas pelo álcool, é correto?

    Meu amigo que conheceu de perto esses motores ele não soube me dizer até porque o trator que ele trabalhava tinha o o conjunto montado mas já desativado. E o que ele soube me descrever foi da experiência unica que ele teve.
    _____________________________________________________

    Outros tratores que sairam a álcool foi o CBT 3000 com motor Dodge V8, teve um CBT com Perkins a álcool e o Ford 4810.

    Abraços

    • Daniel, não tive oportunidade de investigar mais a fundo o MWM PID, no entanto, acredito que sua premissa esteja correta.

      Bem lembrados os outros tratores a álcool.

      Deve ter sido bastante curioso este CBT com motor Dodge V8!

      Abraço.

  3. Olá Evandro,

    interessante material esse, porém bem complexo o sistema, acho que seria bem mais viável um motor Chevrolet a álcool mesmo, que deve ter inclusive uma durabilidade superior a esse engenho. Curiosa essa adição de óleo de mamona no álcool, seria para lubrificação da bomba? Automóveis tem a vida útil da bomba elétrica muito reduzida por causa do menos poder lubrificante e de resfriação se comparado à gasolina.

    Parece também que esse sistema foi desenvolvido pela Bosch, pois a Iveco tem um caminhão parecido, movido a álcool e diesel, porém eletrônico e com consumo superior de diesel, acho que na proporção 60-40.

    Abraço

    • Amigo Lucas, obrigado por seus comentários. Na verdade, nenhum destes motores a álcool dos anos 80 obtiveram êxito, mais pelas questões conjunturais que técnicas, que apesar de também terem seus problemas, poderiam ter sido superados, se houvesse vontade política na época.

      Um abraço.

  4. BOA TARDE , ACHEI MUITO CURIOSO ESTA MATÉRIA , FIQUEI OBSERVANDO O ESQUEMA DE INJEÇÃO E REPAREI QUE Ñ TEM VELA DE IGNIÇÃO SEI TBM QUE A IVECO TEM SISTEMA SEMELHANTE PODERIAM COLOCAR O ESQUEMA DA IVECO PARA COMPARARMOS COM ESTA AI DA MATÉRIA DESDE JA FICO GRATO PELA ATENÇÃO ; SEMPRE QUE POSSO ENTRO O SITE QUE SEMPRE TEM BELAS MATÉRIAS ABRAÇO A TODOS DO SITE .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Complete a conta. *